A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
AV Parcial

Pré-visualização | Página 1 de 4

Desempenho: 10,0 de 10,0
	Data: 27/04/2016 18:39:23 (Finalizada)
	
	 1a Questão (Ref.: 201502705970)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	A Reforma Protestante foi um movimento religioso, no século XVI, que mudou consideravelmente os rumos da sociedade e da educação na Europa. Um dos motivos desse fato ter acontecido refere-se:
		
	
	às constantes mudanças no comando da igreja católica criando uma grande instabilidade;
	 
	às severas críticas feitas pelo padre e teólogo alemão Martinho Lutero à venda de indulgências e de relíquias religiosas;
	
	à insurgência dos padres católicos em função da postura repressiva do Vaticano;
	
	ao surgimento de um outro princípio religioso baseado no politeísmo;
	
	ao empenho dos burgueses em construir uma sociedade na qual a religião não tivesse lugar;
		
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201502643272)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Enquanto os portugueses escutavam a missa com muito "prazer e devoção", a praia encheu-se de nativos. Eles sentavam-se lá surpresos com a complexidade do ritual que observavam ao longe. Quando D. Henrique acabou a pregação, os indígenas se ergueram e começaram a soprar conchas e buzinas, saltando e dançando (...) Náufragos Degredados e Traficantes (Eduardo Bueno) Este contato amistoso entre brancos e índios preservado:
		
	
	sobretudo pelo governo colonial, que tomou várias medidas para impedir o genocídio e a escravidão.
	
	Igreja, que sempre respeitou a cultura indígena no decurso da catequese.
	
	pelos colonos que escravizaram somente o africano na atividade produtiva de exportação.
	 
	até o início da colonização quando o índio, vitimado por doenças, escravidão e extermínio, passou a ser descrito como sendo selvagem, indolente e canibal.
	
	em todos os períodos da História Colonial Brasileira, passando a figura do índio para o imaginário social como "o bom selvagem e forte colaborador da colonização".
		 Gabarito Comentado.
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201502238466)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	(Mackenzie,1996) "Pouco fruto se pode obter deles se a força do braço secular não acudir para domá-los. Para esse gênero de gente, não há melhor pregação do que a espada e a vara de ferro." (José de Anchieta. Pedro Casaldáliga in "Na Procura do Reino") O fragmento de texto anterior, escrito nos primórdios da colonização do Brasil, refere-se: 
		
	
	à evangelização do negro e o apresamento de escravos pelos bandeirantes.
	
	à inadaptação do índio para o trabalho e a escravização do negro pelos jesuítas em suas reduções de ouro.
	
	à expansão da cana-de-açúcar para o interior de Mato Grosso e a utilização de mão-de-obra indígena.
	
	à determinação dos jesuítas em pregar o Evangelho junto aos índios e negros, ampliando os horizontes da fé.
	 
	à catequização do índio pelos jesuítas e a utilização dos silvícolas como mão-de-obra nas propriedades da Companhia de Jesus.
		 Gabarito Comentado.
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201502238493)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	(Fuvest, 2010) Os primeiros jesuítas chegaram à Bahia com o governador-geral Tomé de Sousa, em 1549, e em pouco tempo se espalharam por outras regiões da colônia, permanecendo até sua expulsão, pelo governo de Portugal, em 1759. Sobre as ações dos jesuítas nesse período, é correto afirmar que
		
	
	defenderam os princípios humanistas e lutaram pelo reconhecimento dos direitos civis dos nativos.
	
	formularam acordos políticos e diplomáticos que garantiram a incorporação da região amazônica ao domínio português.
	
	criaram escolas de arte que foram responsáveis pelo desenvolvimento do barroco mineiro.
	
	causaram constantes atritos com os colonos por defenderem, esses religiosos, a preservação das culturas indígenas.
	 
	foram responsáveis pela educação dos filhos dos colonos, por meio da criação de colégios secundários e escolas de 'ler e escrever'.
		
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201502243115)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Com a assinatura do Tratado de Madri por Portugal e Espanha, o Marquês de Pombal passou a exigir a retirada dos jesuítas da região das missões localizada no extremo sul do Brasil. Podemos resumir em duas as razões que levaram o Marquês de Pombal a expulsar os jesuítas do Brasil: o poder econômico e o poder ideológico. Analise as afirmativas abaixo sobre as duas razões da expulsão.
I-                    A Companhia de Jesus se tornou muito rica ao longo dos 210 anos de permanência no Brasil, o que conferiu aos jesuítas um enorme poder político, que em alguns momentos rivalizava com o poder do estado português.
II-                  A Companhia de Jesus determinava o que era certo e errado em termos de comportamento e costumes.
III-                A moral católica era  disseminada pelos colégios e missões, para  toda a sociedade colonial. 
Marque a opção correta:
 
 
		
	
	As três afirmativas referem-se ao poder ideológico.
	
	As afirmativas I e II referem-se ao poder econômico .
	
	A afirmativa  II refere-se ao poder econômico.
	
	A afirmativa I refere-se ao poder ideológico.
	 
	As  afirmativas II e III referem-se ao poder ideológico.
		
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201502711637)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	O tratado assinado em 13 de janeiro de 1750 tornou-se responsável por determinar os limites entre as duas colônias sul-americanas, acabando definitivamente com as contendas. Consequentemente os jesuítas foram expulsos das colônias, pois demonstravam radicais diferenças de propósitos. O nome deste tratado era:
		
	 
	Tratado de Madri
	
	Tratado de Tordesilhas
	
	Tratado de Shengen
	
	Tratado de Versalhes
	
	Tratado de Methuen
		
	
	
	 7a Questão (Ref.: 201502019652)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	 Leia o texto a seguir:
 
A situação da educação na colônia começou a mudar com a vinda forçada de Dom João VI para o Brasil em 1808, fugindo das tropas de Napoleão que haviam invadido Portugal por esta época. Dom João sabia que sua estadia forçada em terras brasileiras não seria curta e, portanto, além de abrir os portos do Brasil às nações amigas, resolveu permitir a imprensa, facilitar a entrada de livros e fundar cerca de uma dezena de instituições de ensino técnico ou superior em nosso território, no Rio de Janeiro e na Bahia. Estas instituições visavam apenas a formação de profissionais de nível superior nas áreas de Engenharia, Medicina, Química e Agricultura. Dom João VI não fundou nenhuma escola de Direito no Brasil, não tomou iniciativa alguma quanto à organização do ensino primário nem do secundário, que continuaram existindo sob a forma das aulas régias instituídas pelo Marquês de Pombal. Tampouco fundou institutos de pesquisa ou de ensino de disciplinas de interesse, nem tentou organizar uma Universidade no Brasil, embora estas instituições fossem já comuns na Europa e mesmo nas demais colônias da América Espanhola.
 
(http://www.cristianismo.org.br/his-br01.htm - adaptado)
 
 
Marque a alternativa que melhor interpreta o texto acima:
 
 
 
		
	
	O Brasil, assim como as colônias espanholas foi um dos pioneiros a estabelecer o sistema de aulas régias após a transferência da família Real. A criação dessas aulas tinha como objetivo adaptar a educação aos moldes do sistema educacional europeu.
	
	D. João VI sancionou a primeira lei que garantia que a instrução primária seria gratuita a todos os cidadãos o que atenderia a carência de mão de obra deixada pelo período jesuítico.
	
	O ensino primário e o ensino secundário foram prioridade após a abertura dos portos às nações amigas.
	 
	Dom João quis resolver apenas um problema mais imediato:a falta de um certo número de engenheiros, médicos e agrônomos no Brasil, e não o problema da educação de forma geral do povo brasileiro.
	
	D. João contribuiu sobretudo com o desenvolvimento