trabalho Capoeira
11 pág.

trabalho Capoeira


DisciplinaAvaliação Morfofuncional760 materiais3.405 seguidores
Pré-visualização1 página
Capoeira como atividade física
 Nome: Thiago Ramos Cunha Pinheiro 
 NOME: Laerte dos santos correia
sumário
O que é a capoeira?
Tipos de Capoeira
pouco de historia
Hoje em dia
Benefícios
Capoeira e inclusão social
2
O que é a capoeira?
\u2022 A capoeira é uma misto de dança, luta e jogo que foi 
introduzida no Brasil pelos escravos vindos de Angola, 
durante o período colonial, diante do estado de 
opressão, trataram de \u201cintroduzi-la\u201d como LUTA de 
defesa (CORTES, 2000).
\u2022 A capoeira foi institucionalizada como modalidade 
esportiva em 1972 pelo Conselho Nacional de 
Desportos (CND).
3
Tipos de Capoeira
\u2022 Capoeira de Angola (tradição, Mestre Pastinha)
\u2022 Capoeira Regional (tradição, Mestre Bimba) 
\u2022 Capoeira 
4
\u2022 Segundo NETO (1992), o jogo da capoeira, até onde 
se sabe, não existe nem é praticado em terras 
africanas. A dúvida era se aquela manifestação seria 
a descendente de uma capoeira africana, ou se teria 
sido introduzida na África, pelos escravos que, após 
comprarem sua alforria[1]retornaram ao continente 
de seus antepassados levando e transmitindo 
costumes e práticas criados ou assimilados no Brasil.
\u2022   A origem da capoeira, se africana ou brasileira, é 
motivo de discussão até os dias de hoje. Mesmo as 
figuras mais representativas, como mestre Bimba e 
mestre Pastinha, divergiam a esse respeito. Isto pode 
ser constatado nas citações que se seguem. 
\u2022   Independente se nascida no Brasil ou na África, não 
existem dúvidas de que a capoeira é uma criação 
dos africanos e seus descendentes, diz NETO (1992). 
obs: não fala no texto
5
Hoje em dia
MAIS ALTO RENDIMENTO
MENOS CULTURA
6
7 Benefícios
\u2022 Estimula o condicionamento cardiovascular e 
musculoesquelético
\u2022 Atividade física que envolve todo o corpo
\u2022 Promove maior flexibilidade,(predomina gestos 
amplos)
\u2022 Resistência preciso manter o piqui treino ou jogo
\u2022 Coordenação, perna, tronco,braços,
\u2022 Ritmo: movimento do corpo acompanhando a 
música
\u2022 Equilibrio preciso dominio do corpo
Capoeira e inclusão social
O fato é que capoeira não se faz sozinho, por isso e 
imprescindível a participação dentro de um grupo
O Ensino é baseado em oralidade, com conhecimento, 
vivência prática, regular.
 
 Necessário que o indivíduo se molde a nesse grupo 
para conviver com as diferenças existentes nesse 
núcleo de pessoas.
Adaptar Se às diferenças dramatizar situações
8
capoeira para idosos
 
\u25cf Melhora o desempenho físico, 
\u25cf Corrige Postura corporal,
\u25cf Aumenta o reflexo
\u25cf Capacidade cardiorrespiratória 
\u25cf Condicionamento físico.
\u25cf Saúde mental Melhorando a memória, 
\u25cf O raciocínio e aumentando a auto-estima
9
Obrigado!10
refenecias bibliograficas
Referências
\u25cf BRASIL. 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado 
Federal. Disponível em: https://www.presidencia.gov.br/casacivil/site/static/le.htm. 
Acesso em: 15/10/2012.
\u25cf BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: 
Educação Física / Secretaria de Educação Fundamental. \u2013 Brasília: MEC / SEF, 1998. 
Disponível em http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/fisica.pdf. Acessado em: 
18/10/2012
\u25cf FREIRE, J. B. Educação de Corpo Inteiro; teoria e prática da Educação Física. São 
Paulo: Scipione, 1989.
\u25cf GALLAHUE, D.L. OZMUN, J. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, 
crianças e adolescentes e adultos. 3ªed. São Paulo: Phorte, 2005.
\u25cf MAGILL, R. A. A aprendizagem motora: conceitos e aplicações, 5º ed. São Paulo: 
Editora Edgard Blucher Ltda, 2000.
\u25cf MARTINS S. F. Projeto a Vez do Mestre: A contribuição da capoeira no 
desenvolvimento psicomotor de crianças entre seis e dez anos de idade. 55f. 
Dissertação (Pós-Graduação) \u2013 Universidade Candido Mendes, Rio de Janeiro, 2004.
\u25cf NEIRA, M.G; A cultura corporal popular como conteúdo do currículo multicultural da 
educação física. Revista Pensar a Prática \u2013 UFG. v. 11, n. 1, 2008.
11