A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
EAD - ABORDAGENS HUMANISTAS EM PSICOLOGIA

Pré-visualização | Página 3 de 7

é:
	
	a.
	as Ciências Humanas trabalham com a relação Sujeito-Objeto, buscando a objetividade nos fatos que surgem dos objetos puros.
	
	b.
	as Ciências Naturais trabalham com a relação Sujeito-Objeto, buscando a objetividade nos fenômenos que surgem da relação homem-mundo.
	
	c.
	As Ciências Humanas trabalham com a relação Sujeito-Objeto, buscando a objetividade nos fatos.
	
	d.
	As Ciências Humanas trabalham com a relação Sujeito-Sujeito, buscando a objetividade nos fenômenos que surgem da relação homem-mundo.
	
	e.
	As Ciências Humanas trabalham com a relação Sujeito-Objeto, buscando a objetividade nos fenômenos que surgem da relação homem-mundo.
0 pontos   
Pergunta 4
O Humanismo na psicologia foi influenciado pelo Renascimento, movimento cultural da Europa Ocidental entre os séculos XIV e XVII. Sobre esse movimento, é correto afirmar que:
O Renascimento irrompeu contra a Escolástica, colocando o homem no centro das preocupações especulativas.
Para o Renascimento, o aspecto mais importante do homem é sua alma imortal.
O “livre-arbítrio” foi fortemente defendido pelos humanistas, que acreditavam no poder do homem de planejar sua vida, comandar seu destino e direcionar-se para a liberdade.
O Renascimento se opôs à hegemonia da religião cristã na produção de conhecimento. Os filósofos humanistas eram adversários da Igreja. 
Está correto apenas o que se afirma em:
	
	a.
	I e II.    
	
	b.
	II e III.
	
	c.
	I, II e III.
	
	d.
	III e IV.
	
	e.
	I e III.
 
UNIDADE II
Pergunta 1
A Psicologia Humanista desenvolvida por Rogers é crítica à postura científica em relação ao homem. Sobre a relação entre essa abordagem psicológica e as ciências é verdadeiro afirmar:
 
I – A Psicologia Humanista não é anticientífica, mas considera o ser humano mais importante do que o rigor científico, um método inovador ou um esquema teórico perfeito.
II – Para Carl Rogers, tudo o que a ciência “toca” torna-se objeto. Por meio de uma postura científica, vemo-nos obrigados a tratar os outros e mesmo a nós próprios cada vez mais como objetos. O conhecimento das relações humanas nos priva de espontaneidade.
III – A Psicologia Humanista estuda as escolhas e as decisões tomadas peles seres humanos, a fim de estabelecer padrões e tendências de comportamento. Diante desse conhecimento, tem maior capacidade de intervir nas decisões que as pessoas tomam.
IV – O terapeuta de Abordagem Centrada na Pessoa recorre ao conhecimento científico acumulado pela Psicologia para poder ajudar as pessoas a escolherem o caminho certo para suas vidas. As conclusões das pesquisas qualitativas em Psicologia ajudam o terapeuta a saber qual é o melhor caminho para a vida de seus clientes.
 
	
	a.
	I, II e III.
	
	b.
	I e II.  
	
	c.
	I, II e IV.
	
	d.
	II e III.
	
	e.
	III e IV.
0,3 pontos   
Pergunta 2
Para a Gestalt-terapia, o indivíduo é uma totalidade, seu funcionamento básico gira em torno da sua autorregulação organísmica. O indivíduo é um sistema em equilíbrio homeostático que está em contato com um mundo circundante e que constantemente realiza trocas com o meio, ou seja, faz contato para satisfazer suas necessidades dominantes. A Gestalt-terapia acredita, portanto, que qualquer comportamento é sempre uma função do campo organismo/meio e que se há adoecimento, os dois adoecem juntos.
Sobre o pensamento gestáltico em relação à neurose, assinale a alternativa errada:
	
	a.
	A doença surge quando o sujeito não mais consegue identificar as necessidades dominantes e o seu organismo mesmo assim tenta restabelecer o equilibrio perdido, as gestalts não resolvidas ficam pendentes e o equilíbrio fica prejudicado. Os sintomas surgem como uma tentativa de reorganizar as gestalts abertas, ou não satisfeitas.
	
	b.
	O neurótico não percebe claramente quais e como são suas necessidades e suas emoções. Essa forma de agir o faz perder a oportunidade de completar suas gestalts e, portanto, satisfazer suas necessidades. Isso cria um contínuo estado de insatisfação. Assim, podemos inferir que o neurótico nem toma do ambiente aquilo de que precisa para se nutrir, nem contribui para dar ao ambiente aquilo que dele reclama.
	
	c.
	O neurótico costuma estar confuso quanto ao que sente ou ao que faz, não reconhece quais são as suas reais necessidades. 
	
	d.
	A neurose é o resultado de interrupções do contato, uma vez que na interrupção do contato o que deveria ser rejeitado ou transformado é aceito passivamente.  
	
	e.
	A neurose é o resultado de interrupções do contato, uma vez que na interrupção do contato o que deveria ser rejeitado ou transformado é aceito passivamente, tendo como consequência a divisão do self. 
0,3 pontos   
Pergunta 3
O psicólogo Carl Rogers encontrou nos escritos de Sören Kierkegaard o imperativo de “ser o que realmente se é” (“Tornar-se Pessoa”, 1973, p. 146). Para esse psicólogo, trata-se da melhor maneira de caracterizar a finalidade da vida humana, tal como ele a entende. Essa concepção da vida humana fundamenta a Terapia Centrada no Cliente, modelo psicoterapêutico desenvolvido por Rogers. Sobre o modo de relação interpessoal descrito por esse psicólogo, é correto afirmar: 
	
	a.
	Baseia-se na concepção de que o paciente deve revelar-se, enquanto o terapeuta permanece neutro, de modo a facilitar a relação transferencial.
	
	b.
	Pressupõe que se uma pessoa se sente verdadeiramente aceita e considerada, ela realizará mais seus desejos, tornando-se mais individualista.
	
	c.
	Depende que o terapeuta ofereça um clima terapêutico de atitudes psicológicas facilitadoras. 
	
	d.
	O psicólogo diagnostica os comportamentos psicopatológicos do cliente, a fim de realizar o encaminhamento mais pertinente para eliminação do sofrimento psicológico.
	
	e.
	O cliente reproduz com o psicólogo suas experiências da primeira infância. Cabe ao terapeuta mostrar isso ao paciente, a fim de que ele possa corrigir suas relações objetais primárias. 
0,3 pontos   
Pergunta 4
Um paciente comenta: “De modo geral, meu relacionamento é bom com minha mulher. Apenas tomo mais cuidado quando ela está ‘atacada’. Ontem ela estava de TPM e nesses dias fica mais sensível e agressiva. Começou a discutir comigo porque eu tirei minha calça e coloquei na cama. Ia pendurá-la, mas acabei indo tomar banho antes. Ela gosta de tudo organizado e ficou brava com a calça na cama. Começou a brigar e a gritar. Eu simplesmente a ignorei, deixei ela gritando sem que eu respondesse. E ela foi ficando ainda mais brava, dizendo que eu estava fugindo. Daí eu fugi sim, coloquei outra roupa e saí de casa (risos). Quando voltei mais tarde, conseguimos conversar e ela reconheceu que exagerou.”
 
Em uma situação como essa, a Gestalt-terapia compreende que:
	
	a.
	O paciente está capaz de bom contato e fuga. 
	
	b.
	O paciente tem dificuldade de contato, pois foge em vez de enfrentar as situações de conflito.
	
	c.
	O paciente mantém contato excessivo, tendo dificuldade de fugir quando isso seria a melhor forma.
	
	d.
	O paciente tem dificuldade de estabelecer contato e fuga adequados; foge quando deveria entrar em contato e entra em contato quando deveria fugir.
	
	e.
	O problema não é do paciente, mas sim de sua esposa.
0,3 pontos   
Pergunta 5
A Abordagem Centrada na Pessoa de Rogers coloca em evidência e questiona as relações de poder na relação entre psicólogo e cliente, pois parte da compreensão de que “o indivíduo possui dentro de si vastos recursos para autocompreensão, para a modificação de seus autoconceitos, de suas atitudes e de seu comportamento autônomo” (ROGERS, 1983, p. 38). O psicólogo dessa abordagem:
	
	a.
	Assume o lugar de autoridade e mostra ao cliente, com base em dados empíricos e científicos, como ele deve tomar decisões.
	
	b.
	Mostra ao cliente, com base na história de vida deste, quais caminhos ele tem condição de percorrer