A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Relatório de aula prática da disciplina de Zoologia de Invertebrados

Pré-visualização | Página 1 de 1

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA DA DISCIPLINA DE ZOOLOGIA DE INVERTEBRADOS
Filo Arthropoda
Roteiro: Aula I 
Tema: Subfilo Chelicerata
Procedimentos Metodológicos
Foi realizada a observação da aranha na área verde do jardim Ipanema Ville em Sorocaba-SP, verificando a formação de sua teia, presas capturadas e se possuía ovos ou não. 
Conhecimentos Adquiridos
Através das observações foi possível verificar que as aranhas são fundamentais para a manutenção do equilíbrio ecológico já que, sendo carnívoras, alimentam-se sumariamente de insetos que prendem através de suas teias ou que caçam ativamente, utilizando o veneno.
Foi possível constar a divisão dos tagmas cefalotórax (prossomo) e abdômen (opistossomo), além das queliceras estrutura que ajuda na manipulação do alimento ao redor da boca além de um par de pedipalpos que podem ter funções variadas dependendo do indivíduo. Também foi verificado a existência de quatro pares de pernas no cefalotórax, não havendo nenhum apêndice no abdome, porém na região ventral posterior há fiandeiras que são estruturas conexas com glândulas que produzem seda que são usadas para tecer a teia, onde a teia observada tinha geometria esférica e continha um indivíduo preso envolto por teia.
São indivíduos carnívoros que realização digestão em partes, externamente do corpo realizando a secreção de enzimas sob os tecidos das presas, fazendo a hidrolise que gerara um alimento liquefeito que será sugado.
Não foi verificado a presença de ootecas (ovos) no indivíduo observado.
Roteiro: Aula II 
Tema: Subfilo Crustacea – Classe Malacostraca
Procedimentos Metodológicos
Foi disposto o camarão em uma bandeja, com luvas de borracha foi feito a manipulação do decápode. Através de uma lâmina de bisturi foi realizada a dissecação, iniciando o corte pelo cefalotórax, e retirando o exoesqueleto com cuidado para não danificar os órgãos a ser estudados. Foi observado o estomago do animal, sendo retirado o tubo digestivo e o cordão ganglionar vistos em lupa para aferir a estrutura dos órgãos, em fase aos gânglios do cordão.
Ao movimentar os apêndices foi possível ver as brânquias se movendo juntamente e por onde passa a água e ocorre a troca gasosa.
Foi visto também caranguejos e siris preservados em formol, onde foi realizada a observação e comparação entre os indivíduos.
Conhecimentos Adquiridos
Através das observações foi possível constatar a diferença entre caranguejos e siris, onde o siri é individuo mais aquático e nadador tendo o último par de pernas desenvolvido para o nado além de possuir projeções espinhosas na carapaça e seu cefalotórax ser mais largo, já o caranguejo é um indivíduo que fica mais tempo sem a presença de água. O siri tem seu corpo mais achatado e ao ser virado é possível identificar seu sexo, quando a fêmea está com ovos, movimenta o abdômen para solta-los, ao contrário dos machos que possui o abdômen fixo. No camarão não há dobramento, sendo levemente encurvado o que auxilia na movimentação.
Os crustáceos são seres que possuem trato digestório completo, ou seja, a digestão inicia-se pela boca e termina no ânus, onde através da lupa eletrônica foi possível verificar dejetos no cordão digestivo que possivelmente estava sofrendo absorção de nutrientes e água.
Com o camarão que foi dissecado foi possível verificar que este possui 5 apêndices ambulacrais, todos birremes. Também foi observado as ligações que a brânquia tem com os apêndices e que com a movimentação a entrada de água e a troca gasosa é realizada. Seu leque caudal no final do telso é utilizada para propulsão e direcionar o nado.
 
Roteiro: Aula III 
Tema: Subfilo Hexapoda – Classe Insecta
Procedimentos Metodológicos
Foi realizada a observação de um grilo e de um gafanhoto indivíduos da ordem Orthoptera na área verde do jardim Ipanema Ville em Sorocaba-SP, verificando seu tamanho, forma, função dentro do ecossistema.
O Grilo foi verificado no solo e o gafanhoto em acima das folhas de capim.
Conhecimentos Adquiridos
Gafanhoto
O indivíduo observado apresentava corpo pequeno se comparado a um indivíduo adulto, de coloração verde, herbívoro alimentando-se de folhas ou plantas (fitofágo), possui duas antenas pequenas, além de asas superiores retas e tarso com três segmentos geralmente, além de seis apêndices. Tem hábitos noturnos e realizam atrito com as pernas traseiras (estridulação), com o intuito de atrair a fêmea, onde essas após o acasalamento (ocorre durante o verão) botam ovos sobre o solo. Em bando podem formar nuvens de gafanhotos que podem arrasar com plantações agrícolas.
Grilo
O indivíduo observado apresentava corpo pequeno em relação ao gafanhoto, de coloração marrom, onívoros alimentando-se de capim e outros insetos, possui duas antenas longas e finas, além de asas superiores retas e coriáceas, além de seis apêndices. Tem hábitos noturnos e realizam atrito com os pelos que possuem em suas asas, com o intuito de atrair a fêmea, onde essas após o acasalamento botam ovos (ovíparo com metamorfose incompleta) sobre folhas ou galhos secos. Habitam buracos no solo.