Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Psicologia Jurídica - RESUMO  1ª PARTE

Pré-visualização | Página 1 de 1

Psicologia Jurídica - 1ª NPC
( PERSONALIDADE ( ID, EGO, SUPEREGO) - Teórico: FREUD.
↳ As 3 instâncias :
↳ ID: Conceito:
 1) É a parte mais primitiva e menos acessível da personalidade. (Recém Nascido)
 2) Fonte de energia psíquica e o aspecto da personalidade relacionado aos instintos. 
 3) Constitui o reservatório de energia psíquica, é onde se localizam as pulsões de vida e de morte. As características atribuídas ao sistema inconsciente. É regido pelo princípio do prazer (Psiquê que visa apenas o prazer do indivíduo). 
 - Está relacionada com o Principio do Prazer (Ex: A criança não sabe o que faz, ela tem sensações, prazerosas ou não).
 - Características: Inconsciente/Marcada pelo princípio do prazer, como dito acima.
↳ EGO: Conceito:
 1) Características do ID que vão evoluindo, se adaptando e ganhando fragmentos. O ego representa a razão, racionalidade, consciência de si mesmo, ao contrário irracionalidade do ID.
 2) Aspecto racional da personalidade responsável pelo controle dos instintos.
 3) É o sistema que estabelece o equilíbrio entre as exigências do id, as exigências da realidade e as ordens do superego. A verdadeira personalidade, que decide se obedece as decisões do (ID) ou do (Superego), ou seja, uma parte do Ego é consciente e a outra inconsciente.
 - Está relacionado com o Princípio da Realidade (razão, consciência plena).
 - O Ego não existe sem o ID e o Superego. (Ele está no “meio de campo”) Parte consciente/parte inconsciente.
↳ SUPEREGO: Conceito:
 1) Resultado de crenças/valores (impostos pelos pais/sociedade) – (Como foi dito o “não” para a criança).
 2) O aspecto moral da personalidade, produto da internalização dos valores e padrões recebidos dos pais e da sociedade.
 3) Origina-se a partir da internalização das proibições, dos limites e da autoridade. (É algo além do ego que fica sempre te censurando e dizendo: Isso não está certo, não faça aquilo, não faça isso, ou seja, aquela que dói quando prejudicamos alguém, é o nosso "freio".)
 - Está relacionado com a Identificação. (Tendência de seguir o ideal).
Observação: As instâncias (id,ego,superego) variam de pessoas para pessoa, não acontecendo necessariamente nesta ordem. 
OS MECANISMOS DE DEFESA DO EGO: - Teórico – FREUD.
 O que são: Os mecanismos de defesa do ego são estratégias inconscientes para lidarmos com situações. São mecanismos que visam evitar a angústia resultante dos conflitos intrapsíquicos. 
 1) Deslocamento: Está sempre ligado a uma troca, no sentido de que a representação muda de lugar, e é representada por outra. Esse mecanismo também compreende situações em que o todo é tomado pela parte.
 ↳Situações: (exemplos)
 *** Quando está ligado a uma TROCA: ***
1 > O funcionário que sofre de conflitos no emprego e é agressivo ao chegar em casa. 
 ↳ O funcionário fica inibido de expor sua raiva no trabalho, logo, quando chegou em casa, descontou na coitada da mulher.
2 > A criança que desloca a dor sentida pelos pais para a boneca.
 
 *** Quando está ligado ao TODO (generalidade): ***
1 > Alguém que teve um problema com um advogado, e, logo, passa a rejeitar todos esses profissionais.
 2) Negação: É a defesa que se baseia em negar a dor, ou outras sensações de desprazer.
 ↳ Exemplo: Quando alguém recebe um telefonema sendo informado de uma notícia trágica (morte de um parente próximo e querido), a pessoa se nega a acreditar. 
 3) Sublimação: Mecanismo de defesa pelo qual a energia psíquica de tendências e impulsos inaceitáveis primitivos se transformam e se dirigem a metas socialmente aceitáveis. O impulso original desaparece quando a sublimação se completa, porque a energia dele lhe é retirada, e encaminhada para o objetivo-substituto.
 ↳ Exemplo: Quando você está com raiva de algo ou alguém, você arruma um meio de descarregar a raiva sem prejudicar outrem, estes meios podem ser: arte (pintura/música), esportes, entre muitos outros. O impulso original (raiva) desaparece quando a sublimação se completa, porque a energia dele lhe é retirada, e encaminhada para o objetivo-substituto (arte/esportes).
 
 4) Idealização: Prejudica a compreensão real da situação e de pessoas, ao passo que busca, no objeto, o ideal, enxerga somente aquilo que gostaria que o outro fosse.
 ↳ Exemplo: O homem apaixonado que vê em sua companheira a melhor mulher do mundo.
 5) Fantasia (é uma forma de compensação) : É a troca do mundo em que vivemos por aquele com o qual sonhamos. Mecanismo de defesa que proporciona uma satisfação ilusória para os desejos que não se podem realizar (o inconsciente cria uma satisfação-substituta que fica em lugar da realidade). É um mecanismo defensivo que alivia a tensão.
 ↳ Exemplo: O traficante imagina que irá parar de vender assim que conseguir bastante dinheiro para abrir um negócio lícito. (Porém ele não consegue, e pensa nisso para “sair da realidade”). 
 6) Identificação: Uma tentativa de aumentar o valor pessoal adquirindo alguns atributos e características de um indivíduo que se admira. 
 ↳ Exemplos: 1 > Um adolescente que precisou de uma reabilitação longa após um acidente decide tornar-se fisioterapeuta em conseqüência de suas experiências.
 2 > O jovem comporta-se da maneira que acredita que o líder da gangue o faria.
 7) Regressão: A adoção mais ou menos duradoura de atitudes e comportamentos característicos de uma idade anterior.
 ↳ Exemplo: Ao ser hospitalizado devido a amidalite, Junior, de 2 anos, só mama na mamadeira, embora sua mãe diga que ele já tomava leito no copo há 6 meses.
 8) Racionalização: Trata-se de desculpas falsas, mas plausíveis (sig: aceitável), para poder justificar um comportamento inaceitável. Ou seja, é justificar uma coisa inaceitável com um argumento aceitável, ainda que falso
 ↳ Exemplo: John diz à enfermeira de reabilitação: "Eu bebo porque esta é a única maneira que tenho para lidar com meu casamento fracassado e meu emprego ainda pior."
 
 9) Projeção: Consiste em atribuir ao outro um desejo próprio, ou atribuir a alguém, algo que justifique a própria ação.
 ↳ Exemplo: 1 >Queixar-se do barulho das crianças porquê não teve filhos.
 2 >Denuncia a falta de pudor (respeito) porque obteve relacionamento sexual insatisfatório.
 10) Expiação: É quando o indivíduo sente peso na consciência e quer pagar pelo seu erro imediatamente, achando que será aliviado ao se redimir, ou o seu erro será magicamente anulado.
 ↳ Exemplo: Um ladrão rouba uma pessoa, logo, devolve o item, achando que não haverá conseqüências.