A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
Equilíbrio Químico, deslocamento de equilíbrio e fatores como concentração, pressão e temperatura

Pré-visualização | Página 2 de 13

= 10 - 3,5 = 6,5 
 
• Grau de equilíbrio (): 
 

10
6,5
n
n
α
inicial
reagem
0,65 ou 65% 
 
 
 
 CÁLCULOS DE EQUILÍBRIO 
 
Exemplo 1: 
 
No sistema em equilíbrio N2(g) + 3 H2(g) ⇌ 2 NH3(g), 
as pressões parciais de cada gás são: pN2 = 0,4 atm; 
pH2 = 1,0 atm e pNH3 = 0,2 atm. Calcular as constantes 
Kp e Kc para esse equilíbrio, a 27°C. (Dado: R = 0,082 
atm.L/K.mol) 
 
Resolução: 
 
• Cálculo de Kp: 
 
Sendo fornecidas as pressões parciais dos gases 
no equilíbrio, efetua-se o cálculo aplicando a lei do 
equilíbrio. 
 
 
  
 
  

3
2
3
22
2
3
1,0.0,4
0,2
pH.pN
pNH
Kp
 0,1 
 
• Cálculo de Kc: 
 
∆n = 2 – (1 + 3) = -2 
 
Kp = Kc . (RT)
∆n
  0,1 = Kc . (0,082 . 300)
-2
 
 
 Kc = 60,5 
 
 
Exemplo 2: 
 
2 mols de H2 e 1,5 mol de I2 foram colocados num 
balão de 10 litros. 
Estabelecido o equilíbrio H2(g) + I2(g) ⇌ 2 HI(g), 
encontrou-se no balão 2 mols de HI. Calcular a 
constante de equilíbrio Kc do sistema. 
 
Resolução: 
Transformando os números de mol fornecidos em 
concentrações molares, tem-se: 
• Cálculo das concentrações molares. 
Concentração molar inicial do H2: 
♏=
litros10
mol2
V
n

= 0,2 mol/L 
Concentração molar inicial do I2: 
♏=
litros10
mol1,5
V
n

= 0,15 mol/L 
Concentração molar, no equilíbrio do HI: 
♏=
litros10
mol2
V
n

= 0,2 mol/L 
• Cálculo da constante de equilíbrio Kc. 
Com base nos dados, se constrói uma tabela que irá 
auxiliar na dedução das concentrações molares, no 
equilíbrio, de todas as espécies participantes. 
 
 H2 + I2 ⇄ 2 HI 
Início 0,2 0,15 0 
reação 
equilíbrio 0,2 
Se, no início, a concentração do HI era nula e no 
equilíbrio há 0,2 mol/L, conclui-se que esta substância 
foi formada na reação. Observando a proporção dada 
pelos coeficientes da equação (1:1:2), para formar 0,2 
mol/L de HI houve o consumo de 0,1 mol/L de H2 e 0,1 
mol/L de I2. 
Colocando estas concentrações na linha reação, tem-
se: 
 
 H2 + I2 ⇄ 2 HI 
Início 0,2 0,15 0 
reação −0,1 −0,1 +0,2 
equilíbrio 0,1 0,05 0,2 
Na linha do equilíbrio estão as concentrações molares 
necessárias para o cálculo de Kc. 
Substituindo estes valores na expressão matemática de 
Kc, tem-se: 

5)(0,1).(0,0
(0,2)
]].[I[H
[HI]
Kc
2
22
2
8 
 
 
Exemplo 3: 
 
Aqueceram-se dois mols de pentacloreto de fósforo 
num recipiente fechado com capacidade de 2 litros. 
Atingido o equilíbrio, o pentacloreto de fósforo se 
encontra 40% dissociado em tricloreto de fósforo e 
cloro. Calcular a constante de equilíbrio Kc do sistema. 
 
Resolução: 
• Cálculo da concentração molar inicial do PCℓ5. 
♏=
litros2
mol2
V
n

= 1 mol/L 
Com base nos dados, se constrói uma tabela que irá 
auxiliar na dedução das concentrações molares, no 
equilíbrio, de todas as espécies participantes. 
 
 PCℓ5 ⇄ PCℓ3 + Cℓ2 
Início 1 0 0 
reação 
equilíbrio 
No início, as concentrações de são nulas. 
O enunciado da questão diz que 40% de PCℓ5 se 
dissocia (é consumido). Isto corresponde a 0,4 mol/L. 
Portanto, na linha reação,coloca-se esse valor e, 
observando a proporção dada pelos coeficientes da 
equação (1:1:1), se deduz as concentrações de PCℓ3 e 
de Cℓ2 que se formam até o equilíbrio ser atingido. 
 
 PCℓ5 ⇄ PCℓ3 + Cℓ2 
Início 1 0 0 
reação −0,4 +0,4 +0,4 
equilíbrio 0,6 0,4 0,4 
Na linha do equilíbrio estão as concentrações molares 
necessárias para o cálculo de Kc. 
Substituindo estes valores na expressão matemática de 
Kc, tem-se: 

0,6
0,4.0,4
][PC
]].[C[PC
Kc
5
23


0,27 
 
 
 DESLOCAMENTO DO EQUILÍBRIO QUÍMICO 
 
O estado de equilíbrio de uma reação pode sofrer 
modificações em função dos fatores de equilíbrio a que 
está submetido o sistema. Os fatores que provocam 
essa alteração são a concentração dos participantes, 
a pressão e a temperatura. 
 
O efeito provocado pela alteração de qualquer um 
dos fatores de equilíbrio é regido pelo Princípio de Le 
Chatelier, que estabelece: 
 
“Quando se exerce uma ação num 
sistema em equilíbrio, este se desloca 
no sentido da reação que neutraliza 
essa ação”. 
 
Baseado neste princípio é possível prever os efeitos 
de ações impostas a um sistema em equilíbrio. 
 
 
• Influência da concentração dos participantes 
 
Regra geral: 
 
 desloca o equilíbrio 
adição de uma no sentido que irá 
 substância consumi-la 
 (lado oposto) 
 
 desloca o equilíbrio 
 retirada de uma no sentido que irá 
 substância refazê-la 
 (mesmo lado) 
 
Supondo a reação em equilíbrio: 
 
N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) 
 
A adição de uma certa quantidade de N2(g) ao reator 
que contém o equilíbrio, aumentará a concentração 
desta substância e isto provocará um deslocamento 
deste equilíbrio para a direita (lado oposto daquele onde 
se encontra o N2(g), ou seja, no sentido da reação que 
consome o N2(g)). 
 
N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) 
 
 
A retirada de uma certa quantidade de N2(g) do reator 
que contém o equilíbrio, diminuirá a concentração desta 
substância e isto provocará um deslocamento deste 
equilíbrio para a esquerda (mesmo lado em que se 
encontra o N2(g), ou seja, no sentido da reação que refaz 
o N2(g)). 
 
N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) 
 
 
 
• Influência da pressão 
 
Regra geral: 
 
 aumento desloca o equilíbrio 
 da no sentido de 
 pressão menor volume 
 
 diminuição desloca o equilíbrio 
 da no sentido de 
 pressão maior volume 
 
 
Supondo a reação em equilíbrio: 
 
1 N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g)
1 volume 2 volumes3 volumes
4 volumes 2 volumes 
 
Observe que os coeficientes dos gases da equação 
balanceada nos fornecem a relação em volume entre 
esses gases. 
 
Se a pressão sobre este equilíbrio for aumentada, 
ocorrerá deslocamento para a direita (sentido de menor 
volume). 
 
N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) 
 
 
Se a pressão sobre este equilíbrio for diminuída, 
ocorrerá deslocamento para a esquerda (sentido de 
maior volume). 
 
N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) 
 
Observação: 
 
Quando o volume total do sistema permanecer 
constante, a variação da pressão não afetará o estado 
de equilíbrio desse sistema. 
 
No equilíbrio: 
1 H2(g) + 1 I2(g) 2 HI(g)
2 volumes 2 volumes 
 
não ocorre variação de volume. Neste caso, a pressão 
não afetará o estado de equilíbrio da reação. 
 
 
• Influência da temperatura 
 
Regra geral: 
 
 aumento da desloca o equilíbrio no 
 temperatura sentido endotérmico 
 
 
 diminuição da desloca o equilíbrio no 
 temperatura sentido exotérmico 
 
 
Supondo a reação em equilíbrio: 
 
N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) H = -92 kJ 
 
A H que acompanha a equação está associada à 
reação direta. 
Portanto, a reação direta é exotérmica e a inversa é 
endotérmica. 
exot.
endot.
N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) 
 
 
Se a temperatura do sistema for aumentada,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.