A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
Aula 5   Conceitos de Demanda e Oferta   Johannes

Pré-visualização | Página 1 de 2

Demanda, Oferta e Equilíbrio 
de Mercado
Objetivos
• Mercados Competitivos
• Equilíbrio de Mercado
• Curva de Demanda
• Utilidade Total e Utilidade Marginal 
• Lei Geral da Demanda
• Variações na Demanda
• Paradoxo (Bem) de Giffen
1. Introdução
1.1 Breve histórico: início da evolução do estudo 
da teoria microeconômica foi com a análise da 
demanda de bens e serviços.
Utilidade: grau de satisfação do consumidor com os 
bens e serviços que podem ser adquiridos no 
mercado.
Teoria do valor-utilidade: contrapõe-se à teoria do 
valor-trabalho, pressupondo que o valor de um bem 
se forma por sua demanda, sendo portanto subjetiva 
e leva em conta que o valor nasce da relação do 
homem com os objetos.
• Visão utilitarista: prepondera a 
soberania do consumidor.
• Valor de uso: utilidade que o produto 
representa o consumidor.
• Valor de troca: se forma pelo preço 
do mercado.
• Os mercados ocorrem onde os produtores 
e consumidores encontram-se para trocar 
bens e serviços. 
• Condições necessárias para um mercado 
competitivo:
– Grande quantidade de produtores e 
consumidores de bens;
– Direito de propriedade são bem 
definidos;
Mercados Competitivos
– Existência de competição;
– Os mercados são exclusivos;
– Não há coerção;
– Informação é barata e fácil de obter.
• O equilíbrio de mercado ocorre quando a oferta de 
produtos iguala a demanda. 
E: Ponto de equilíbrio
P*: Preço de equilíbrio
Q*: Quantidade de equilíbrio
Equilíbrio de Mercado 
Equilíbrio de Mercado
• Os preços são 
determinados pela 
interação entre as 
forças de oferta e 
demanda, ou seja, 
pelas decisões 
descentralizadas 
feitas pelos 
produtores e 
consumidores.
1.2 Utilidade total e utilidade marginal
Utilidade total: tende a aumentar quanto 
maior a quantidade consumida do bem ou 
serviço.
Utilidade marginal: é a satisfação adicional 
obtida pelo consumo de mais uma unidade 
do bem, é decrescente, pois o consumidor 
vai perdendo a capacidade de percepção da 
utilidade.
Ex: Paradoxo da água e do diamante.
Por que a água, sendo mais necessária, é tão barata,
e o diamante supérfluo, tem preço tão elevado ? 
Água
Grande Utilidade Total 
Baixa Utilidade Marginal
(encontrada em abundância)
Diamante Grande Utilidade Marginal
(escasso)
Utilidade Total e Utilidade Marginal 
Aumenta quanto maior a
quantidade consumida do bem
Satisfação adicional (na margem)
obtida pelo consumo de mais uma
unidade do bem
É decrescente porque o consumidor vai saturando-se
desse bem, quanto mais o consome.
Análise da Demanda de Mercado
Análise da Demanda de Mercado
Umg = Ut
q
Quantidade que o consumidor
deseja consumir. 
Qtd. consumida
Utilidade total
Qtd. consumida
Utilidade marginal
Utilidade Total e Utilidade Marginal 
2 Demanda de mercado
2.1 Conceito: quantidade de certo bem ou serviço 
que os consumidores desejam adquirir em 
determinado período de tempo.
Análise da Demanda de Mercado
2.2 Relação entre quantidade procurada e preço 
do bem: a lei geral da demanda
Lei geral da demanda: relação inversamente 
proporcional entre quantidade procurada e o preço 
do bem, que pode ser expressa pela curva ou 
escala de procura, revelando as preferências dos 
consumidores.
• Qd=f(P)
• Qd= quantidade procurada de determinado bem 
ou serviço, num dado período de tempo
• P= preço do bem ou serviço.
• Efeitos que causam a queda da quantidade 
demandada:
• efeito substituição;
• efeito renda.
Análise da Demanda de Mercado
qdi = f( pi , ps , pc , R, G)
qdi = quantidade procurada (demandada) do bem i
pi = preço do bem i
ps = preço dos bens substitutos ou concorrentes
pc = preço dos bens complementares 
R = renda do consumidor
G = gostos, hábitos e preferências do consumidor
Função Geral da Demanda
Obs.: Para estudar o efeito de cada uma das variáveis, 
deve-se recorrer à hipótese ceteris paribus
Análise da Demanda de Mercado
qdi = f( pi )
Relação entre a quantidade demandada
e o preço do próprio bem
Supondo ps , pc , R e G constantes 
Função Convencional
qdi
pi
< 0
Lei Geral da Demanda
Tudo o mais constante (ceteris paribus), 
a quantidade demandada de um bem ou 
serviço varia na relação inversa de seu 
preço.
Por que ?
Análise da Demanda de Mercado
Relação entre a quantidade demandada
e o preço do próprio bem
Efeito preço total:
Efeito substituição
Efeito renda
O bem fica mais barato relativamente 
aos concorrentes, fazendo com que a 
qtd. demandada aumente.
Com a queda do preço, o poder 
aquisitivo do consumidor aumenta, e a 
qtd. demandada do bem deve aumentar. 
Curva de Demanda
• A curva de demanda 
expressa a relação 
entre o preço e a 
quantidade. 
• A declividade 
negativa da curva de 
demanda reflete a 
Lei da Demanda.
Preço
QuantidadeQ0 Q1
P1
P0
Demanda
Análise da Demanda de Mercado
Observações adicionais sobre a demanda
Variações na Demanda e
variações na quantidade demandada
Variações na demanda = Dizem respeito ao 
deslocamento da curva da demanda, em virtude 
de alterações em ps , pc , R, G (ou seja, mudança 
na condição ceteris paribus). 
Variações na quantidade demandada = refere-
se ao movimento ao longo da própria curva de 
demanda, em virtude da variação do preço do 
próprio bem pi , mantendo as demais variáveis 
constantes (ceteris paribus).
Renda
Preços de bens relacionados
Gostos
Expectativas
Número de compradores
Desloca a curva de demanda
Desloca a curva de demanda
Desloca a curva de demanda
Desloca a curva de demanda
Desloca a curva de demanda
Análise da Demanda de Mercado
Variações na Quantidade Demandada
Preço do próprio bem Movimento ao longo da
curva de demanda
Variações na Demanda
Movimento ao longo da curva Deslocamento da curva
Variação na quantidade demandada Demanda
0 5 10 15 20 
Preço do
Cigarro (R$)
80
60
40
20
0
No. Cigarros fumados/dia.
Ex.: Imposto que
aumenta o preço
do cigarro.D
0 5 10 15 20 
Preço do
Cigarro (R$)
80
60
40
20
0
No. Cigarros fumados/dia.
Ex.: Política de 
combate ao fumo.
DD’
Análise da Demanda de Mercado
Análise da Demanda de Mercado
Paradoxo (Bem) de Giffen
É uma exceção à Lei Geral da Demanda, 
em que a curva é positivamente inclinada 
(relação direta) entre a quantidade 
demandada e o preço do bem.
Preço
da
Batata
(R$)
Qtd demandada de Batata
Análise da Demanda de Mercado
Paradoxo (Bem) de Giffen
Comunidade Inglesa muito pobre. 
Ocorreu uma queda no preço da Batata.
Como a população gastava a maior parte da renda
com esse produto, o seu poder aquisitivo 
aumentou e como estavam saturados de batata, 
passaram a gastar com outros produtos.
O preço da Batata caiu, bem como a qtd. 
demandada (curva positivamente inclinada).
Bem de Giffen (nome do economista) é um tipo de bem 
inferior, embora nem todo bem de Giffen seja um bem de 
Giffen.
Curva de Demanda
A curva de demanda é 
conhecida como:
Disposição-a-pagar
Benefício marginal
Q
Demanda e escolhas do consumidor
Teoria do consumidor;
Efeitos de uma mudança no preço:
Efeito substituição: quando o preço relativo de 
um bem cai, a quantidade demandada aumenta.
Efeito renda: para uma dada RENDA NOMINAL, 
uma queda de preço de um bem aumenta a 
RENDA REAL, afetando a demanda de todos os 
bens.
Demanda e escolhas do consumidor
Teoria do consumidor;
Efeitos de mudanças na Renda
A Renda Real pode aumentar, seja porque a 
Renda nominal sobe enquanto os preços 
permanecem constantes, seja porque o preço 
de uma mercadoria cai enquanto a Renda 
Nominal permanece