A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
Direito de Família   Resumo

Pré-visualização | Página 6 de 9

concubinárias (com impedimentos para o casamento) se regem pelo direito 
das obrigações (sociedades de fato) e não pelo Direito de Família – competência das varas 
cíveis 
- Eficácia temporal das Leis 8.971/94 e 9.278/96 – aplicam-se às relações de convivência que 
existiam ao tempo de sua edição; não podendo ser aplicadas às que já se haviam dissolvido e 
às constituídas após a entrada em vigor da Lei 10.406/02 (Novo Código Civil) .
FAMÍLIAS MONOPARENTAIS
(Texto: SOARES, Sônia B. Brandão. Famílias monoparentais: aspectos polêmicos. In: 
Problemas de Direito Civil-Constitucional. (Org.) Gustavo Tepedino. Rio de Janeiro: 
Renovar, 2000)
Base legal e conceito: art. 226 § 4º CF/88
Aspectos polêmicos:
monoparentalidade x direito ao nome e à origem biológica da criança
limites da investigação de paternidade
mulher solteira e inseminação artificial – art. 2º da Resolução 1.358/92 do Conselho Federal 
de Medicina
PARCERIA CIVIL HOMOSSEXUAL
Projeto de Emenda à Constituição nº 139/95, de autoria da ex-Deputada Marta Suplicy que 
modifica os arts. 3º e 7º da CF/88 para incluir a proibição de discriminação por motivo de 
orientação sexual;
Projeto de Lei nº 1.151/95, de autoria da ex-Deputada Marta Suplicy, que prevê a 
regulamentação da parceria civil homossexual, permitindo seu registro em cartório do 
Registro Civil das Pessoas Naturais
Habilitados: pessoas solteiras, viúvas ou divorciadas (art. 1º § 1º, I); não se proibindo a troca 
UFF- MDI - DIREITO DAS FAMÍLIAS – PROF. SÔNIA BARROSO BRANDÃO SOARES - 2012.1 - 17
do nome;
Impede a alteração do estado civil durante a sua vigência (art. 2º § 3º);
Direitos dos parceiros:
Possibilidade de adotar – não há impedimento no ECA (art. 42 da Lei 8.069/90) x arts. 29 e 
43 do ECA
Possibilidade de troca do nome e casamento, após emasculação
Pensão por morte do órgão previdenciário
Dissolução da parceria com partilha dos aqüestos
Direito real de habitação sobre o imóvel de residência
Direito ao usufruto da quarta parte dos bens do parceiro falecido se houver deste ascendentes 
e descendentes.
AULA 11 – DIREITO DE FAMÍLIA ASSISTENCIAL 
 TUTELA E CURATELA
Guarda 
a) Conceito – Instituto que visa prestar assistência material, moral e educacional ao 
menor – intregaliza ou substitui os titulares no exercício do poder familiar; regulariza 
a posse de fato do menor – Lei 8.069/90, arts. 28, 33, 237 e 249; a guarda tem 
fundamento legal e é concedida por ato judicial.
b) Sujeito passivo – menor em situação de abandono. É provisória, mas pode se tornar 
definitiva se seguir a adoção.
c) Deferimento – Lei 8.069/90, arts. 32, 33 e parágafos 1o. e 2o. , 28, parág. 1o. e 2o. , 29, 
34, 165 e 170 – Competência do Juízo da Infância e Juventude
d) Revogabilidade – Lei 8.069/90, arts. 30, 35 e 169 p. único.
e) Modalidades: unilateral, conjunta e compartilhada
Tutela – arts. 1.728 a 1.766 CC c/c 1.187 a 1.198 CPC
a) Conceito – Instituto pelo qual alguém assume o exercício do poder familiar em 
substituição aos pais do menor órfão, obrigando-se a zelar pelos interesses sociais e 
patrimoniais do referido menor 
b) Situações tuteláveis – art. 1.728 CC – morte dos pais e por decadência do poder 
familiar;
c) Espécies – testamentária (instituída pelos pais) – arts. 1.729, 1.730 e 1.733 CC; 
legítima – art. 1.731 CC e dativa – arts. 1.732, I a III e 1.734 CC
d) Irmãos órfãos – um só tutor – art. 1.733 CC
e) Incapacidade para exercer a tutela – art. 1.735 CC
f) Escusa para aceitação da tutela – arts. 1.736 a 1.739 CC c/c arts. 1.192 e 1.193 CPC – 
Prazo para apresentar a escusa – até 10 dias subseqüentes à designação ou do fato 
superveniente que a motive; o juiz pode não aceitar a escusa; cabe agravo (recurso da 
decisão do indeferimento ) – arts. 1.739 CC c/c art. 1.193 CPC e arts. 522 e ss. CPC
g) Garantias da tutela – caução real ou fidejussória – art. 1.745 e parágrafo único CC c/c 
arts. 1.188 a 1.191 CPC; responsabilidade subsidiária do juiz (II) x responsabilidade 
UFF- MDI - DIREITO DAS FAMÍLIAS – PROF. SÔNIA BARROSO BRANDÃO SOARES - 2012.1 - 18
pessoal e direta do magistrado(I) – art. 1.744 CC
h) Exercício da tutela – tutor: sujeito ativo na administração dos bens do menor 
(representação ou assistência) ; tem poder uno, indivisível e indelegável – exceto: art. 
1.743 CC (conhecimentos técnicos); seus atos são fiscalizados pelo juiz (art. 1.741 
CC), que pode indicar um protutor (art. 1.742 CC)
i) Atos praticados pelo tutor – sem autorização prévia do juiz (art. 1.747 CC) e com 
autorização prévia do juiz (arts. 1.748 e 1.750 CC) – Obs.: Venda de bens do menor – 
NÃO EXIGE MAIS HASTA PÚBLICA – art. 1.750 CC; Impedimentos à prática dos 
atos pelo tutor – arts. 1.749 a 1.751 CC c/c 580 CC
j) Administração dos bens – arts. 1.745, 1.751, 1.753 e 1.754 CC; gratificação do 
tutor/protutor – art. 1.752 § 2o. CC
k) Responsabilidade por culpa ou dolo dos tutores- arts. 1.752 CC c/c 932, II CC e 933 
CC (culpa presumida)
l) Da prestação de contas da tutela – arts. 1.755 a 1.762 CC c/c arts. 20 e 914 a 919 CPC 
(Ação de Prestação de Contas); prazos: balanço anual e prestação bienal – 
apresentação das contas em juízo.
m) Cessação da tutela – arts. 1.763 (em relação ao tutelado) e 1.764 ( em relação ao tutor) 
CC; fim do prazo de serviço do tutor nomeado (2 anos) – art. 1.765 CC; destituição 
(remoção) do tutor por negligência, prevaricação ouperda da capacidade – art. 1.766 
CC
Curatela – arts. 1.767 a 1.783 CC
a)Conceito – instituto que incumbe alguém do encargo de reger e defender pessoa 
maior incapaz ou interditada por enfermidade ou deficiência mental e administrar seus 
bens ;
b)Submetidos à curatela – interditos – quem são? - art. 1.767 CC;
c)Quem promove a interdição? – arts. 1.768 e 1.769 CC – pais, tutores, cônjuge ou 
parentes – não há previsão legal para companheiros – mas vide jurisprudência; 
Ministério Público (interditor x defensor) – art. 1.770 CC; legitimados a curador – art. 
1.775 CC
d)Necessidade de perícia prévia – art. 1.771 CC;
f) Limites à interdição – arts. 1.772, 1.778 (extensão aos filhos incapazes dos 
curatelados) e 1.782 CC – a questão dos pródigos
g) Exercício da curatela – os mesmos da tutela - Exceto: arts. 1.772 CC (limitações); 
cônjuge quando curador desobriga-se da prestação de contas – art. 1.783 CC
e)Modificação de cláusulas da curatela – arts. 456 a 458 CCB;
 g) Curatelas especiais: arts. 1.733 parágrafo 2o. CC; 1.819 CC; 1.692 CC; 1.780 CC e art. 
9o., I e II CPC
Pródigos – art. 1.782 CC
Nascituro – art. 1.779 CC c/c 877 e 878 CPC
Portador de necessidades especiais e enfermos – art. 1.780 CC
Ausente – arts. 22 e 23 CC; 
 h) Procedimento de interdição – art. 1.187 a 1.198 CPC
UFF- MDI - DIREITO DAS FAMÍLIAS – PROF. SÔNIA BARROSO BRANDÃO SOARES - 2012.1 - 19
EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO:
I - ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA:
1. A adoção de menor entre 12 e 18 anos, cujos pais foram destituídos do pátrio poder,
(A) não depende da concordância do adotando, nem de seus pais.
(B) depende da concordância do adotando e de seus pais, conjuntamente.
(C) dos pais, prescindindo-se da concordância do adotando.
(D) do adotando, prescindindo-se da concordância dos pais.
2. A mulher de Tício, com quem é casada sob o regime da comunhão universal de bens desde 
1990, apurou que o seu marido vem dilapidando todas as economias do casal em rinhas de 
galo, seu "hobby" preferido. O pai dela, viúvo e detentor de vultoso patrimônio, preocupa-se 
com o futuro da filha e aconselha-se com um advogado, para saber quais as medidas cabíveis 
para o resguardo da sua herança que, por sua morte, caberá ao casal. Indique o procedimento 
correto a ser recomendado pelo causídico.