apostila do curso atualizacao em imunizacao conceitos e tecnicas de vacinas em criancas e adolescentes
44 pág.

apostila do curso atualizacao em imunizacao conceitos e tecnicas de vacinas em criancas e adolescentes


DisciplinaSistematização do Cuidar III864 materiais3.917 seguidores
Pré-visualização8 páginas
Este material é parte integrante do curso online "Imunização \u2013 Conceitos e Técnicas de 
Vacinas" do EAD (www.enfermagemadistancia.com.br) conforme a lei nº 9.610/98. É 
proibida a reprodução total e parcial ou divulgação comercial deste material sem 
autorização prévia expressa do autor (Artigo 29). 
Com certificado 
online 
80 horas Imunização \u2013 Conceitos e 
Técnicas de Vacinas 
Samara Calixto Gomes 
 
 
 
 
 
 
Este material é parte integrante do curso online "Imunização \u2013 Conceitos e Técnicas de 
Vacinas" do EAD (www.enfermagemadistancia.com.br) conforme a lei nº 9.610/98. É 
proibida a reprodução total e parcial ou divulgação comercial deste material sem 
autorização prévia expressa do autor (Artigo 29). 
Imunização \u2013 Conceitos e 
Técnicas de Vacinas 
Samara Calixto Gomes 
80 horas 
Com certificado 
online 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
 
 
 
INTRODUÇÃO ................................................................................................................... 4 
PLANO NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO (PNI) ............................................................. 5 
TIPOS DE IMUNIDADE .................................................................................................... 8 
ORIGEM DAS VACINAS ................................................................................................ 10 
FABRICAÇÃO E CONSERVAÇÃO DAS VACINAS .................................................. 11 
TIPOS DE VACINAS ....................................................................................................... 13 
VACINAS DISPONÍVEIS NO CALENDÁRIO BÁSICO ............................................ 14 
CONTRAINDICAÇÕES GERAIS .................................................................................. 17 
8.1 MITOS (FALSAS CONTRAINDICAÇÕES) .......................................................... 18 
8.2 PRINCIPAIS RISCOS .............................................................................................. 18 
8.3 PRINCIPAIS EVENTOS ADVERSOS .................................................................... 19 
QUAIS AS RECOMENDAÇÕES NECESSÁRIAS A SEREM DADAS AO CLIENTE 
QUE RECEBERÁ A VACINA? ...................................................................................... 20 
TÉCNICAS DE APLICAÇÃO ......................................................................................... 21 
IDADE IDEAL PARA IMUNIZAÇÃO .......................................................................... 23 
EQUIPAMENTOS E MATERIAIS BÁSICOS .............................................................. 24 
CUIDADOS GERAIS NA ADMINISTRAÇÃO DE VACINAS ................................... 25 
AVALIAÇÃO .................................................................................................................... 34 
REFERÊNCIAS ................................................................................................................ 38 
 
 
Imunização \u2013 Conceitos e Técnicas de Vacinas 
Este material é parte integrante do curso online "Imunização \u2013 Conceitos e Técnicas de Vacinas" do EAD 
(www.enfermagemadistancia.com.br) conforme a lei nº 9.610/98. É proibida a reprodução total e parcial ou divulgação comercial deste 
material sem autorização prévia expressa do autor (Artigo 29). 
4 
01 
INTRODUÇÃO 
 
 
 
 
As vacinas são consideradas como um dos mais importantes avanços da Medicina, pois 
reduziram a incidência de doenças infecciosas poupando milhões de vidas. 
Antes de aprendermos sobre cada vacina, seus componentes e funções, devemos 
conhecer o PNI. 
Mas afinal, o que é o PNI? 
 
Unidade 2 \u2013 Plano Nacional de Imunização (PNI) 
Este material é parte integrante do curso online "Imunização \u2013 Conceitos e Técnicas de Vacinas" do EAD 
(www.enfermagemadistancia.com.br) conforme a lei nº 9.610/98. É proibida a reprodução total e parcial ou divulgação comercial deste 
material sem autorização prévia expressa do autor (Artigo 29). 
5 5 
02 
PLANO NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO 
(PNI) 
 
 
 
 
O Programa Nacional de Imunizações (PNI) surgiu em 1973, por determinação do Ministério 
da Saúde, como parte de um conjunto de medidas que se destinavam a fiscalizar e 
redirecionar a atuação governamental do setor. Entre elas, coordenar ações que se 
desenvolviam com descontinuidade, pelo caráter episódico e pela reduzida área de cobertura. 
Essas ações conduzidas dentro de programas especiais (erradicação da varíola, 
controle da tuberculose) e como atividades desenvolvidas por iniciativa de governos 
estaduais, necessitavam de uma coordenação central que lhes proporcionassem sincronia e 
racionalização. 
Criado através da Lei 6.259 de 30/10/75 e Decreto 78.231 de 30/12/76, o PNI visa 
estimular e expandir a utilização de agentes imunizantes no país. 
O PNI transformou-se ao longo dos seus 40 anos de existência em uma das mais bem 
sucedidas intervenções de saúde pública do mundo. O episódio emblemático do ano de 1904 
(descrito no item 3 desse mesmo material), ilustra a grande importância que esse programa 
tem até os dias atuais. 
O PNI coordena as atividades de imunização desenvolvidas rotineiramente na rede de 
serviços de saúde. 
As ações de vacinação constituem-se nos procedimentos de melhor relação custo e 
efetividade no setor saúde, uma vez que os índices de morbimortalidade por doenças 
imunopreveníveis nas décadas recentes, em nosso país e no mundo, reduzem cada vez mais. 
O avançado declínio nos indicadores é decorrente do grande avanço tecnológico na 
produção de vacinas, associadas a um sistema de conservação desses imunobiológicos e o 
cumprimento de amplas coberturas vacinais. 
A meta operacional básica é a vacinação de 100% das crianças menores de um 
ano, com todas as vacinas indicadas no Esquema de Vacinação. 
Imunização \u2013 Conceitos e Técnicas de Vacinas 
Este material é parte integrante do curso online "Imunização \u2013 Conceitos e Técnicas de Vacinas" do EAD 
(www.enfermagemadistancia.com.br) conforme a lei nº 9.610/98. É proibida a reprodução total e parcial ou divulgação comercial deste 
material sem autorização prévia expressa do autor (Artigo 29). 
6 
Acompanhando as transformações demográficas e epidemiológicas, o PNI incorpora 
mais um desafio: ampliar as ações de vacinação para a população de 60 anos e mais e 100% 
das populações indígenas brasileiras,com objetivo de conscientizar esta população da 
importância da vacinação, utilizando as vacinas preconizadas pela Organização Mundial de 
Saúde (OMS), para esta faixa etária: dT (difteria e tétano), contra influenza (contra gripe) e 
pneumococo. 
O PNI tem como objetivo contribuir para o controle, eliminação e/ou erradicação das 
doenças imunopreveníveis, utilizando estratégias básicas de vacinação de rotina e campanhas 
anuais, desenvolvidas de forma hierarquizada e descentralizada, conforme Instrução 
Normativa nº 1 de 19/08/04. 
Agora que entendemos do que se trata o PNI e para que ele foi criado, vamos entender 
alguns termos muito utilizados na administração de vacinas. São eles: 
Adjuvantes: Ingrediente secundário numa preparação farmacêutica. São essenciais na 
composição de vacinas inativadas, pois irão dificultar o processamento do antígeno pelas 
células apresentadoras de antígeno. Assim, aumentam o período em que o antígeno estará em 
contato com o sistema imune aumentando assim a resposta imunológica. 
Antígeno: Também chamado de imunógeno, é toda espécie molecular de origem 
biologia isolada ou constituída por uma célula, vírus, liquido biológicos ou sintética que 
quando introduzida no hospedeiro ou receptor, é capaz de produzir uma reação imune (ou 
Tolerância). 
Conservantes, Estabilizadores e Antibióticos: pequenas