A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
AULA 1   THAU IV

Pré-visualização | Página 1 de 2

UNIVERSIDADE PAULISTA - SJC
INSTITUTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA
CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO
DISCIPLINA: TEORIA E HISTÓRIA DA ARQUITETURA E 
URBANISMO (ARQ e URB IV) – THAU IV URBANISMO (ARQ e URB IV) – THAU IV 
2º SEM 2017
Turmas: 5º E 6º Semestres - Quinzenais
Prof.ª Me. Natalia dos Santos Moradei
Aula 1
Apresentação do Plano de Ensino da Disciplina
*Diretrizes
EmentaEmenta
Objetivos
Conteúdo 
Atividades
Avaliações
Bibliografia
(sujeito à alterações)
I – EMENTA
Formação dos espaços arquitetônico e urbano dos
séculos 18 e 19 até o período entre guerras no séc.
20, destacando a complexidade urbana decorrente20, destacando a complexidade urbana decorrente
dos processos de modernização capitalista.
II - OBJETIVOS GERAIS
Analisar os vínculos existentes entre industrialização,
modernização e modernidade e seus
desdobramentos no campo da arquitetura e do
urbanismo.
III - OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Destacar as relações existentes entre as transformações
ocorridas no modo de vida urbano (privacidade, conforto, lazer,
liberdade, funcionalidade, "compressão" do espaço e do tempo)
e sua influência sobre a produção arquitetônica e urbanística. O
surgimento de novos programas.
Explicitar como o arquiteto se insere neste novo contexto,
refletindo sobre o seu papel social e o seu âmbito de atuação.
Apontar o surgimento e a utilização de novas técnicas e de
novos materiais, percebendo como afetaram a prática projetual
e a construtiva.
IV - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
• A arquitetura e urbanismo no final do século 18: entre o racionalismo iluminista e a
arqueologia.
• Revolução Industrial e a reordenação do território: as novas relações entre a cidade e
o campo.
• As utopias socialistas e a criação de novos modelos de organização social e urbana.
• Ecletismo e identidade nacional: o movimento neogótico na França e na Inglaterra, e 
o sistema de ensino da Escola de Belas Artes 
• O Estado e as intervenções no espaço urbano: legislação sanitária e o seu âmbito de 
intervenção na produção do espaço urbano.
O Estado e as intervenções no espaço urbano: legislação sanitária e o seu âmbito de 
intervenção na produção do espaço urbano.
• Reformas de grandes centros urbanos: Paris, Barcelona e Viena.
• A arquitetura no contexto do modernismo: o efêmero e as exposições universais.
• O Art Nouveau e a internacionalização do Modernismo.
• A Escola de Chicago
• Modelos propostos para a cidade moderna: Camillo Sitte e o resgate da arte urbana.
• Ebenezer Howard e as cidades-jardins
• Tony Garnier e a especialização dos espaços na "Cidade Industrial".
• As principais obras e seus autores da arquitetura e do urbanismo dos anos 1920-30
V - ESTRATÉGIA DE TRABALHO
Aulas expositivas apoiadas na utilização de recursos audiovisuais, 
tais como projeção de slides e exibição de filmes. Discussão das 
questões levantadas durante a aula, sendo indicada bibliografia 
pertinente semanalmente. Realização de exercícios e seminários 
baseados em temas ou textos indicados, de modo a orientar e 
criar o hábito da leitura. Elaboração de uma pesquisa semestral.
Organização:Organização:
Aulas expositivas
Seminário em grupo
Trabalho individual
VI – AVALIAÇÃO
Provas bimestrais baseadas nas aulas presenciais, textos de apoio. 
Conteúdo dos seminários e trabalhos individuais. 
Trabalhos (seminário, fichamento, resenha, pesquisa) 3,0 p NP1 e
3,0 para NP2
Provas 7,0 para Np1 e Np2
Sub – 10,0
Exame 10,0
VII - BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BENEVOLO, Leonardo. História da arquitetura moderna. São Paulo: Perspectiva, 
2006.
__________, Leonardo. História da cidade. São Paulo: Perspectiva, 2007.
FRAMPTON, K. História crítica da arquitetura moderna. São Paulo: Martins Fontes,
VIII - BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
CHOAY, Françoise. O urbanismo: utopias e realidades: uma antologia. São Paulo: 
Perspectiva, 1979.Perspectiva, 1979.
HAROUEL, Jean Louis. História do urbanismo. Campinas: Papirus, 1990.
PEVSNER, Nikolaus. Origens da arquitetura moderna e do design. São Paulo; 
Martins Fontes, 1980.
SCULLY, Vincent. Arquitetura moderna. São Paulo; Cosac & Naify, 2002.
SICA, Paulo. História del urbanismo. Séc. XIX e XX.Madrid: Instituto de Estudios de 
Administración Local, 1981.
Semestre anterior estudamos:
San Carlo all
Quattro Fontane
CATEDRAL ST.
M. DEL FIORE
VILLA ROTONDA SÃO VICENTE -BR
COLONIAL
RENASCIMENTO BARROCO ROCOCÓ
COLONIAL BRASIL
MANEIRISMO
SÉC. XV SÉC. XIX
Dormitório
Rainha, Versailles
Agora vamos abordar:
NEOCLÁSSICO
ART 
NOVEAU MODERNISMO
ECLETISMO
SÉC. XVIII SÉC. XX
AULA 1
• A arquitetura e urbanismo no final do século 18: entre
o racionalismo iluminista e a arqueologia.
Revolução Francesa – 1789 – 1799
Buscava sociedade mais harmônica e respeito aos direitos individuais
(Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão)
Rompimento com absolutismo do direito Divino
Revolução Industrial
� 1760 – 1860: Inglaterra
� 1860 – 1900: França, Alemanha, Rússia e Itália� 1860 – 1900: França, Alemanha, Rússia e Itália
Provocou principalmente uma mudança na sociedade, divisão do trabalho,
trabalho em série – especialização em cada atividade.
Mudança no território e aceleração nas mudanças no território ;
Crescimento da área urbana (aumento do número de habitantes, aumento da
expectativa de vida ;
Novas tecnologias, meios de comunicação (navios a vapor, estradas de ferro)
Mudanças profundas sociais, políticas e culturais.
Últimas décadas do séc. XVIII e primeiras do séc. XIX (aprox. 1750 – 1840)
Período da arqueologia
A origem surge da atividade antiquária com a redescoberta da história
grega e romana, com as pesquisas arqueológicas na Grécia e Roma
(escavações de Herculano e Pompéia)
Expressou os valores próprios da nova burguesia fortalecida
Foi difundido por todos os países ocidentais da Europa, além de ter
influência na produção arquitetônica da Rússia, Estados Unidos e América
Latina
Retomada dos princípios da arte da Antiguidade Clássica Greco-Romana –
reação ao estilo barroco e ao rococó
Princípios da Arquitetura
As obras estão sujeitas a 3 leis:
• Simetria, relação partes com o todo
• Euritmia, correspondência das partes semelhantes
• Conveniência, relação edifício e uso
Razão:Razão:
• Beleza
• Ornamentação
• Representação
• Evidência
Academicismo
Os princípios da era clássica deveriam ser adaptados à realidade
moderna.
Trata-se de um fenômeno internacional, a arquitetura
neoclássica foi caracterizada por diferentes correntes conforme a
época e as diferentes tradições estabelecidas anteriormente nosépoca e as diferentes tradições estabelecidas anteriormente nos
vários países.
Construções civis e religiosas – modelo dos templos greco-
romano e edificações do Renascimento Italiano.
Características da arquitetura:
• Materiais nobres (pedra, mármore, granito, madeiras)
• Processos técnicos avançados
• Sistemas construtivos simples
• Linhas ortogonais• Linhas ortogonais
• Formas regulares, geométricas e simétricas
• Volumes corpóreos, maciços, bem definidos por planos murais 
lisos
• Uso de abóbada de berço ou de aresta
• Uso de cúpulas, com freqüência marcadas pela monumentalidade
Características da arquitetura:
• Espaços interiores organizados segundo critérios geométricos e 
formais de grande racionalidade
• Exterior simplificado e livre de excessivas decorações
• Pórticos colunadosPórticos colunados
• Frontões triangulares
• A decoração recorreu a elementos estruturais com formas 
clássicas, à pintura rural e ao relevo em estuque
• Valorizou a intimidade e o conforto nas mansões familiares
• Decoração de caráter estrutural
NEOCLASSICISMO
• Igreja Santa Genoveva – transformada