A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
45 pág.
tre pr eje acoes eleitorais 2012

Pré-visualização | Página 1 de 7

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ
ESCOLA JUDICIÁRIA ELEITORAL
AÇÕES ELEITORAISAÇÕES ELEITORAIS
O presente trabalho
organizado pela EJE-
PR, propõe ser um
guia inicial, sobretudo
aos recém-iniciados
na matéria e
interessados em obter
um panorama
referente ao assunto
AÇÕES ELEITORAIS.
Tema complexo na
seara eleitoral, tanto
pela falta de um
código a organizar o
assunto, como
também, pela vasta
gama de ações e
legislação a regular a
matéria.
O presente trabalho
organizado pela EJE-
PR, propõe ser um
guia inicial, sobretudo
aos recém-iniciados
na matéria e
interessados em obter
um panorama
referente ao assunto
AÇÕES ELEITORAIS.
Tema complexo na
seara eleitoral, tanto
pela falta de um
código a organizar o
assunto, como
também, pela vasta
gama de ações e
legislação a regular a
matéria.
2012TRE-PR
EJE-PR
http://www.tre-pr.jus.br/institucional/escola-judiciaria-eleitoral
TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DOPARANÁ
ESCOLA JUDICIÁRIA ELEITORAL
AÇÕESELEITORAIS
Tribunal Regional Eleitoral do Paraná
 
Presidente: Des. Rogério Luís Nielsen Kanayama
Vice-Presidente e Corregedor: Des. Rogério Coelho
 
Realização: EJE-PR
 
Diretor EJE-PR: Des. Rogério Coelho 
Secretária Geral EJE-PR: Ana Flora França e Silva 
Coordenador Executivo EJE-PR: Fernando José dos Santos
 
Colaborador: David Schnaid Neto 
Revisora: Sandra Nater 
Estagiária: Jéssica Louize dos Santos Buiar 
 
Editoração e Impressão: Seção de Mecanografia e Impressão
AÇÕES ELEITORAIS 
ÍNDICE 
Apresentação .............................................................................................................................................03 
Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME).....................................37 
Ação e Impugnação de Registro de Candidatura (AIRC)................04 
Direito de Resposta ...........................................................................................................................22 
Recurso Contra Expedição de Diploma (RCED).........................................35 
Representações Específicas..................................................................................................10 
Representação para instauração de 
Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE..............................................07 
Representação na Pesquisa Eleitoral........................................................................32 
Representações e Reclamações......................................................................................16 
Bibliografia......................................................................................................................................................40 
AÇÕES ELEITORAIS 
APRESENTAÇÃO 
 As informações aqui sistematizadas 
objetivam fornecer subsídios para o servidor da Justiça Eleitoral em 
relação aos procedimentos das principais ações eleitorais da Lei 
Complementar nº 64/90, da Lei nº 9.504/97, nas normas que 
disciplinam as eleições, além de algumas referências da 
jurisprudência e da doutrina, com a finalidade de propiciar uma 
consulta rápida para esclarecer eventuais dúvidas, principalmente 
para os servidores que estão ingressando nos quadros da Justiça 
Eleitoral. 
 
 Des. Rogério Coelho 
 Diretor da EJE/PR 
AÇÕES ELEITORAIS 
4 
Ação de Impugnação de Registro de Candidatura 
(AIRC) 
Legislação: A AIRC tem previsão legal nos artigos 3º a 17º da LC 
64/90 
Finalidade: impedir que candidato escolhido em convenção 
partidária seja registrado, em virtude do não atendimento de algum 
requisito legal ou constitucional, a exemplo da ausência de uma ou 
mais condições de elegibilidade, a presença de uma causa de 
inelegibilidade ou mesmo a não apresentação de algum documento 
indispensável ao pedido de registro de candidatura previsto (art. 11, 
§ 1º da Lei nº 9.504/97). 
Rito: Artigos 3º e seguintes da LC 64/90. 
Competência: 
A competência para processamento e julgamento da AIRC é 
determinada pelo cargo pretendido: 
Juízes Eleitorais: São competentes para apreciar pedido 
de registro de candidatos a Prefeito, Vice-Prefeito e 
Vereador. 
Tribunais Regionais Eleitorais: São competentes para 
apreciar pedido de registro de candidato a Governador e 
Vice-Governador de Estados e do DF; Deputados Federais, 
Estaduais e Distritais, Senadores e Suplentes de 
Senadores. 
Tribunal Superior Eleitoral: Apreciam pedido de registro 
de candidatos a Presidente e Vice-Presidente da 
República. 
Prazo de interposição: 
O prazo para interposição da AIRC é de 5 dias, sendo este 
decadencial. Conta-se da publicação do registro do candidato.
AÇÕES ELEITORAIS 
5 
Ocorre preclusão da matéria não impugnada, salvo se tratar de 
matéria constitucional.
Legitimidade Ativa: 
a) Pré-candidato escolhido em convenção partidária;
b) Coligação Partidária; 
c) Ministério Público Eleitoral; 
d) Partido Político; 
e) eleitor; 
f) qualquer cidadão poderá no prazo de 5 (cinco) dias contados da 
publicação do edital sobre o pedido de registro ingressar com 
notícia de inelegibilidade ao juiz ou Tribunal competente. 
Legitimidade Passiva: pré-candidato escolhido em convenção 
partidária e que requereu o registro de candidatura. 
Consequência: 
a) Negação ao registro de candidatura ao pré-candidato; 
b) cancelamento do registro de candidatura, se acaso já obtido e 
não diplomado; 
c) anulação do diploma do eleito ou suplente se já diplomado;
d) além do afastamento imediato do cargo eletivo, acaso já 
iniciado o exercício.
Recurso: art. 258, 265 e seguintes do Código Eleitoral e artigos 8º, 
11 a 13 da LC n. 64/90 (Jose Jairo Gomes, Direito Eleitoral, 8ª 
edição, SP, Atlas, 2012)
 
Código Eleitoral: 
Art. 258. Sempre que a lei não fixar prazo especial, o 
recurso deverá ser interposto em três dias da publicação 
do ato, resolução ou despacho. 
AÇÕES ELEITORAIS 
6 
LC n. 64/90: 
Art. 8° Nos pedidos de registro de candidatos a ele i ções 
municipais, o Juiz Eleitoral apresentará a sentença em 
cartório 3 (três) dias após a conclusão dos autos, passando 
a correr deste momento o prazo de 3 (três) dias para a 
interposição de recurso para o Tribunal Regional Eleitoral. 
Art. 11 § 2º: Terminada a sessão, far-se-á a leitura e 
publicação do acórdão, passando a correr dessa data o 
prazo de 3 (três) dias, para a interposição de recurso para 
o TSE, com petição fundamentada.
 
Art. 12. Havendo recurso para o TSE, a partir da data em 
que for protocolizada a petição passará a correr o prazo de 
3 (três) dias para a apresentação de contra-razões, 
notificado por telegrama o recorrido.
Art. 13. Tratando-se de registro a ser julgado 
originariamente por Tribunal Regional Eleitoral, observado 
o disposto no art. 6° desta Lei Complementar, o ped ido de 
registro, com ou sem impugnação, será julgado em 3 (três) 
dias, independentemente de publicação em pauta.
Parágrafo único: Proceder-se-á ao julgamento na forma 
estabelecida no art. 11 desta Lei Complementar e, 
havendo recurso para o TSE, observar-se-á o disposto no 
artigo anterior.
 
AÇÕES ELEITORAIS 
7 
Representação para instauração de 
Ação de Investigação Judicial Eleitoral - AIJE 
Terminologia: 
A denominação AIJE é frequentemente utilizada para também 
denominar o que se chama de “representações específicas”, que 
são ações que visam apurar as condutas descritas nos artigos 23, 
30-A e 41-A, 73, 74, 75, 77 e 81, da Lei n. 9.504/1997, tendo em 
vista que o rito utilizado, por estas e por aquela é o previsto no art. 
22 da Lei Complementar n. 64/90. 
Preferimos neste trabalho utilizar a denominação AIJE para a 
representação que não se baseia em tais dispositivos.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.