Apostila   Bases Cirurgicas
180 pág.

Apostila Bases Cirurgicas


DisciplinaCirúrgica I176 materiais1.830 seguidores
Pré-visualização48 páginas
Tesoura: É feita pela mão direita estendida em pronação, tendo os dois últimos dedos 
fletidos. Os dedos indicador e médio executam um movimento de aproximação e 
afastamento, imitando o corte das lâminas de uma tesoura. A tesoura deve ser entregue 
segurando-se em sua ponta, com as argolas voltadas para mão do cirurgião, porém em 
casos de tesoura curva, essa deve ser entregue com a curvatura voltada para mão do 
cirurgião. 
Pinças de dissecção: A pinça anatômica é solicitada com os dedos polegar e indicador 
semi-distendidos, realizando movimentos de aproximação e afastamento, enquanto os 
demais dedos permanecem fletidos. A pinça dente de rato é solicitada com o mesmo 
gesto da anterior, porém o polegar e o indicar terão uma flexão maior. Ela deve ser 
entregue com a mão não dominante, segurando-a fechada pela parte inferior, entregando 
em posição de uso. 
Afastador de Farabeuf: Os dedos ficam fletidos, enquanto o indicador fica 
incompletamente flexionado. 
Afastador de Doyen: Os dedos em extensão para baixo, realizando um movimento 
brusco de afastamento lateral. 
Afastador de Gosset: Semelhante ao afastador de Doyen, porém se utilizam as duas 
mãos, posicionadas dorso a dorso. 
 
24 
 
Porta agulhas: Mão direita semi-fechada, realizando movimento de supinação 
(semelhante ao movimento de uma chave na fechadura). 
Fios para ligadura: Face palmar da mão voltada para cima com os dedos em meia 
flexão. O fio deverá ser colocado entre os dedos do cirurgião. 
Compressa: Mão em supinação e dedos estendidos. 
Gaze: Mão voltada para baixo com os dedos unidos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
25 
 
Referências biliográficas: 
 
Instrumentação Cirúrgica - Parra, Osório Miguel e Saad, William Abrão - edta 
Ateneu Rio - 3ª ed 
 
Manual de Instrumentação Cirúrgica - Rosa, Maria Tereza Leguthe - edta Riddel 
 
http://www.joinville.ifsc.edu.br/~luciah/instrumentacaocirurgica.pdf 
 
http://pt.scribd.com/doc/26973017/INSTRUMENTAL-CIRURGICO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
26 
 
Capítulo 3 
Fios e suturas 
 
Júlio César Silva de Albuquerque 
Paulo Roberto Santos Filho 
 
1. Fios de sutura 
 
Propriedades dos fios de sutura 
 
a) Definição: fio de sutura é uma porção de material sintético ou derivado de fibras 
vegetais ou estruturas orgânicas, flexível, de secção circular e com diâmetro muito 
reduzido em relação ao comprimento. 
 
b) Fio ideal: 
\uf0b7 Boa segurança no nó; 
\uf0b7 Adequada resistência tênsil; 
\uf0b7 Fácil manuseio; 
\uf0b7 Baixa reação tecidual; 
\uf0b7 Não possuir reação carcinogênica; 
\uf0b7 Não provocar nem manter infecção; 
\uf0b7 Manter as bordas das feridas aproximadas até a fase proliferativa da 
cicatrização; 
\uf0b7 Ser resistente ao meio no qual atua; 
\uf0b7 Esterilização fácil; 
\uf0b7 Calibre fino e regular; 
\uf0b7 Baixo custo. 
 
Apresentação dos fios 
Os fios são encontrados em comprimentos padronizados, que variam de 8 a 90 cm. 
Podem ser fornecidas agulhas (chamados de \u201catraumáticos\u201d) ou não. Os fios com 
agulhas podem conter uma ou duas agulhas 
 
Calibres dos fios 
O calibre dos fios é designado por codificação que tem sua origem na época em que 
eram comercializados unicamente para a fabricação de vestuário. O maior calibre é 
designado de número 3, cujo diâmetro oscila entre 0,6 e 0.8 mm. A numeração é 
progressivamente decrescente até o número 1, a partir do qual o fio é designado por 0, 
2.0, 3.0 e assim por diante até 12.0, que é o mais fino e corresponde a um diâmetro que 
oscila de 0.001 a 0.01 mm. 
 
 
 
 
 
 
27 
 
Materiais de sutura 
São usados porta agulhas, agulha, fios, grampos metálicos e grampeadores, pinças 
anatômicas ou com dentes e tesouras. 
\uf0b7 Porta agulha: instrumento especial usado para prender as agulhas, facilitando a 
entrada desta nos tecidos, durante a execução da sutura. Existem porta agulhas 
especiais com encaixe para agulhas, como os de Hermolds e Richter. 
\uf0b7 Agulhas cirúrgicas: são instrumentos de sutura, nos quais os fios são acoplados 
ou montados, a fim de serem introduzidos nas bordas das feridas. Em geral são 
medidas em mm de comprimento. As agulhas possuem três partes distintas: 
fundo (cego, fechado ou rombo e falso, aberto ou francês), corpo (cilíndrico, 
achatado, em forma de trapézio ou triangular) e ponta (cônica, ou cilíndrica 
triangular, ou bifacetada e lanceolada). 
 
Seleção do material de sutura 
Baseada em: 
\uf0b7 Propriedade biológica do fio; 
\uf0b7 Situação clínica. 
 
 
Classificação dos fios 
 
a) Materiais absorvíveis: 
\uf0b7 De origem animal ou orgânico; 
\uf0b7 Sintéticos: são copolímeros derivados de açúcares, lentamente reabsorvidos por 
hidrólise. Podem ser multifilamentados (AC. Poliglicólico e poliglactina) e 
monofilamentados (originados da síntese poliéster-poli-P-diaxone). 
. 
\uf0d8 Catgut: 
\uf0b7 Simples, cromado e rápida absorção. 
\uf0b7 Fitas de colágeno, submucosa de intestino delgado de carneiro ou da serosa 
do gado(quanto mais puro melhor). 
\uf0b7 Simples: mantém força tênsil por 7 dias e absorção em 10 \u201314 dias 
\uf0b7 Cromado: (sais de cromo) resistente a enzimas do corpo; força tênsil por 14 
dias máximo 21 dias absorção em 90 dias 
\uf0b7 Rápida absorção: tratado com calor; absorvido de 5 \u20137 dias (não é indicado 
seu uso interno). 
 
\uf0d8 Poliglactina 910 (Vicryl): 
\uf0b7 Absorção completa em 60 \u201390 dias por hidrólise 
\uf0b7 Poliglatina 910 + copolimero de L-lactidieo e glicolídeo (poliglactina 370) 
\uf0b7 VicrylRapide : parcialmente hidrolizado, esterelizado com raios gama; em 5 
dias, perde 50% da força tênsil, em 2 semanas 0%; absorção em 7 \u201314 dias. 
\uf0b7 VicrylPlus : envolvido com uma camada de triclosan, efetivo contra 
Staphylococcus aureus, S. epidermidis, MRSA e MRSE (Cirurgiões 
pediátricos notaram menos dor pós operatória); perda da força tênsil em 5 
semanas. 
 
 
28 
 
\uf0d8 Ácido Poliglicólico (Dexon II): 
\uf0b7 Ac. Poliglicólico + polycaprolato. 
\uf0b7 Mantém 89% da força tênsil em 7 dias, 63% em 2 semanas, 17% em 3 
semanas. 
\uf0b7 Vicryl mostrou-se com maior segurança de nó, uma perda de função mais 
lenta e menor plasticidade. 
\uf0b7 Absorção completa ocorre usualmente em 100 a 120 dias. 
 
\uf0d8 Poliglecaprone (Monocryl): 
\uf0b7 Copolímero de glicolide + e-capralactone (monofilamentar). 
\uf0b7 30 \u201340% da força tênsil em 2 semanas 0% em 21 dias. 
\uf0b7 Absorção completa em 90 \u2013120 dias. 
\uf0b7 Comparado com vicryl rapide monocryl apresenta menor tendência a cicatriz 
hipertrófica e reações. 
 
\uf0d8 Polidioxanona (PDS II): 
\uf0b7 Polyester + p-dioxanona monofilamentar. 
\uf0b7 70% força tênsil em 2 semanas; 50% em 4 semanas; 25 % em 6 semanas. 
\uf0b7 Absorção é mínima em 90 dias e total em 6 \u20137 meses. 
\uf0b7 Difícil manuseio. 
b) Materiais inabsorvíveis: 
\uf0b7 De origem animal, vegetal ou mineral: seda, linho, algodão e aço, 
respectivamente. À exceção do aço, são de ótimo manuseio. Todos podem 
produzir reação tipo corpo estranho. 
\uf0b7 Sintéticos: nylon, perlon, poliéster, polipropileno adaptados como fios 
inabsorvíveis apresentam reação tecidual menor; oferecem alguma dificuldade 
quanto ao manuseio e mostram facilidade em desatar o nó. São os mais inertes 
de todos os fios. 
 
\uf0d8 Seda: 
\uf0b7 Provém do casulo do bicho-da-seda de onde o fio é processado limpo e 
esterelizado. 
\uf0b7 Apesar de ser classificado como inabsorvível experimentos mostram que 
perde quase que totalmente sua força em 1 ano e que após 2 anos não é mais 
possível detectá-lo no tecido. 
 
\uf0d8 Algodão 
\uf0b7 O algodão possui fibras naturalmente torcidas.