Português
8 pág.

Português


DisciplinaPortuguês Instrumental I563 materiais2.592 seguidores
Pré-visualização3 páginas
para que as editoras e demais empresas de materiais gráficos se adaptassem à nova realidade.- Finalidade 
 
QUESTÃO II 
O gênero caracterizado pelas \u201ccharges\u201d traz diálogos marcados pelo humor. Utilize o texto de Fiorin( s/d) para você justificar o que causa o humor na charge a seguir2 (2.0): 
 
 
2 Fonte: http://www.bing.com/images/search?q=acordo+ortogr%c3%a1fico+charge&cbir=ms&rxc=12&sbirxc=0&mid=448F92CC87FA5376A95C2BD0A09B30125176C51D&simid=608009736087275853&vw=16132 c0740 c5ded 252f8 8eaaf 5b1d1 700c6 eff8f 489d3 ed947 a5574 14622 2df04 7d868 1ee48 5f46b 2b125 27842 a79e8 1aa3f ca7f2025d2d71925fe4b7ed34bd212e297f728e44822c0148def3771553b72680ad4f9773936f825656a1898858748fcc6ef&form=IDBBMS&first=1 Acesso em 25/01/2016 
 
 
6
 
O texto de Fiorin aborda a necessidade do Acordo Ortográfico entre os países de Língua Portuguesa. Na charge, o humor é garantido por intermédio da fala do aluno que, inserida no contexto do acordo Ortográfico, evidencia que antes de assimilar as regras novas aplicadas à escrita, os alunos precisam aprender a adequar o seu registro e as suas escolhas linguísticas às exigências da situação comunicativa. 
 QUESTÃO 3 Considere o texto a seguir e responda: 
O ACORDO ORTOGRÁFICO E AS MUDANÇAS NO PORTUGUÊS DO BRASIL Marcos Mairton3 Com licença, meus amigos, Quero falar com vocês Sobre o que estão fazendo Com o nosso português. Eu não sei se é bom ou mau Mas, Brasil e Portugal Assinaram um tratado Pra que em nossa ortografia, Que é diferente hoje em dia, Seja tudo unificado. Moçambique, Cabo Verde, Angola e Guiné-Bissau Assinaram o acordo Com Brasil e Portugal. O Timor Leste também Embarcou no mesmo trem E andaram me dizendo Que entrou até São Tomé, Mas este, sendo quem é, Eu só acredito vendo. 
3http://mundocordel.blogspot.com.br/2009/02/cordel-e-lingua-portuguesa.html Acesso em 25/01/2016 
 
 
 
7
Eu sei é que para nós, Do português-brasileiro, O acordo entrou em vigor A primeiro de janeiro. E agora não tem jeito, Reclamando ou satisfeito, O que é preciso fazer É estudar a reforma Para conhecer a forma Que nós temos que escrever. Eu já soube, por exemplo, Que acabaram com o trema E, aliás, quanto a isso, Não vejo o menor problema. Pois pronunciar \u201cfrequência\u201d, \u201ctranquilidade\u201d, \u201csequência\u201d e até \u201cambiguidade\u201d, A gente foi aprendendo Ouvindo e depois dizendo Através da oralidade. O \u201ck\u201d, o \u201cy\u201d e \u201cw\u201d Entraram no alfabeto. E quanto a isso eu achei Que o acordo foi correto Pois já tinha muita gente Com nome bem diferente No sertão do Ceará: O Yuri e o Sidney, Franklyn, Kelly e Helvesley, Já usam essas letras lá. Mais complicado é o hífen Que ora tem, ora não. Parece que há uma regra Pra cada situação. Em muitas ele caiu Mas em algumas surgiu. E, como a coisa complica, Já falam em reunir Mais gente pra discutir Quando sai e quando fica. Mas, parece que os problemas Que vão incomodar mais Vêm com a queda dos acentos Ditos diferenciais. Pólo, pêra, pêlo e pára Ficam com a mesma cara Pra sentidos diferentes. Mas, de acordo com reforma, \u201cpôde\u201d, \u201cpôr\u201d, \u201cdêmos\u201d e \u201cforma\u201d São exceções existentes. Tem muitas outras mudanças Que ainda temos que estudar. Permitam-me um conselho Que agora quero lhes dar: É bom ficar bem atentos Para essa queda de acentos Na escrita brasileira. E quando for se sentar Cuide pra ninguém tirar O assento da cadeira. Já chega de falar tanto 
 
 
8
Sobre a língua portuguesa. Vou pegar um avião E voar pra Fortaleza. Mas, antes desse percurso Devo dizer que esse curso Valeu mais que ouro em pó. Tomara que o tratado Seja também adotado No país de Mossoró. 3.1 As mudanças do Acordo Ortográfico foram representadas na Literatura de Cordel de maneira lúdica e educativa, conforme \u201co acordo ortográfico e as mudanças no Português do Brasil\u201d, de autoria de Marcos Mairton. Comente, a partir de fragmentos retirados do texto, por que o texto mencionado pode ser considerado como uma expressão da literatura popular. Comente um regionalismo ou acentuação. (2.0) 
O texto de Mairton retoma as peculiaridades regionais, como os nomes típicos do Nordeste, por exemplo (\u201cNo sertão do Ceará: O Yuri e o Sidney, Franklyn, Kelly e Helvesley\u201d), menciona as dificuldades dos usuários da língua na sua rotina (\u201cMais complicado é o hífen. Que hora tem, ora não\u201d), bem como pontua de forma lúdica o que as mudanças na língua podem \u201cprovocar\u201d, conforme o fragmento: \u201c É bom ficar bem atentos para essa queda dos acentos na escrita brasileira. E quando for sentar, cuide pra ninguém tirar o assento da cadeira\u201d. 3.2 Podemos afirmar que o texto de Mairton se dirige ao mesmo grupo de interlocutores que a entrevista com Fiorin? Escreva um parágrafo com períodos coerentes e coesos entre si para justificar sua resposta. (2.0) 
 Não necessariamente. O público alvo do cordel é a população de modo geral, sobretudo, os que fazem parte da região dessa manifestação cultural, já o público para a entrevista com Fiorin é mais específico, como pessoas mais envolvidas com as questões do Acordo, como professores de língua materna, por exemplo.