Aula 1 Fundamentos de Gestão
30 pág.

Aula 1 Fundamentos de Gestão


DisciplinaIntrodução à Administração25.728 materiais722.021 seguidores
Pré-visualização6 páginas
direção. 
Assim, dos três conceitos de PODC até agora apresentados, o mais prático, 
baseado na ação, é a Direção. A direção é a função relacionada com a tomada de 
decisões e a responsável por fazer com que as ações realizadas fiquem alinhadas 
com o planejamento. Por esse motivo a comunicação e as outras habilidades 
interpessoais que melhoram as relações entre o subordinado e o líder são tão 
importantes. 
Ou seja, a direção é quem dará o norte de ação para a organização. 
Podemos dizer que direção é sinônimo de execução, pois é esta que converterá o 
planejamento e a organização em resultados. Alguns autores também costumam 
dizer que a essência da direção é a Liderança. Na verdade, a grande habilidade de 
bons líderes é justamente a capacidade de motivar as pessoas em relação aos 
objetivos esperados. Sejam em uma organização formal ou mesmo em uma 
situação comum do dia a dia, os verdadeiros líderes dão o rumo para seus 
liderados. 
A direção possui alguns princípios definidos, sendo eles: Unidade de 
comando, onde cada subordinado tem seu superior; Delegação, que são tarefas e 
responsabilidades designadas; Amplitude de Controle, que limita a quantidade de 
membros supervisionados por cada líder; e, Coordenação ou Relações Humanas, 
trata dos esforços individuais para alcance de um objetivo (CHIAVENATO, 2014). 
Um exemplo de ausência de direção é percebido, principalmente, por 
empresas familiares, quando da ausência do papel de direção da empresa (seja 
por afastamento, falecimento etc.). Observa-se que sem a figura orientadora do 
dirigente, os demais membros se perdem na condução da empresa, podendo levar 
à falência da mesma. 
 
 
Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico (CCDD) 
 
20 
Ainda, reflita, qual é a sensação que você sente quando seu chefe não está 
presente na empresa? Liberdade, leveza? Acredito que a liberdade passou por sua 
imaginação, tendo em vista que quando não temos alguém para nos observar e 
orientar os nossos passos, tendemos a nos sentir mais livres e soltos, o que pode 
nos levar, muitas vezes, a se perder em nossas atividades rotineiras, pois se não 
há cobrança, não há resultados imediatos, concordam? 
 
O conceito de Controle 
Após todas as demais funções da administração serem realizadas, é 
necessária uma verificação das ações para visualizar se os rumos da organização 
estão de acordo com o planejamento. 
Trata-se de uma checagem das ações tomadas para comparar com os 
objetivos e conferir se as metas estipuladas serão atingidas, de forma que estas 
ações possam ser corrigidas ou melhoradas. 
Ou seja, após a execução (direção) é preciso analisar os resultados obtidos, 
de modo a observar se o planejamento, organização e direção foram devidamente 
executados, e caso necessário readequar o rumo da organização, iniciando 
novamente o PODC. 
O controle é um esforço para comparar o padrão, os planos e metas com o 
desempenho e determinar se o mesmo está de acordo, e caso não esteja, tomar a 
ação corretiva necessária na garantia dos recursos serem utilizados com eficácia e 
eficiência. 
Vamos para um exemplo cotidiano de controle, nas organizações: a 
verificação diária da quantidade de itens produzidos, por funcionário, em uma linha 
produtiva. Toda semana o supervisor precisa verificar os níveis de produção, e com 
estes dados decidir por manter o ritmo de trabalho, se as metas foram cumpridas, 
ou realizar ações corretivas, no caso de a produção estar aquém do necessário. 
A ausência de controle, então, neste exemplo, levaria a perdas financeiras 
altíssimas, pois se poderia estar produzindo, por exemplo, além da quantidade 
necessária para vender, gerando acúmulo de estoques na empresa, forçando 
 
 
Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico (CCDD) 
 
21 
futuras queimas de estoque, que poderiam levar à prejuízos financeiros ainda 
maiores. 
Assim, ao finalizar a apresentação dos conceitos Planejar, Organizar, 
Dirigir e Controlar é importante ressaltar que os temas aqui apresentados são 
referentes as funções do gestor. E você, como gestor, pratica essas funções junto 
à sua equipe? Agora que você já sabe a diferença e a importância destes conceitos, 
é só colocar em praticar na sua avida. Pense nisto! 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico (CCDD) 
 
22 
As Habilidades do Administrador/Gestor 
 
Chegamos ao último tema da nossa aula, e observamos que a vida acontece 
através das organizações, sejam elas lucrativas ou não. Nascemos, vivemos e 
convivemos em organizações. É importante destacar que as empresas, e as 
organizações, precisam de gestores. E o desempenho de gestor depende não 
somente da sua formação técnica (do curso tecnólogo que você está fazendo), mas 
também depende de algumas habilidades. 
Segundo Maximiano (2008, p. 148), \u201cas habilidades são competências 
que determinam o grau de sucesso do gerente no cargo e na organização\u201d. 
Vários estudiosos abordaram o tema da habilidade gerencial, dentre eles 
destacam-se Katz e Mintzberg que estudaremos na sequência. 
Para o renomado pesquisador Robert L. Katz, que se aprofundou nas teorias 
de Fayol, as habilidades gerenciais podem ser divididas em três categorias, 
conforme nos mostra Maximiano (2008). São elas: 
A habilidade técnica é referente ao conhecimento específico que o gestor 
deve ter em relação à função que desempenha; conhecimentos, métodos e 
equipamentos necessários para a realização da tarefa, que estão dentro da 
especialidade técnica. Por exemplo, um diretor comercial necessita conhecer bem 
o produto, o preço de venda, canais de distribuição, clientes e mercados e técnicas 
de venda. 
A habilidade humana envolve o lado humano, significa compreender as 
pessoas, suas necessidades, interesses e atitudes. É a capacidade de entender, 
liderar e trabalhar com pessoas. Por exemplo, o mesmo diretor comercial que 
deveria ter habilidades técnicas, neste quesito ele deve se preocupar em conhecer 
sua equipe, ouvir suas necessidades e tentar encontrar a melhor maneira de 
motivá-los; está habilidade se relaciona a parte humana. 
A habilidade conceitual envolve a capacidade de relacionar, compreender 
e lidar com a complexidade de dados da organização, e de usar o intelecto para 
formular estratégias; criatividade, planejamento, raciocínio abstrato e entendimento 
 
 
Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico (CCDD) 
 
23 
do contexto. Por exemplo, o diretor comercial deverá saber utilizar as informações 
da empresa para planejar o aumento das suas vendas. 
Katz analisa que essas três habilidades são fundamentais. Entretanto, 
segundo ele, quanto mais próximo da gestão de primeira linha o gestor estiver, mais 
ele precisará de habilidades técnicas. Ao mesmo tempo, a habilidade humana é 
mais demandada pelos gestores de nível intermediário. E as habilidades 
conceituais são demandas pelo gestor superior. Em suma, quanto mais elevado o 
gestor estiver na hierarquia, mais distante das habilidades técnicas, e vice-versa, 
conforme a figura a seguir. 
 
 
Administração 
Superior 
 
Habilidades 
Conceituais 
 
 
 
Gerencia 
Intermediária 
 
 
Habilidades 
Humanas 
 
Supervisão de 
Primeira linha 
 
Habilidades 
Técnicas 
 
Três tipos de habilidades gerenciais e sua relação com a posição na hierarquia, segundo 
Katz. Fonte: Maximiano, 2008, p. 149 
 
É importante também estudarmos a abordagem das habilidades gerenciais 
pesquisadas de H. Mintzberg. Segundo ele, a formação do gerente reside no 
desenvolvimento das habilidades, que precisa ir além da transmissão de 
conhecimentos e de oferecer oportunidades para os outros crescerem. Mintzberg 
associa as habilidades do gestor com papeis gerenciais que ele mesmo criou. 
(MAXIMIANO, 2008). As habilidades