arte const desenv cooperat
78 pág.

arte const desenv cooperat


DisciplinaCriação e Desenvolvimento de Cooperativas2 materiais12 seguidores
Pré-visualização22 páginas
sempre que necessário), pelos secretários (que são encarregados 
de partes administrativas) e pelos diretores (cujas atribuições são definidas 
no estatuto social da cooperativa).
dissolução
Processo que visa à extinção 
da cooperativa, ou seja, os 
associados não se dispõem 
mais a dar continuidade ao 
empreendimento, demonstrando 
isso em assembleia geral. Para 
mais informações consulte 
o Capítulo XI da Lei nº 
5.764/1971.
e-Tec BrasilAula 4 - Ordenamento interno das cooperativas e os procedimentos para sua constituição 61
É composto exclusivamente por associados eleitos em AGO, com mandato 
nunca superior a 4 (quatro) anos e sendo obrigatória a renovação de no mínimo 
1/3 (um terço) de seus membros, não podendo compor o conselho parentes 
entre si até 2º (segundo grau), em linha reta ou colateral. Respeitando isto, 
todos os associados tem o direito de votar e de serem votados, desde que 
não impedidos por lei como os condenados por crime falimentar, suborno, 
contra a economia popular e etc.
Caso necessário, o CA pode contratar gerentes técnicos ou comerciais que 
não pertençam ao quadro social da cooperativa, definindo suas atribuições 
e salários.
Associados não podem exercer cumulativamente cargos nos órgãos de admi-
nistração e fiscalização.
4.2.3 Conselho Fiscal \u2013 CF
O órgão é responsável pela fiscalização, assídua e minuciosa, da administração 
da cooperativa. É composto por associados da cooperativa, sendo 3 (três) 
membros efetivos e 3 (três) membros suplentes. O mandato é anual e qualquer 
cooperado pode se dispor a participar, mas deverá ser eleito pelos demais 
associados na AGO, sendo permitida a reeleição apenas de 1/3 (um terço) 
de seus membros, ou seja, somente duas pessoas podem se reeleger. Não 
podem fazer parte do CF parentes dos membros do CA até o 2º (segundo 
grau), bem como parentes entre si também até o mesmo grau.
Algumas funções do CF:
\u2022	 Revisar periodicamente o caixa da cooperativa.
\u2022	 Alertar quanto a resoluções, medidas ou acordos feitos pelo CA que con-
trariem aspectos legais ou firam a doutrina cooperativista.
\u2022	 Fazer cumprir as exigências legais.
\u2022	 Planejar o próprio trabalho de fiscalização e monitoramento.
\u2022	 Apurar irregularidades formais.
\u2022	 Avaliar a eficiência dos serviços prestados pela cooperativa.
Saiba mais sobre o Conselho 
de Administração no 
Capítulo IX, Seção IV, da Lei 
nº 5.764/1971 e sobre o 
Conselho Fiscal no Capítulo IX, 
Seção V da mesma lei.
 Constituição e Desenvolvimento de Cooperativase-Tec Brasil 62
Para o bom exercício do cargo, os conselheiros fiscais devem apresentar 
conhecimentos de contabilidade. É importante participarem de atualizações 
na área para manterem um bom nível profissional. Podem inclusive valer-se 
de assessorias de auditoria interna e externa.
4.2.4 Estatuto social
O estatuto social de uma cooperativa é um instrumento de contrato, constituído 
por um conjunto de normas que servem para estruturar administrativamente 
a cooperativa e disciplinar o seu funcionamento. É elaborado pelas pessoas 
interessadas pela criação de uma cooperativa, mas posteriormente, quando 
necessário, pode ser alterado e as mudanças aprovadas na AGE.
Este documento apresenta certa padronização entre as cooperativas, mas não é 
recomendado copiar \u2013 pura e simplesmente \u2013 o estatuto de outra cooperativa, 
visto que cada uma atua em contextos socioeconômicos diversos, que trarão 
influência sobre a administração de cada cooperativa, além das diferenças 
nas áreas de atuação e nos objetivos cooperativos. O estatuto deve refletir 
em profundidade as peculiaridades e a realidade de cada cooperativa.
Seu conteúdo é amplo, tratando, por exemplo, sobre:
\u2022	 Denominação, sede, foro, prazo de duração, área de ação e ano social 
da cooperativa.
\u2022	 Objeto e dos objetivos da cooperativa.
\u2022	 Admissão, demissão, eliminação e exclusão dos associados.
\u2022	 Capital social.
\u2022	 Órgãos sociais (assembleias gerais ordinárias e extraordinárias).
\u2022	 Órgãos administrativos (CA e CF).
\u2022	 Eleições dos conselhos.
\u2022	 Sobras, perdas e fundos.
\u2022	 Livros da cooperativa.
auditoria interna
Assessoria exercida por um ou 
mais funcionários internos da 
cooperativa que acompanham 
e avaliam as operações de 
todo tipo realizadas pela 
administração da cooperativa 
gerando a partir de suas 
observações relatórios que irão 
auxiliar o CF em seus pareceres.
auditoria externa
A diferença da anterior é que a 
assessoria é independente (de 
fora da cooperativa) e exercida 
por uma ou mais pessoas ou 
por empresa contratada para 
assessorar o CF.
demissão
Processo de saída do associado 
da cooperativa, que se dará a 
seu pedido, formalmente dirigido 
ao CA e que não poderá ser 
negado. Para mais informações 
consulte o Capítulo VIII da Lei nº 
5.765/1971.
eliminação 
Processo de saída do associado 
da cooperativa em virtude de 
infração legal ou estatutária. 
Para mais informações consulte 
o Capítulo VIII da Lei nº 
5.765/1971.
exclusão 
Processo de saída do associado 
da cooperativa em virtude da 
dissolução da pessoa jurídica, 
por morte da pessoa física, 
por incapacidade civil ou por 
deixar de atender aos requisitos 
constantes no estatuto social 
de ingresso e permanência na 
cooperativa.
livros
Uma sociedade cooperativa deve 
apresentar livro de matrícula, 
de atas das assembleias 
gerais, de atas dos órgãos 
de administração, de atas do 
conselho fiscal, de presença 
dos associados nas assembleias 
gerais, entre outros (fiscais e 
contábeis obrigatórios). Para 
mais informações consulte o 
Capítulo V da Lei nº 5.764/1971.
e-Tec BrasilAula 4 - Ordenamento interno das cooperativas e os procedimentos para sua constituição 63
\u2022	 Dissolução e liquidação.
\u2022	 Outras disposições gerais e transitórias.
\u2022	 Outros componentes de interesse da sociedade cooperativa.
A elaboração do estatuto social deve ser acompanhada por um advogado, 
que também deverá dar o seu visto (com carimbo) no final do documento. 
Da mesma forma deverá ocorrer com a ata de fundação da cooperativa \u2013 
que veremos mais adiante. Assim, o profissional corrobora como válidos os 
documentos, condição necessária para que os registros da constituição da 
cooperativa possam ser realizados.
Todo o associado tem o direito e o dever de conhecer as normas e regras de 
sua cooperativa. Facilitar o acesso ao estatuto social é atribuição dos órgãos 
administrativos da cooperativa, que tem muito a ganhar com um quadro social 
esclarecido sobre o funcionamento da cooperativa, seus direitos e deveres 
(Quadro 4.3) e seu papel como associado.
Quadro 4.3: Direitos e deveres dos associados
Direitos Deveres
\u2022	 Votar e ser votado.
\u2022	 Participar das assembleias gerais, discutindo e 
votando nos assuntos que nelas forem tratados.
\u2022	 Propor ao conselho de administração, ao conselho 
fiscal, aos demais conselhos que venham a ser 
criados pela cooperativa e nas assembleias gerais, 
medidas de interesse da cooperativa.
\u2022	 Solicitar a demissão da cooperativa, quando lhe 
convier.
\u2022	 Solicitar informações sobre seus débitos e créditos 
com a cooperativa.
\u2022	 Solicitar informações sobre as atividades da 
cooperativa e, a partir da data de publicação 
do edital de convocação da assembleia geral 
ordinária, consultar os livros e peças do balanço 
geral, que devem estar à disposição do associado 
na sede da cooperativa.
\u2022	 Subscrever e integralizar as quotas partes do capital nos 
termos deste estatuto social e contribuir com as taxas de 
serviço e encargos operacionais que forem estabelecidos 
pelas assembleias gerais.
\u2022	 Cumprir com os dispositivos da Lei nº 5.764/71, do 
estatuto social, bem como respeitar as resoluções tomadas 
pelo conselho de administração