Direito Penal   2ª Fase   2ª Prova
40 pág.

Direito Penal 2ª Fase 2ª Prova


DisciplinaDireito Penal I63.512 materiais1.032.828 seguidores
Pré-visualização10 páginas
ou de apresentação de resposta incoerente 
com situação proposta ou de ausência de texto, o examinando receberá nota 
ZERO na redação da peça profissional ou na questão.
2. Resposta Escrita à Acusação/Resposta 
Preliminar
Observações preliminares sobre a peça: \u201cÉ uma peça utilizada após a 
citação do acusado. Após a decisão que recebeu provisoriamente a ação penal, 
O
AB
 2
ª
 fa
se
 \u2013
 D
ire
ito
 P
en
al
8
o juiz abre prazo de 10 (dez) dias para o advogado apresentar a defesa, poden-
do nela alegar tudo (teses preliminares e de mérito) o que entenda necessário, 
devendo arrolar as suas testemunhas, sob pena de preclusão.\u201d
Modelo Prático
Excelentíssimo Senhor Juiz de Direito da _____ Vara Criminal da Comarca 
de ______________, Estado de _______.
ou
Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da ____ Vara Federal da Sub-
secção Judiciária de _______, do Estado de _______,
(pular 2 linhas)
Processo nº __/__
(pular 8 linhas)
 _______, qualificado nos autos da Ação Penal 
que lhe move a Justiça Pública, processo em epígrafe, via de seu advogado e 
procurador que esta subscreve, vem, mui respeitosamente à presença de Vos-
sa Excelência, apresentar RESPOSTA ESCRITA, a que alude o art. 396-A 
do Código de Processo Penal (ou a Legislação Especial ou art. 406, CPP \u2013 
Júri) expondo e requerendo o que segue:
(pular 1 linha)
DOS FATOS
Narrar os fatos em parágrafos de até 4 ou 5 linhas, não repetindo a mesma 
palavra dentro do mesmo parágrafo.
(pular 1 linha)
DA PRELIMINAR
Narrar a preliminar, tal como citação defeituosa, hipótese de rejeição da 
ação penal etc.
Na narrativa da preliminar, podem ser citadas doutrina e jurisprudência, 
além de ficar bem esclarecido o motivo que deu ensejo para essa alegação.
(pular 1 linha)
DO MÉRITO
Narrar a tese de mérito, como hipótese de absolvição sumária, nos termos 
do art. 397 do CPP.
(pular 1 linha)
DOS PEDIDOS
Nesta fase, havendo a arguição de preliminar, deve ser feito o pedido preli-
minar e de mérito. Não havendo arguição de preliminar, mas somente tese de 
mérito, o pedido será apenas em relação à tese alegada.
Fique atento no pedido, para a presença das hipóteses do art. 397 do CPP, 
pois após a apresentação da resposta escrita, os autos serão enviados ao juiz que 
decidirá sob a hipótese de absolvição sumária ou não.
O
AB
 2
ª
 fa
se
 \u2013
 D
ire
ito
 P
en
al
9
Não se esqueça de arrolar testemunhas, realizando a qualificação e reque-
rendo as devidas intimações, como:
ROL DE TESTEMUNHAS:
Nome ___________; qualificação ________; Endereço __________ .
Nome ___________; qualificação ________; Endereço __________ .
Nome ___________; qualificação ________; Endereço __________ .
Nome ___________; qualificação ________; Endereço __________ .
 Nestes termos, 
 Pede deferimento.
 (pular 2 linhas)
 Local e data
 (pular 2 linhas)
 Advogado _________________
 OAB/______ nº _________
3. Casos Referentes à Matéria
Tício foi preso em flagrante pela prática do crime de furto. Houve a decre-
tação de prisão preventiva, que fora revogada a pedido do Ministério Público 
quando do oferecimento da denúncia. A exordial acusatória imputou a Tício a 
figura típica prevista no art. 155 caput do CP, em razão de ter subtraído quatro 
CD de música de uma loja especializada, sendo avaliados em R$ 25,00 (vinte 
e cinco reais) cada qual, totalizando o importe de R$ 100,00 (cem reais). O 
objeto do furto foi integralmente devolvido à vítima. Foram testemunhas dos 
fatos e da devolução dos CD à vítima os Srs. Mévio de Rivera e Sassoferrato 
de Bártolo.
Na data de ontem, Tício foi citado e recebeu cópia da denúncia.
Questão: Apresente a peça cabível para a defesa de Tício.
4. Memoriais/Alegações Finais
Observações preliminares sobre a peça: as Alegações Finais ou \u201cMemo-
riais Escritos\u201d é a peça a ser utilizada após o final da instrução criminal e antes 
da prolação de sentença. Nela as partes fazem um resumo do que consta dos 
autos, sendo a última oportunidade, antes da sentença, para as partes frisarem 
suas teses preliminares e de mérito. 
Com a reforma do CPP (Lei nº 11.719/2008), haverá apresentação de 
Alegações Finais (Memoriais Escritos), quando não puderem ser realizadas 
O
AB
 2
ª
 fa
se
 \u2013
 D
ire
ito
 P
en
al
10
de maneira oral (regra atual). Desta feita, apenas em casos complexos, ou de 
grande número de acusados, haverá a conversão dos memoriais orais em escri-
tos, nos termos do art. 403, § 3º do CPP.
Aqui, para a apresentação da peça em questão, existe processo e existe mo-
mento processual específico, ou seja, após o término da instrução criminal.
Modelo Prático (rito ordinário)
Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da Egrégia ____ Vara Criminal 
da Comarca de ____________, Estado de São Paulo,
ou
Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da ___ Vara Federal da Subsecção 
Judiciária de ____________, Estado de ________,
(pular 2 linhas)
Processo nº __/__
(pular 8 linhas)
 ___________, qualificado nos autos da Ação Penal 
que lhe move a Justiça Pública, por infração ao artigo ____ do ou da ________, 
via de seu advogado e procurador que esta subscreve, vem, mui respeitosamen-
te à douta presença de Vossa Excelência, com fulcro no art. 403 do Código de 
Processo Penal, apresentar MEMORIAIS ESCRITOS, expondo e requeren-
do o quanto segue:
 (pular 1 linha)
 DOS FATOS
 (pular 1 linha)
O presente processo, diz respeito à suposta prática do crime de __________ 
e, segundo consta na exordial, o ora imputado ___________ (narrar os fatos, 
sem que haja a repetição da mesma palavra dentro do mesmo parágrafo, como 
também que o parágrafo tenha, no máximo, entre 4 ou 5 linhas).
 (pular 1 linha)
 DA PRELIMINAR
 (pular 1 linha)
Narrar a tese preliminar, com a menção de doutrina e jurisprudência.
 (pular 1 linha)
 DO MÉRITO
Via de regra este é o momento de articular tese que redunde na absolvição 
do cliente.
 (pular 1 linha)
*Não esquecer de reservar, conquanto não haja consulta, espaço específico 
para colocação de doutrina e jurisprudência, que deve ser assim enunciada, 
por exemplo:
O
AB
 2
ª
 fa
se
 \u2013
 D
ire
ito
 P
en
al
11
\u201cA jurisprudência já afirmou que nos crimes materiais contra a ordem tri-
butária é imprescindível o lançamento, que condiciona a própria tipicidade da 
conduta (Súmula Vinculante nº 24 do STF).\u201d
Ou
A doutrina de Guilherme Nucci tem merecido reiteradas citações dos Tri-
bunais. O eminente autor entende que... (Código Penal, p. ...,). 
Obs.: Importante: o candidato só deve citar jurisprudência ou doutrina que 
conheça, desde que saiba exatamente o nome do livro, do autor ou o número 
do recurso criminal enfrentado pela corte.
 (pular 1 linha)
SUBSIDIARIAMENTE
Aqui o candidato deve mencionar todas as teses alternativas à anulação do 
processo e a absolvição pura e simples. A pertinência da tese dependerá 
do caso concreto.
Apenas para ilustrar, aqui vão algumas teses que o candidato deve saber 
manusear na hora da prova:
Desclassificação (atenção com eventual prescrição ou decadência que 
dela derivar e com a Súmula nº 337 do STJ). Afastamento de qualificadoras. 
Circunstâncias judiciais favoráveis. Reconhecimento de atenuantes. Afasta-
mento de agravantes e causas de aumento. Reconhecimento de causas de 
diminuição. Concurso de crimes mais favorável ao agente. Regime inicial 
de cumprimento de pena menos gravoso. Substituição da pena por restriti-
va de direitos, ou pena de multa. Sursis. Recurso em liberdade. Negativa de 
indenização. Negativa aos efeitos do art. 91 do CP.
5. Considerações Finais (Considerações 
Derradeiras)
 (pular 1 linha)
A acusação não logrou provar o que imputara na denúncia e as provas pro-
duzidas impõem a prolação de uma sentença absolutória