48403 OABDPE2 11122013
188 pág.

48403 OABDPE2 11122013


DisciplinaDireito Penal I63.390 materiais1.031.600 seguidores
Pré-visualização43 páginas
V \u2013 aborto:
Pena \u2013 reclusão, de dois a oito anos.
§ 3º Se resulta morte e as circunstâncias evidenciam que o agente não quis 
o resultado, nem assumiu o risco de produzi-lo:
Pena \u2013 reclusão, de quatro a doze anos.
D
ire
ito
 P
en
al
 \u2013
 P
ar
te
 E
sp
ec
ia
l
24
Diminuição de pena
§ 4º Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor 
social ou moral ou sob o domínio de violenta emoção, logo em seguida a in-
justa provocação da vítima, o juiz pode reduzir a pena de um sexto a um terço.
Substituição da pena
§ 5º O juiz, não sendo graves as lesões, pode ainda substituir a pena de 
detenção pela de multa, de duzentos mil réis a dois contos de réis:
I \u2013 se ocorre qualquer das hipóteses do parágrafo anterior;
II \u2013 se as lesões são recíprocas.
Lesão corporal culposa
§ 6º Se a lesão é culposa: 
Pena \u2013 detenção, de dois meses a um ano.
Aumento de pena
§ 7º No caso de lesão culposa, aumenta-se a pena de um terço, se ocorre 
qualquer das hipóteses do art. 121, § 4º.
§ 7º Aumenta-se a pena de 1/3 (um terço) se ocorrer qualquer das hipóteses 
dos §§ 4º e 6º do art. 121 deste Código.
§ 8º Aplica-se à lesão culposa o disposto no § 5º do art. 121
Violência Doméstica
§ 9º Se a lesão for praticada contra ascendente, descendente, irmão, côn-
juge ou companheiro, ou com quem conviva ou tenha convivido, ou, ainda, 
prevalecendo-se o agente das relações domésticas, de coabitação ou de hospi-
talidade:
Pena \u2013 detenção, de 3 (três) meses a 3 (três) anos.
§ 10. Nos casos previstos nos §§ 1º a 3º deste artigo, se as circunstâncias são 
as indicadas no § 9º deste artigo, aumenta-se a pena em 1/3 (um terço).
§ 11. Na hipótese do § 9º deste artigo, a pena será aumentada de um terço 
se o crime for cometido contra pessoa portadora de deficiência.\u201d
A lesão será leve quando não produzir incapacidade para ocupações habi-
tuais por mais de 30 dias, perigo de vida, debilidade permanente de membro, 
sentido ou função, aceleração de parto, incapacidade permanente para o traba-
lho, enfermidade incurável, perda ou inutilização de membro, sentido ou fun-
ção, deformidade permanente, aborto e lesão corporal seguida de morte, ou 
seja, o critério para que reste configurada a lesão leve é o critério da exclusão: 
há delito de lesão corporal leve sempre que o fato não se enquadra na descrição 
dos §§ 1º e 2º do art. 129, que definem as lesões graves e gravíssimas. 
Com o advento da Lei nº 9.099/1995, os crimes de lesões corporais leves e 
de lesões corporais culposas, continuam sendo de ação penal pública, porém, 
pública condicionada à representação do ofendido, conforme o art. 88 da Lei 
nº 9.099/1995.
D
ire
ito
 P
en
al
 \u2013
 P
ar
te
 E
sp
ec
ia
l
25
Exercício
13. (Técnico Judiciário TJ-MG \u2013 2005) Tício, durante uma discussão com 
Mévia, sua esposa, desfere-lhe um disparo de arma de fogo, que a atin-
ge na altura do pescoço. Mévia, apesar de ferida, permanece com vida. 
No momento em que a vê ensanguentada, Tício, arrependido de haver 
efetuado o disparo, deixa de prosseguir na execução do crime de homi-
cídio e leva a esposa ao hospital mais próximo. O ferimento não afeta 
qualquer órgão, sentido ou função de Mévia, causando-lhe apenas feri-
mentos de natureza leve.
Considerando-se o caso descrito, é CORRETO afirmar que a conduta 
de Tício deve ser tipificada como:
a) Homicídio simples, na modalidade tentada. 
b) Lesões corporais graves. 
c) Lesões corporais graves, na modalidade tentada. 
d) Lesões corporais leves.
2. Lesão Corporal Grave
2.1 Apresentação
Nesta unidade, serão abordadas as lesões corporais, crimes previstos no 
art. 129 do Código Penal. Será vista a figura da lesão corporal grave, 
prevista no § 1º, do art. 129. 
2.2 Síntese
A lesão corporal de natureza grave está prevista no § 1º do art. 129 do Có-
digo Penal. Vejamos:
\u201cLesão corporal de natureza grave
§ 1º Se resulta:
I \u2013 incapacidade para as ocupações habituais, por mais de trinta dias;
II \u2013 perigo de vida;
III \u2013 debilidade permanente de membro, sentido ou função;
IV \u2013 aceleração de parto:
Pena \u2013 reclusão, de um a cinco anos.\u201d
A lesão corporal de natureza gravíssima está prevista no § 2º do art. 129 do 
Código Penal e resulta da:
D
ire
ito
 P
en
al
 \u2013
 P
ar
te
 E
sp
ec
ia
l
26
\u201cI \u2013 incapacidade permanente para o trabalho;
II \u2013 enfermidade incurável;
III \u2013 perda ou inutilização do membro, sentido ou função;
IV \u2013 deformidade permanente.\u201d
O crime de lesão corporal grave são aquelas lesões que são as lesões de 
vulto, grandes, ponderáveis. 
Exercícios
14. (Defensor Público da União \u2013 2010) Para a configuração da agravante 
da lesão corporal de natureza grave em face da incapacidade para as 
ocupações habituais por mais de trinta dias, não é necessário que a 
ocupação habitual seja laborativa, podendo ser assim compreendida 
qualquer atividade regularmente desempenhada pela vítima. 
15. (Agente Federal da Polícia Federal \u2013 2004) Em cada um dos itens se-
guintes, é apresentada uma situação hipotética, seguida de uma asser-
tiva a ser julgada. 
Vítor desferiu duas facadas na mão de Joaquim, que, em consequência, 
passou a ter debilidade permanente do membro. Nessa situação, Vítor 
praticou crime de lesão corporal de natureza grave, classificado como 
crime instantâneo. 
3. Lesão Corporal Grave \u2013 Antecipação 
do Parto, Incapacidade Permanente e 
Enfermidade Incurável
3.1 Apresentação
Nesta unidade, serão abordadas as lesões corporais, crimes previstos no 
art. 129 do Código Penal. Será vista a figura da lesão corporal gravíssi-
ma, prevista no § 2º, do art. 129. A rubrica do artigo não traz a denomi-
nação \u201cgravíssima\u201d, porém, é usual na doutrina e na jurisprudência o uso 
sistemático desta terminologia. 
3.2 Síntese
De acordo com o inciso IV, § 1º, do art. 129 do Código Penal:
\u201cOfender a integridade corporal ou a saúde de outrem:
§ 1º Se resulta:
D
ire
ito
 P
en
al
 \u2013
 P
ar
te
 E
sp
ec
ia
l
27
IV \u2013 aceleração de parto: 
Pena \u2013 reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos.\u201d
É indispensável do ponto de vista médico legal ou jurídico, que o produto 
da concepção venha à luz com vida. Se o feto morrer, o evento será o aborto, 
previsto no § 2º. 
A perícia deverá ser realizada tendo o vista a gestante e o feto. No feto, 
deverá ser provado que é prematuro e que nasceu vivo.
O crime de lesão corporal de natureza gravíssima tem suas hipóteses reu-
nidas no § 2º; são as espécies que pelo maior dano vital merecem retribuição 
penal mais elevada. São elas: 
I \u2013 incapacidade permanente para o trabalho; 
II \u2013 enfermidade incurável; 
III \u2013 perda ou inutilização do membro, sentido ou função;
IV \u2013 deformidade permanente;
V \u2013 aborto. 
A incapacidade permanente para o trabalho, constante do inciso I, é o esta-
do de quem é ou está incapaz de realizar o trabalho. A impossibilidade deverá 
ser permanente. Entende-se por trabalho a atividade que o indivíduo exerce 
conscientemente para fins econômicos. Trabalho que deve ser honesto e lícito.
O inciso II traz a enfermidade incurável, que é a doença irremediável, ne-
cessita existir séria alteração na saúde. Tem como pressupostos:
a) está implícita a incurabilidade, pois é um fato consolidado;
b) está explícita que é a falta ou perturbação de uma ou mais funções, isto é, 
é a alteração ou abolição definitiva de uma ou mais funções, seja de 
natureza congênita ou não; 
c) está explícita que apesar do transtorno da função ou das funções, goza a 
pessoa de relativo grau de saúde.
Exercício
16. (Magistratura \u2013 SP \u2013 2000) Pode-se aceitar como configurada a debi-
lidade permanente de membro se, em decorrência da lesão corporal 
sofrida, a vítima:
a) Sofre paralisia de um braço;
b) Perde um dedo da mão;
c) Perde uma das mãos; ou 
d) Perde totalmente um dos braços.