TCC ALESSANDRO MARTINS MACHADO ROSA
59 pág.

TCC ALESSANDRO MARTINS MACHADO ROSA


DisciplinaAnálise Estrutural I5.725 materiais42.055 seguidores
Pré-visualização14 páginas
para esse tipo de empreendimento. Stoltz (2008), em estudo semelhante para cidade 
de Ijuí \u2013 RS, obteve um período de retorno satisfatório avaliados em 5, 7 e 10 anos de 
implantação da usina. 
Vale ressaltar que esses valores de 5,75 anos para a implantação da usina simples e 6,38 
anos para a implantação da usina completa na realidade podem ser menores. Isto porque, além 
de ter sido desprezada a receita do primeiro ano de funcionamento das usinas, foi admitida a 
comercialização de somente 85% do reciclado de entulho e não foi acrescido ao ano seguinte 
os 15% não comercializado no ano anterior. 
Aplicando o valor presente líquido para toda a vida útil das usinas, ou seja, nos 20 anos 
de horizonte de projeto, o valor obtido para os dois tipos de usina foi superior a cinco vezes o 
valor investido. 
Uma vez que, admitido que o empreendimento fosse implantado pela própria prefeitura 
de Catalão, o material reciclado produzido poderia ser utilizado nas obras da prefeitura, 
reduzindo os custos com a compra de agregados e, portanto, reduzindo sensivelmente também 
o período de retorno do investimento. Para a estimativa da redução dos custos com agregados 
pela prefeitura foi procurado os Órgãos Competentes para a obtenção de dados, que por sua 
vez, não foram suficientes para a finalização do referente estudo. 
A implantação pela prefeitura da usina abre caminho para a parceria com cidades 
vizinhas próximas a Catalão, tanto na geração de RCD nessas cidades como no 
beneficiamento do produto reciclado em obras nas cidades, garantindo uma maior geração de 
RCD e também uma maior comercialização do RCD reciclado, diminuindo ainda mais os 
períodos de retorno das usinas. 
55 
 
 
A viabilidade do empreendimento em termos econômicos, sociais e ambientais estará 
condicionada a regulamentação de uma política municipal de destinação final do entulho, com 
a criação de Eco-pontos para coleta, conscientização do proprietário construtor e a exigência 
de consulta da secretária de obras a SEMMAC (parecer ambiental) no inicio e no final da 
obra, dentre outras providencias. 
Vale ressaltar que não foi computado nessa analise o ganho em termos ambientais e de 
saúde publica, como por exemplo, a redução do impacto visual, do assoreamento em áreas de 
riscos, de vetores, etc. 
 
 
5 \u2013 CONSIDERAÇÕES FINAIS 
 
 
Com base nos resultados obtidos a proposta de usina de reciclagem de entulho para 
atender a cidade de Catalão se mostrou economicamente viável para os cenários avaliados. 
Acredita-se que a implantação da usina completa é mais viável que a implantação da 
usina simples, pois o beneficiamento tanto com os tipos de materiais reciclados e a venda 
durante o horizonte de projeto é maior, obtendo uma maior diversidade de material reciclado e 
ampla aplicação nas obras de engenharia. 
A gestão dos resíduos gerados pelas construções e demolições nos municípios, como 
apresentado, é obrigatório sendo de responsabilidade dos geradores e do próprio município, 
além de se fazer importante para a destinação adequada do mesmo, que por sua vez, o RCD 
possui grandezas consideráveis, e que para não serem depositados em áreas irregulares, têm-
se as propostas de reciclagem e reutilização do resíduo, pois este, possui características 
diversas, em que, separados adequadamente, podem ser reciclados e utilizados na própria 
construção civil, substituindo algumas matérias primas que se tornam cada vez mais escassas 
no mundo. 
Há de se considerar outros benefícios decorrentes do empreendimento, notadamente os 
de natureza ambiental, tais como o aumento da vida útil dos aterros, a diminuição da poluição 
visual, do assoreamento de rios, de vetores causadores de doenças entre outros. 
56 
 
 
6 \u2013 REFERENCIAS 
 
 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT, Rio de Janeiro. 
NBR 6467 - Agregados: determinação do inchamento do agregado miúdo, 
especificação. Rio de Janeiro, 1987. 5 p. 
 
NBR 7211 - Agregados para concreto, especificação. Rio de Janeiro, 1982. 9p. 
 
 
NBR 7217 - Agregado: determinação da composição granulométrica, especificação. 
Rio de Janeiro, 1987. 5 p. 
 
NBR 7251 - Agregado em estado solto: determinação da massa unitária, 
especificação. Rio de Janeiro, 1982. 3 p. 
 
BRASIL. CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE (CONAMA). Resolução 
CONAMA nº 307 - Diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos 
resíduos da construção civil, 2002. 
 
ALARCON, L. F. Tools for the identification and reduction of waste in construction 
projects. Rotterdam: A.A. Bolkema, 1997. 
 
ÂNGULO. S.C. Variabilidade de agregados graúdos de resíduos da construção e 
demolição reciclados. 2000. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) \u2013 
Universidade Politécnica, São Paulo, 2000. 
 
A.F., SILVA FILHO; W.A., MOURA; R.S., LEITE. Caracterização de escória de 
ferrocromo como agregado graúdo para produção de concreto. Sitientibus, n. 26, p. 
95-110, 2002. 
 
CAMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO \u2013 CBIC. Banco de 
dados. Disponível em: aaaahttp://www.cbicdados.com.br/menu/pib-e-investimento/pib-
brasil-e-construcao-civil. Acesso em: 17/03/2013. 
 
D I J K E M A , G . P . J . ; R E U T E R , M . A . ; V E R H O E F , E . V . A n e w 
p a r a d i g m f o r w a s t e management. Waste Management, vol. 20. Pergamon, 
March, 2000, p. 633-638. 
 
FERRAZ, A. L. N., SEGANTINI, A. A. S., Engenharia sustentável: Aproveitamento 
de resíduos de construção na composição de tijolos de solo-cimento, 2004. 
 
FRAGA, M.F. Panorama da Geração de Resíduos da Construção Civil em Belo 
Horizonte: Medidas de Minimização com base no projeto e Planejamento de obras. 
 
GONZALEZ, M.A.S.; RAMIRES, M.V.V. Análise de gestão dos resíduos gerados 
dentro dos canteiros de obras. In: IV SIBRAGEC, I ELAGEC, 2005, Porto Alegre. 
Anais... Porto Alegre, 2005. 
 
57 
 
 
GONÇALVEZ, J. A. da S., Resíduos da construção civil, o que são e como produzi 
los com políticas públicas na cidade de Ribeirão Preto \u2013\u2013 UFSCar, s/d. 
 
GOMES, A. de O., SAMPAIO, T. S.; CARNEIRO, A. P., Estudo da viabilidade da 
produção de argamassas de revestimento com entulho reciclado de Salvador. In: II 
Encontro nacional e I Encontro Latino Americano sobre edificações e comunidades 
sustentáveis, 2001. 
 
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA \u2013 IBGE. Pesquisa 
anual da industria da construção. Rio de Janeiro, v. 20, p.1-96, 2010a. 
 
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA \u2013 IBGE. Pesquisa 
Nacional do Saneamento Básico de 2008. Rio de Janeiro, v. 20, p.1-96, 2010b. 
 
JOHN, V.M. Reciclagem de resíduos na construção civil: contribuição à 
metodologia de pesquisa e desenvolvimento. Tese (Livre Docência) \u2013 USP, São 
Paulo, 2000. 
 
KARPINSK, Luisete Andreis [et al.] Gestão diferenciada de resíduos da construção 
civil : uma abordagem ambiental \u2013 Porto Alegre : Edipucrs, 2009. 
 
LEVY S., Desafios Enfrentados pelos Agregados Reciclados, da Produção à 
Comercialização. In: IBRACON 2006. 
 
MIRANDA, L. F. R, SELMO, S. M. de S., Desempenho de revestimentos de 
argamassa com entulho reciclado. Boletim técnico da Escola Politécnica da USP, 
2001. 
 
MONTEIRO, J.H.P.; FIGUEIREDO, C. E. M.; MAGALHÃES, A. F.; MELO, M. A.F.; 
BRITO, J. C. X.; ALMEIDA, T. P. de; MANSUR, G. L.. Manual de Gerenciamento 
Integrado de resíduos sólidos. Rio de Janeiro, IBAM, 2001. 195p. 
 
MULLER, G. Desenvolvimento sustentável: notas para a elaboração de um 
esquema de referência. In: Desenvolvimento sustentável: necessidade e/ou 
possibilidade? 4ª. ed. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2002. 121 - 142. 
 
 
PENG, C. et al., Strategies for successful