FAST SOLUTION NETWORK

FAST SOLUTION NETWORK


DisciplinaRedes de Computadores18.429 materiais245.742 seguidores
Pré-visualização9 páginas
na figura. Um servidor (principal) está ativamente a processar pedidos dos clientes e a prestar os serviços em situações normais, enquanto o outro servidor (failover) está a monitorizar o servidor principal para assumir e executar os serviços, se este falhar. 
O sistema primário é monitorizado, com verificações ativas em intervalos de poucos segundos para garantir que o sistema principal está a funcionar corretamente. Quando o cluster é composto apenas por dois servidores, a monitorização pode ser feita através de um cabo dedicado que interliga as duas máquinas, ou através da rede. O sistema que realiza a monitorização pode ser o computador de failover ou um sistema independente (chamado controlador de cluster). 
Do ponto de vista do cliente, as aplicações são acessíveis através de um nome DNS que por sua vez está mapeado a um endereço IP virtual que pode flutuar de uma máquina para outra, dependendo de qual máquina que está ativa. Em caso de falha do sistema ativo, ou falha de componentes associados com este sistema, tais como hardware de rede, o sistema de monitorização irá detectar a falha e o sistema de failover assumirá a operação do serviço. 
Um elemento-chave das soluções de failover clusterizado é que ambos os computadores partilham um sistema de arquivos comum. Uma abordagem é fornecer este sistema usando um RAID (Redundant Array of Independent Disks) de portas duplas, para que o subsistema de disco não seja dependente de nenhuma drive isolada. Outra possibilidade é a utilização de uma SAN (Storage Area Network). 
Imagem 29 \u2013 Cluster Failover
Um cluster de failover fornece: Alta disponibilidade, reduzindo os tempos de inatividade não planeados e aumentando a intensidade dos serviços e aplicações a alta escalabilidade permite aos administradores atribuir até 16 nós a um cluster melhorando o desempenho e disponibilidade o que significa que torna o sistema mais escalável, pois permite o crescimento incremental.
Num cluster de failover, todos os nós do cluster estão cientes dos recursos partilhados com todos os outros nós e da sua disponibilidade de serviços. Assim, quando um recurso ou hardware falhar, o serviço de cluster pode transferir automaticamente as cargas de trabalho em execução num nó para outro. 
5.9 \u2013 Sistema de Logins da Empresa Bem Longe
Definimos como melhor opção utilizar os serviços do AD (Active Directory), sendo assim a estrutura da empresa estará baseada neste item por se destacar a proposta de criar um login para cada funcionário e ou criar uma diretriz para determinado grupo ou estação ex: (RH, VENDAS, GERENCIA, DIRETORIA, OPERACIONAL, ETC\u2026) com as políticas de acesso pré definidas. 
Assim teremos a estrutura abaixo descrito e vinculadas ao serviço do AD.
sintaxe: 
<primeiro nome . sobrenome>
Joao.medeiros senha padrão de primeiro acesso \u201cbemlonge\u201d após inserir senha será alterado para uma senha pessoal e intransferível.
 																													Imagem 30 \u2013 Sistema de login
					
Caso o usuário venha a esquecer a senha o mesmo deve informar seu superior para que seja enviada a solicitação para a equipe de suporte a servidores providencie o reset da senha.
Caso o funcionário seja desligado deverá ser informado a equipe de suporte a servidores para que possamos desmembrar este funcionário de determinado departamento.
Com seus respectivos logins o usuário terá a autonomia (claro dentro das políticas estabelecidas pela empresa e definidas no AD) e independente do departamento que este venha trabalhar de guardar seus documentos e arquivos pessoais.
6 \u2013 INFRAESTRUTURA
6.1 \u2013 Solução de Interligação Entre as Localidades
Uma solução para a interligação entre as localidades é a utilização de operadoras de internet, e utilizando uma VPN (Virtual Private Network), podemos manter a confidencialidade, autenticação e integridade da rede.
Por fins de redundância do link e prover a alta disponibilidade dos recursos, propomos que cada localidade tenha 2 links de internet do qual detalharemos no tópico 5.
6.1.1 \u2013 Planos Empresariais
Segue abaixo as cotações dos serviços de Banda Larga Empresarial:
Fornecedora do serviço VIVO
Link ADSL de 15 MB no valor R$ 119,90. Disponível apenas para São Paulo.
Link ADSL de 5 MB no valor R$ 89,90. Disponível apenas para São Paulo.
Fornecedora de serviço GVT
Link ADSL de 25 MB no valor R$ 99,90, mais taxa de instalação de R$ 49,90. Disponível apenas para São Paulo.
Link ADSL de 15 MB no valor R$ 99,90, mais taxa de instalação de R$ 49,90. Disponível para todas as filiais.
Fornecedora de serviço OI VELOX
Link ADSL de 2 MB no valor de R$ 34,90 disponível para todas as filiais. 
Os Links ficaram disponíveis após a avaliação técnica da localidade desejada e envio da documentação da empresa para analise.
6.2 - Topologia Física WAN com os Roteadores, Links e Protocolo de Roteamento
A topologia física WAN conta com 12 roteadores Cisco 2811 utilizando o protocolo OSPF e HSRP e 2 links de internet para cada localidade.
Optamos por utilizar o protocolo dinâmico OSPF pela sua eficiência e visando um crescimento das redes da empresa, o OSPF também trabalha com balanceamento de carga, utilizando os dois links contratados aumentando a eficiência da rede.
O protocolo HSRP foi utilizado para a redundância das LANs, ou seja, quando o roteador principal cair, o roteador secundário se torna o gateway da rede, mantendo o bom funcionamento tanto das WANs quanto das LANs.
Os dois links de internet prevê redundância nos links, caso um dos links falhem, a localidade não ficará sem acesso a outras localidades, trabalhando com uma velocidade reduzida.
Na Matriz utilizaremos um link principal de 25 MB e um secundário de 15 MB, enquanto na Unidade Fabril, será utilizado um link principal de 25 MB e um secundário de 4 MB, nas filiais serão utilizados como links principais de 15 MB e secundário de 2 MB.
Imagem 31 \u2013 Topologia WAN
6.3 \u2013 Topologia Lógica com a Estrutura de Ips Definida
6.3.1 \u2013 Estrutura de IP da Matriz
A matriz contará com 2 servidores trabalhando em cluster, 150 computadores, 10 impressoras, 4 câmeras IP, 2 roteadores e 9 switches, onde contará com uma infraestrutura lógica de IP\u2019s com 4 IP\u2019s válidos, sendo 2 para link de internet, garantindo a redundância da rede e 2 para os servidores. Quanto aos outros equipamentos, terão IP\u2019s através do NAT.
O range de IP da Matriz em São Paulo é 192.168.0.0, contando com 2 IPs válidos para os servidores (200.200.1.2/29 e 200.200.1.3/29) e 2 links de internet (200.200.1.49/30 e 200.200.1.73/30). 
Imagem 32 \u2013 Estrutura de IP Matriz
6.3.2 \u2013 Estrutura de IP da Unidade Fabril
A Unidade Fabril conta com o antigo servidor como Backup para os servidores da Matriz, 10 computadores, 2 impressoras, 2 roteadores e 1 switches, onde contará com uma infraestrutura lógica de IPs com 3 IPs válidos, sendo 2 para link de internet, garantindo a redundância da rede e 1 para o Servidor de Backup. Quanto aos outros equipamentos, terão IPs através do NAT.
O range de IP da Unidade Fabril é 192.168.1.0, contando com 1 IP válido para o servidor (200.200.1.14/29) e 2 links de internet (200.200.1.53/30 e 200.200.1.77/30). 
Imagem 33 \u2013 Estrutura de IP Unidade Fabril
6.3.3 \u2013 Estrutura de IP da Filial de Pernambuco
A Filial de Pernambuco conta 10 computadores, 2 impressoras, 2 roteadores e 1 switch, onde contará com uma infraestrutura lógica de IPs com 2 IPs válidos, sendo os 2 para link de internet, garantindo a redundância da rede. Quanto aos outros equipamentos, terão IPs através do NAT.
O range de IP da Filial de Pernambuco é 192.168.2.0 e 2 links de internet (200.200.1.57/30 e 200.200.1.81/30). 
Imagem 34 \u2013 Estrutura de IP Filial Pernambuco
6.3.4 \u2013 Estrutura de IP da Filial do Rio de Janeiro
A Filial do Rio de Janeiro conta 10 computadores, 2 impressoras, 2 roteadores e 1 switch, onde contará com uma infraestrutura lógica de IPs com 2 IPs válidos, sendo os 2 para link de