protocolos exames laboratoriais
294 pág.

protocolos exames laboratoriais


DisciplinaBiomedicina2.549 materiais3.684 seguidores
Pré-visualização50 páginas
do exame Aumento (10 -30%) 
Fase pré-menstrual Aumento (10 \u2013 30%) Ciclo menstrual Fase menstrual Diminuição (10 \u2013 30%) 
Gravidez (sem deficiência de ferro) Aumento 
Ingestão de ferro (medicamentos e 
complexos vitamínicos) Aumento (valores >300 µg/dL) 
Uso de anticoncepcionais orais Aumento (valores >200 µg/dL) 
Contaminação de materiais utilizados 
na coleta e realização do exame Aumento (valores >170 µg/dL) 
Hepatites Aumento (valores >1000 µg/dL) 
Processo infeccioso agudo Diminuição 
Imunização Diminuição 
Infarto agudo do miocárdio Diminuição 
Hepatites virais Aumento 
Kwashiokor Diminuição 
 
 
8.4 Exames relacionados 
 
\ufffd Determinação da capacidade total de ligação do ferro 
\ufffd Índice de Saturação da transferrina 
\ufffd Dosagem de ferritina 
\ufffd Hemograma 
 
9. COMENTÁRIOS DO PATOLOGISTA CLÍNICO 
\ufffd Os distúrbios do metabolismo do ferro, em especial, sua deficiência, apresentam 
elevada prevalência na prática clínica. Na investigação desses distúrbios, o 
resultado isolado da dosagem de ferro sérico tem valor limitado, devendo ser 
empregada em conjunto com outros testes, como a determinação da capacidade 
total de ligação do ferro, a saturação da transferrina e dosagem da ferritina. 
\ufffd Muitos fatores influenciam a dosagem de ferro no soro, incluindo a variação 
biológica intra-individual que pode ser de até 27%, assim os resultados devem ser 
 
 
 
interpretados com cautela. Além disso, muitos indivíduos com deficiência de ferro 
têm valores séricos de ferro dentro da faixa de referência. 
\ufffd A concentração de ferro no soro se mostra diminuída nos estados de deficiência 
de ferro que pode ser decorrente do aporte insuficiente de ferro na dieta, do 
aumento da demanda deste elemento, da perda crônica de sangue ou da 
combinação desses fatores. O aporte insuficiente é freqüentemente observado em 
lactentes alimentados exclusivamente com leite, enquanto que o aumento da 
demanda é encontrado em gestantes e crianças até os 5 anos de idade. A perda 
crônica de sangue é característica de indivíduos adultos, podendo estar 
relacionada com metrorragia ou neoplasias, especialmente do trato gastrintestinal. 
\ufffd A dosagem de ferro no soro é útil na investigação das anemias hipocrômicas e 
microcíticas, sendo que, para o diagnóstico diferencial, é necessária a 
determinação da capacidade total de ligação do ferro, da saturação da transferrina 
e, muitas vezes, a dosagem da ferritina. A tabela seguinte mostra os resultados 
esperados para esses exames, de acordo coma a causa da anemia. 
 
Resultados esperados Causas de anemia 
hipocrômica e 
microcítica Ferro CTLF 
Saturação 
da 
Transferrina 
Ferritina 
Anemia ferropriva Diminuído Aumentado Diminuído Diminuído 
Processos inflamatórios 
crônicos e neoplasias Diminuído Diminuído Diminuído Aumentado 
Talassemia Aumentado Diminuído Aumentado Elevado 
 
\ufffd O aumento da concentração sérica do ferro é observado na hemocromatose e no 
envenenamento agudo por ferro em crianças após a ingestão de medicamento a 
base de ferro. Para a avaliação dos distúrbios na sobrecarga de ferro é 
necessária, também, a determinação da capacidade total de ligação do ferro e da 
saturação da transferrina. 
 
 
10. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
 
ANDREWS NC. Disorders of iron metabolism. New Eng J Med, 1999, 341 (26):1986-95. 
BURTIS CA, Ashwood ER, Bruns DE eds. Tietz Textbook of Clinical Chemistry and 
Molecular Diagnostic. 4a. Ed. St. Louis: Elsevier & Saunders, 2006:797-835. 
MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Saúde. Atenção à Saúde do Adolescente. Belo 
Horizonte, 2006. 
MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Saúde. Atenção à Saúde do Idoso. Belo 
Horizonte, 2006. 
MINAS GERAIS.Secretaria de Estado da Saúde. Atenção à Saúde da Criança. Belo 
Horizonte, 2004. 
 
 
 DETERMINAÇÃO DA CAPACIDADE TOTAL DE LIGAÇÃO DO FERRO 
 
1. NOME DO EXAME 
 
\ufffd Determinação da capacidade total de ligação do ferro (sangue) 
 
1.1 Sinonímia 
 
\ufffd CTLF 
\ufffd Capacidade de ligação do ferro 
 
2. INDICAÇÃO CLÍNICA 
 
\ufffd A determinação da capacidade total de ligação do ferro está indicada, juntamente 
com a dosagem de ferro sérico, na avaliação de distúrbios do metabolismo do 
ferro \u2013 deficiência ou excesso, bem como na investigação da etiologia de 
anemias, especialmente naquelas hipocrômicas e microcíticas. 
 
3. PREPARO DO PACIENTE 
 
\ufffd Jejum mínimo de 4 horas \u2013 obrigatório 
 
4. AMOSTRA 
 
\ufffd Soro 
 
5.CUIDADOS PARA COLETA 
 
\ufffd Nenhum cuidado especial 
\ufffd Ver Anexo 1 \u2013 Orientações para Coleta de Sangue Venoso. 
 
6. ORIENTAÇÃO PARA TRANSPORTE E ARMAZENAMENTO 
 
\ufffd Recomenda-se separar o soro ou plasma até 3 horas após a coleta. Caso isso 
não seja possível manter a amostra de sangue entre 20 \u2013 25 °C por até 24 horas, 
em recipiente fechado. 
\ufffd Após a obtenção do soro ou plasma, caso o exame não possa ser prontamente 
realizado, recomenda-se manter a amostra refrigerada entre 4 \u2013 8° C por até 6 
dias, em recipiente fechado. 
 
7. MÉTODOS MAIS UTILIZADOS NO LABORATÓRIO CLÍNICO 
 
\ufffd Colorimétrico 
 
8. INTERPRETAÇÃO 
8.1 Valores de referência 
 
Observação: Os valores de referência podem variar em função do método e do reagente 
 
 
utilizado, portanto, estes valores devem estar claramente citados nos laudos de resultados 
dos exames laboratoriais. 
 
Determinação da capacidade total de ligação do ferro 
Faixa Etária µg/dL 
(Unidades Convencionais) 
µmol/L 
(Unidades Internacionais) 
Lactente 100 \u2013 400 17,9 \u2013 71,6 
Criança 250 \u2013 450 44,7 \u2013 80,5 
Adulto 250 \u2013 450 44,7 \u2013 80,5 
 
 
8.2 Valores críticos 
 
\ufffd Não se aplica 
 
8.3 Principais influências pré analíticas e fatores interferentes 
 
Condição Efeito sobre a capacidade total de ligação do ferro 
Hemólise Aumento 
Ingestão de ferro (medicamentos e 
complexos vitamínicos) Diminuição 
Uso de anticoncepcionais orais Aumento 
Hepatites virais Aumento 
Kwashiokor Diminuição 
 
8.4 Exames relacionados 
 
\ufffd Dosagem de ferro 
\ufffd Índice de saturação da transferrina 
\ufffd Dosagem de ferritina 
\ufffd Hemograma 
 
9. COMENTÁRIOS DO PATOLOGISTA CLÍNICO 
 
\ufffd A determinação da capacidade total de ligação do ferro corresponde a medida 
indireta da transferrina, representando a concentração máxima de ferro que pode 
ser transportada por essa proteína. Os resultados dessa determinação devem ser 
sempre interpretados juntamente com os da dosagem de ferro sérico, saturação 
da transferrina e, muitas vezes, com a de ferritina. 
\ufffd Muitos fatores influenciam a determinação da capacidade de ligação do ferro, 
assim os resultados devem ser interpretados com cautela. Além disso, muitos 
indivíduos com deficiência de ferro têm valores da capacidade de ligação total do 
ferro dentro da faixa de referência. 
\ufffd A determinação da capacidade total de ligação do ferro se mostra aumentada nos 
estados de deficiência de ferro que podem ser decorrentes do aporte insuficiente 
de ferro na dieta, do aumento da demanda deste elemento, da perda crônica de 
sangue ou da combinação desses fatores. O aporte insuficiente é freqüentemente 
observado em lactentes alimentados exclusivamente com leite, enquanto que o 
aumento da demanda é encontrado em gestantes e crianças até os 5 anos de 
idade. A perda crônica de sangue é característica de indivíduos adultos, podendo 
estar relacionada com metrorragia ou neoplasias, especialmente do trato 
gastrointestinal. 
\ufffd A determinação da capacidade total de ligação do ferro, juntamente com a 
 
 
dosagem de ferro, a saturação da transferrina e, muitas vezes, a dosagem da 
ferritina, é útil na investigação das anemias hipocrômicas e microcíticas. A tabela 
seguinte mostra os resultados esperados para esses exames, de acordo coma a 
causa da anemia. 
 
Resultados esperados Causas de anemia 
hipocrômica e 
microcítica Ferro