tese leila benitez
254 pág.

tese leila benitez


DisciplinaGeologia7.434 materiais59.763 seguidores
Pré-visualização50 páginas
é a área que apresenta a menor quantidade de diamantes na 
amostra estudada (5,21%). A Figura 59 permite uma melhor visualização da distribuição de 
diamantes de acordo com sua região de produção. 
 
 
Região
%
Se
rra
 da
 Ca
na
str
a
Rio
 Je
qu
itin
ho
nh
a
No
roe
ste
 S
ão
 Fr
an
cis
co
Dis
tri
to 
Je
qu
ita
í
Dis
trit
o G
rão
 M
og
ol
Da
tas
/Ex
tra
çã
o
Alt
o P
ar
an
aíb
a
30
25
20
15
10
5
0
Distribuição dos diamantes, por Região
 
 
Figura 59: Gráfico denotando o percentual de diamantes estudados, por região de Minas 
Gerais. 
 
 
Os parâmetros estudados em lotes de diamantes, segundo características de ordem 
primária ( peso, forma, cor, pureza e dissolução) e de ordem secundária (quebras, capas e 
qualificação comercial), são apresentados, em análise descritiva, a seguir. 
Conforme observa-se na Tabela 16, em geral, do total de diamantes amostrados, 
aqueles com baixo peso (entre 0,01 e 0,25) são mais frequentes (39,5%), enquanto os 
diamantes com peso entre 1,21 e 2,00 são menos frequentes (6,2%) na amostra. A Figura 60 
permite concluir que as regiões do Distrito de Grão Mogol e de Datas/Extração são as que 
possuem maior quantidade de diamantes com baixo peso, enquanto que os diamantes de 
maior peso estão concentrados nas regiões do Distrito de Coromandel (Alto Paranaíba) e da 
Província Noroeste São Francisco. 
 
 
 
 
 
 
152
Tabela 16: Distribuição dos diamantes, de acordo com o peso e região de produção. 
Peso (%) 
Região 
0,01 - 0,25 0,26 - 0,60 0,61 - 1,20 1,21 - 2,00 > 2,01 
Total 
Província Serra do Espinhaço 
Distrito Diamantina 
Datas/Extração 168 (7,9) 44 (2,0) 22 (1,0) 4 (0,2) 0 238 (11,1) 
Rio Jequitinhonha 145 (6,8) 168 (7,9) 206 (9,7) 40 (1,9) 17 (0,8) 576 (27,1) 
Distrito Grão Mogol 184 (8,6) 48 (2,3) 11 (0,5) 1 (0,04) 2 (0,1) 246 (11,5) 
Distrito Jequitaí 70 (3,3) 24 (1,1) 8 (0,4) 6 (0,3) 3 (0,14) 111 (5,2) 
Província Alto Paranaíba 
Distrito Coromandel 51 (2,4) 112 (5,3) 74 (3,5) 49 (2,3) 160 (7,5) 446 (20,9) 
Província Noroeste São 
Francisco 20 (0,9) 43 (2,0) 38 (1,8) 18 (0,8) 26 (1,2) 145 (6,8) 
Província Serra da Canastra 
Distrito Alto São Francisco 202 (9,5) 73 (3,4) 45 (2,1) 14 (0,7) 33 (1,5) 367 (17,2) 
Total 840 (39,5) 512 (24,1) 404 (18,9) 132 (6,2) 
241 
(11,3) 
2.129 
(100,0) 
 
 
 
 
 
Figura 60: Distribuição percentual dos diamantes, de acordo com o peso, para cada região de 
produção. 
 
 
De acordo com a Tabela 17 nota-se que a cor mais frequente na amostra é a 
incolor-amarelado (48,3 %) e a menos frequente é a fancy (1,9 %). A Figura 61 mostra que 
as regiões do Rio Jequitinhonha e de Datas/Extração possuem maior quantidade de diamantes 
incolor amarelado, e as regiões do Distrito de Coromandel (Alto Paranaíba) e Província Serra 
 
 
153
da Canastra são as que possuem os maiores percentuais de diamantes incolor. A região do 
Distrito de Grão Mogol possui maior quantidade de diamantes de cor amarelada. As cores 
fancies estão associadas às províncias Alto Paranaíba e Noroeste São Francisco. 
Analisando a Tabela 18 nota-se que a forma mais frequente na amostra é o 
rombododecaedro (40,7%) e a menos frequente é o diamante tipo agregado (2,04%). Uma 
análise da Figura 62 permite afirmar que a região da Província Serra da Canastra apresenta 
menor porcentagem de diamantes com forma de rombododecaedro e maior porcentagem de 
diamantes com forma de octaedro. As regiões de Datas/Extração, Rio Jequitinhonha e Distrito 
Jequitaí são as que apresentam maior quantidade de diamantes com forma rombododecaedro. 
Os diamantes agregados são praticamente inexistentes nas regiões de Datas/Extração e Rio 
Jequitinhonha. 
 
Tabela 17: Distribuição dos diamantes, de acordo com a cor e região de produção. 
 
Cor (%) 
Região 
Amarelado Cor industrial Fancy Incolor 
Incolor -
amarelado 
Total 
Província Serra do 
Espinhaço 
 
Distrito Diamantina 
Datas/Extração 77 (3,6) 3 (0,15) 0 23 (1,1) 135 (6,3) 238 (11,1) 
Rio Jequitinhonha 75 (3,5) 11 (0,5) 1 (0,04) 58 (2,7) 431 (20,2) 576 (27,1) 
Distrito Grão Mogol 111 (5,2) 13 (0,6) 0 27 (1,7) 95 (4,5) 246 (11,5) 
Distrito Jequitaí 14 (0,6) 3 (0,15) 1 (0,04) 35 (1,6) 58 (2,7) 111 (5,2) 
Província Alto 
Paranaíba 
 
Distrito Coromandel 58 (2,7) 11 (0,5) 34 (1,6) 204 (9,6) 139 (6,5) 446 (20,9) 
Província Noroeste São 
Francisco 
22 (1,0) 6 (0,3) 5 (0,2) 55 (2,6) 57 (2,7) 145 (6,8) 
Província Serra da 
Canastra 
 
Distrito Alto São 
Francisco 
27 (1,3) 17 (0,8) 1 (0,04) 208 (9,8) 114 (5,3) 367 (17,2) 
Total 384 (18,0) 64 (3,0) 42 (1,9) 610(28,6) 1029 (48,3) 2.129 (100) 
 
 
 
154
 
 
 
Figura 61: Distribuição percentual dos diamantes, de acordo com a cor, para cada região de 
produção. 
 
Tabela 18: Distribuição dos diamantes, de acordo com a forma e região de produção. 
 
Forma (%) 
Região 
Agregado Geminado Irregular Octaedro Rombodo-decaedro 
Total 
Província Serra do Espinhaço 
Distrito Diamantina 
 
Datas/Extração 1 (0,04) 11 (0,5) 46 (2,1) 47 (2,2) 133 (6,2) 238 (11,2) 
Rio Jequitinhonha 4 (0,2) 58 (2,7) 81 (3,8) 137 (6,4) 296 (13,9) 576 (27,1) 
Distrito Grão Mogol 10 (0,5) 18 (0,8) 42 (1,9) 78 (3,6) 98 (4,6) 246 (11,5) 
Distrito Jequitaí 2 (0,1) 4 (0,2) 8 (0,4) 38 (1,8) 59 (2,7) 111 (5,2) 
Província Alto Paranaíba 
Distrito Coromandel 11 (0,5) 34 (1,6) 135 (6,3) 81 (3,8) 185 (8,7) 446 (20,9) 
Província Noroeste São 
Francisco 2 (0,1) 3 (0,15) 51 (2,4) 25 (1,2) 64 (3,0) 145 (6,8) 
Província Serra da Canastra 
Distrito Alto São Francisco 12 (0,6) 11 (0,5) 134 (6,3) 178 (8,4) 32 (1,5) 367 (17,2) 
Total 42 (2,04) 139 (6,5) 497 (23,3) 
584 
(27,4) 
867 
(40,7) 
2.129 
(100,0) 
 
 
 
 
155
 
 
Figura 62: Distribuição percentual dos diamantes, de acordo com a forma, para cada região 
de produção. 
 
A partir da análise da Tabela 19, observa-se que os diamantes de maior pureza 
predominam (51,5% de diamantes com pureza 1). Analisando a Figura 63, nota-se que as 
regiões do Rio Jequitinhonha e Distrito de Jequitaí apresentam maior porcentagem de 
diamantes mais puros (pureza 1). Em seguida, aparece a região da Província Noroeste São 
Francisco, com maior porcentagem de diamantes de pureza 2. Os diamantes mais impuros 
estão mais concentrados nos distritos de Coromandel (Alto Paranaíba) e de Grão Mogol. 
 
Tabela 19: Distribuição dos diamantes, de acordo com a pureza e região de produção. 
Pureza 
Região 
1 2 3 4 5 
Total 
Província Serra do Espinhaço 
Distrito Diamantina 
 
Datas/Extração 113 (5,3) 43 (2,0) 26 (1,2) 55 (2,6) 1 (0,04) 238 (11,2)
Rio Jequitinhonha 442 (20,7) 47 (2,2) 51 (2,4) 36 (1,7) 0 576 (27,1)
Distrito Grão Mogol 123 (5,7) 37 (1,8) 46 (2,1) 30 (1,4) 10 (0,5) 246 (11,5)
Distrito Jequitaí 74 (3,5) 21 (1,0) 10 (0,5) 4 (0,2) 2 (0,1) 111 (5,2) 
Província Alto Paranaíba 
Distrito Coromandel 194 (9,1) 151 (7,1) 58 (2,7) 29 (1,4) 14 (0,7) 446 (20,9)
Província Noroeste São 
Francisco 
57 (2,7) 72 (3,4) 11 (0,5) 1 (0,04) 4 (0,2) 145 (6,8) 
Província Serra da Canastra 
Distrito Alto São Francisco 93 (4,4) 127 (5,9) 103 (4,9) 32 (1,5) 12 (0,6) 367 (17,2)
Total 1.096 (51,5) 498 (23,4) 305 (14,3) 187 (8,8) 43 (2,0) 2.129 (100,0)
 
 
156
 
 
 
Figura 63: Distribuição percentual dos diamantes, de acordo com a pureza, para cada região 
de produção. 
 
 
A Tabela 20 destaca que a maioria dos indivíduos amostrados estão enquadrados 
na categoria de dissolução médio/visível (mais