tese leila benitez
254 pág.

tese leila benitez


DisciplinaGeologia7.679 materiais60.611 seguidores
Pré-visualização50 páginas
de 50% da amostra) e dissolvido (mais de 
25%). 
A análise da Figura 64 permite concluir que a região do Distrito de Coromandel 
(Alto Paranaíba) é a que apresenta maior porcentagem de diamantes corroídos e também de 
diamantes dissolvidos. Pode-se considerar ainda que a região do Rio Jequitinhonha e Distrito 
de Grão Mogol apresentam maior porcentagem de diamantes com dissolução médio/visível. A 
quantidade de diamantes com dissolução tipo frosting é praticamente insignificante nas 
regiões de Datas/Extração, Distrito de Grão Mogol e Distrito de Jequitaí (pertencentes à 
Província Serra do Espinhaço). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
157
Tabela 20: Distribuição dos diamantes, de acordo com a dissolução e região de produção. 
 
Dissolução 
Região 
Corrosão Dissolvido Frosting Imperceptível Médio / Visível 
Total 
Província Serra do 
Espinhaço 
Distrito Diamantina 
 
 
Datas/Extração 2 (0,1) 99 (4,6) 0 20 (1,0) 117 (5,5) 238 (11,1) 
Rio Jequitinhonha 1 (0,04) 45 (2,1) 22(1,0) 62 (2,9) 446 (20,9) 
576 
(27,1) 
Distrito Grão Mogol 1 (0,04) 33 (1,5) 0 54 (2,5) 158 (7,4) 246 (11,5) 
Distrito Jequitaí 0 7 (0,3) 0 48 (2,3) 56 (2,6) 111 (5,2) 
Província Alto Paranaíba 
Distrito Coromandel 63 (2,9) 217 (10,2) 15 (0,7) 7 (0,3) 144 (6,7) 446 (20,9) 
Província Noroeste São 
Francisco 4 (0,2) 34 (1,6) 5 (0,2) 26 (1,2) 76 (3,6) 145 (6,8) 
Província Serra da 
Canastra 
Distrito Alto São Francisco 8 (0,4) 115 (5,4) 5 (0,2) 70 (3,3) 169 (7,9) 367 (17,2) 
Total 79 (3,7) 550 (25,8) 47 (2,2) 287 (13,5) 1166 (54,7) 
2.129 
(100,0) 
 
 
 
 
 
 
Figura 64: Distribuição percentual dos diamantes, de acordo com a dissolução, para cada 
região de produção. 
 
 
 
 
158
A Tabela 21 denota que mais de 80% da amostra se enquadra na categoria de 
diamantes intactos. 
 
A Figura 65, em concordância com a Tabela 21, mostra que em todas as regiões 
predominam diamantes intactos. A região do Distrito Coromandel (Alto Paranaíba) é a que 
apresenta maior porcentagem de diamantes lascas. Observa-se também que as regiões do 
Distrito Coromandel, Província Noroeste São Francisco e Província Serra da Canastra são as 
que apresentam maiores porcentagens de diamantes com quebras perceptíveis. 
De acordo com a Tabela 22 verifica-se que quase 80% da amostra não apresenta 
capa. A Figura 66 mostra que diamantes com capas predominam nas regiões da Província 
Serra do Espinhaço. A região do Rio Jequitinhonha é a que apresenta maior quantidade de 
diamantes com manchas verdes, e na região do Distrito de Jequitaí ocorre o predomínio de 
diamantes com manchas amarelas/marrons. Os campos de Datas/Extração apresentam maior 
quantidade de diamantes com pontos verdes. 
 
Tabela 21: Distribuição dos diamantes, de acordo com a clivagem superimposta e região de 
produção. 
 
Clivagem Superimposta 
Região 
Intactos Levemente quebrados 
Quebras 
perceptíveis Lascas 
Total 
Província Serra do Espinhaço 
Distrito Diamantina 
 
Datas/Extração 220 (10,3) 9 (0,4) 6 (0,3) 3 (0,15) 238 (11,1) 
Rio Jequitinhonha 526 (24,7) 1 (0,04) 13 (0,6) 36 (1,7) 576 (27,1) 
Distrito Grão Mogol 211 (9,9) 4 (0,2) 12 (0,5) 19 (0,9) 246 (11,5) 
Distrito Jequitaí 103 (4,8) 0 1 (0,04) 7 (0,3) 111 (5,2) 
Província Alto Paranaíba 
Distrito Coromandel 277 (13,0) 31 (1,5) 52 (2,4) 86 (4,0) 446 (20,9) 
Província Noroeste São 
Francisco 94 (4,4) 12 (0,5) 22 (1,0) 17 (0,8) 145 (6,8) 
Província Serra da Canastra 
Distrito Alto São Francisco 303 (14,2) 2 (0,1) 53 (2,5) 9 (0,4) 367 (17,2) 
Total 1.734 (81,4) 59 (2,7) 159 (7,5) 
177 
(8,3) 
2.129 
(100,0) 
 
 
 
 
159
 
 
 
Figura 65: Distribuição percentual dos diamantes, de acordo com a clivagem superimposta 
(quebras), para cada região de produção. 
 
 
Tabela 22: Distribuição dos diamantes, de acordo com as capas e região de produção. 
 
Capas 
Região 
Sem capas Pontos verdes 
Manchas 
verdes 
Amarelas/
marrons 
Total 
Província Serra do Espinhaço 
Distrito Diamantina 
 
Datas/Extração 146 (6,8) 65 (3,0) 25 (1,2) 2 (0,1) 238 (11,1) 
Rio Jequitinhonha 370 (17,4) 102 (4,8) 103 (4,8) 1 (0,04) 576 (27,1) 
Distrito Grão Mogol 173 (8,1) 42 (1,9) 30 (1,4) 1 (0,04) 246 (11,5) 
Distrito Jequitaí 73 (3,4) 16 (0,8) 4 (0,2) 18 (0,8) 111 (5,2) 
Província Alto Paranaíba 
Distrito Coromandel 431 (20,2) 3 (0,15) 12 (0,6) 0 446 (20,9) 
Província Noroeste São 
Francisco 141 (6,6) 2 (0,1) 2 (0,1) 0 145 (6,8) 
Província Serra da Canastra 
Distrito Alto São Francisco 367 (17,2) 0 0 0 367 (17,2) 
Total 1.701 (79,9) 230 (10,8) 176 (8,3) 22 (1,0) 2.129 (100,0) 
 
 
 
160
 
 
Figura 66: Distribuição percentual dos diamantes, de acordo com as capas, para cada região 
de produção. 
 
A Tabela 23 mostra que no total da amostra, ocorre uma distribuição generalizada 
entre as quatro categorias de qualificação comercial, sendo que a maior porcentagem aparece 
para a gema 2, e a menor, para a gema 1. 
 
Tabela 23: Distribuição dos diamantes, de acordo com a qualificação e região de produção. 
 
Qualificação Comercial 
Região 
Chip Gema 1 Gema 2 Indústria 
Total 
Província Serra do Espinhaço 
Distrito Diamantina 
 
Datas/Extração 55 (2,6) 11 (0,5) 64 (3,0) 108 (5,1) 238 (11,1) 
Rio Jequitinhonha 149 (7,0) 59 (2,7) 303 (14,2) 65 (3,0) 576 (27,1) 
Distrito Grão Mogol 52 (2,4) 10 (0,5) 113 (5,3) 71 (3,3) 246 (11,5) 
Distrito Jequitaí 16 (0,8) 18 (0,9) 68 (3,2) 9 (0,4) 111 (5,2) 
Província Alto Paranaíba 
Distrito Coromandel 179 (8,4) 43 (2,0) 128 (6,0) 96 (4,5) 446 (20,9) 
Província Noroeste São 
Francisco 51 (2,4) 24 (1,1) 56 (2,6) 14 (0,7) 145 (6,8) 
Província Serra da Canastra 
Distrito Alto São Francisco 98 (4,6) 108 (5,1) 79 (3,7) 82 (3,8) 367 (17,2) 
Total 600 (28,2) 273 (12,8) 811 (38,1) 445 (20,9) 
2.129 
(100,0) 
 
 
161
 
Conforme a Figura 67 nota-se que a região de Datas/Extração apresenta maior 
porcentagem de diamantes de qualidade industrial. A Província Serra da Canastra apresenta 
maior porcentagem de diamantes do tipo gema 1, e o Distrito de Jequitaí e a região do Rio 
Jequitinhonha apresentam as maiores porcentagens de diamantes do tipo gema 2. A região do 
Distrito de Coromandel (Alto Paranaíba) é a que apresenta maior porcentagem de diamantes 
do tipo chip. 
 
 
 
Figura 67: Distribuição percentual dos diamantes, de acordo com a qualificação comercial, 
para cada região de produção. 
 
6.2.3 - Análise de Correspondência 
 
De acordo com a metodologia apresentada anteriormente, os dados obtidos 
referente aos diamantes das províncias diamantíferas de Minas Gerais serão analisados 
utilizando a técnica designada Análise de Correspondência Simples. Por uma questão de 
praticidade, a abordagem matemática não será apresentada neste trabalho. Todas as 
conclusões serão provenientes a partir de um teste estatístico Qui-Quadrado para testar 
associação entre variáveis e da análise gráfica dos resultados. 
Inicialmente, foi realizado um teste Qui-Quadrado com o objetivo de verificar se 
existe associação entre a variável sob estudo e as regiões de procedência dos diamantes. Foi 
 
 
162
utilizado o software Minitab, versão 14 demo, para realizar toda a parte de análise estatística 
dos dados. A seguir, serão apresentados os respectivos valores p para cada variável testada. 
 
Tabela 24: Resultados do teste Qui-Quadrado para variáveis sob estudo. 
 
Variável Qui-Quadrado P-Valor* 
Peso 871,83 0 
Cor 703,85 0 
Forma 344,90 0 
Pureza 467,74 0 
Dissolução 674,04 0 
Clivagem 290,61 0 
Capas 652,96 0 
Qualificação