Liberdade
169 pág.

Liberdade


DisciplinaSociologia da Desigualdade Social27 materiais766 seguidores
Pré-visualização33 páginas
, tema de nossos estudos. entre a Avenida
Brigadeiro Luis Antonio e a antiga Rua da Llberdade. as mapas
cartoqrati cos mostram grande area aberta e vazta. sem ne-
nhum aprovettamento urbano. embora as tetras localizadas nesse
mesmo batrro. Bela Vistae ccr eorecao. ating issem alta va'or j zac~o .
o Vale do Anhangabau separava 0 ba irro da Liberdade. d tsttnquindo
nucleos da vertente junto a rad ial Liberdad e-Vergueiro dos nucleos
da vertente junto a radial Brigadeiro Luis Antonio, a Vale do Rio do
Diabo, como antenormente era conhec ido. Foi cruzado pete Viad uto
do Cha em 1892, tempo em que ali atnda existiam inumeras cnaca-
res. Aas poucos. toram surg indo no sope do morro do CM as rest-
denci as prtmelras. ate que em 1911, qua ndo 0 Barao Duprat to t
c reteito d e SaoPaulo, os urbanlstas ecuvaro e Cach et planeja ram 0
ajard inamento de toda aq uela area. transtormando-a no d ecantado
Parq ue Anhangabau.
Sob a admtntsuecao do Pretefto Antonio Prado, qu e durou dez anos,
a parti r de 1898, Sao Paulo passa rta por senslvets melno ramentos .
Sao reali zadas vastas e custosas obras de saneamento ge ral; e teita a
canali zacao de rlcs e ribet roes : sao melhoradas as condicoea de
torneclm entc de agu a potavel : sao abertas novas ruas e avenldas. ao
mesmo tempo que sao tettos ajardinamentos de oracas e pavlmenta-
cao da parte central da ci dade . inclusive das ruas do batrro c a
Liberdade.
o esoraao d e Vila Mariana to! tota lmente ocu pado. enq uanto que 0
casartc .da regiao antecedente se adensa com 0 preenchime nto dos
vanes ate entao existentes. 0 bairro da uberoace. na estrei teza de
suas ruas chei as de altas calcadas e de ruas escore cas per muros de
animo. como a Rua da Assemolela , estava pratfcamente estruturado
Entretanto, ainda em 1925, Sao Paulo era uma ctda oe traclon ada,
co nstit ulda por ne ches ed if icados, separadcs par vit i zeas f> vales
profundo s como tambem pelo tracado das terrovras
Paratelamente ao desenvolvimento urbane. ocorteu 0 cresctmento
da populacac e da construcac civi l.
Segundo recenseamento de 1920, a pop urecao do Municipio de SAo
Paulo era de 579033 habitantes, mas ao tinder do pn meiro q uartel do
secufo. poss uia 800.000 pessoas. aumen to esse devido ao carater
prog ressista e pragmatista do paul ista, a par de seus ousados ern-
preend imentos e auxi liado pelo imig rante Que convergia maclca-
mente para a cldade em exoensao.
87
Sao Paulo ja era entac uma ci dade cosmopolita. com predormnancla
do imigrante europeu e principalmente 0 ttauano. Segund.o Roberto
Capri (0 Estad o de Sao Paulo e Seus Meruclpios- psg. 16e 17), jt! em
1912. as ttattanos possuiam 23520 propriedades urbanas em Sao
Paulo.
A partir de 1930. apesar da crise cateeira e dos acontecimenlos
polit icos naciona is e intemaclonais (as re....croezes de 1924, 1930 e
1932, e Grande Guerra de 1934/1945), perturbadores da ordem, sao
Paulo entraria num proce sso de assombroso de senvolvimento. Sua
populacao c resee assustadorame nte; sua area e fisionomia urbana
amptiarn-se e modific am-se a cada ere. dad as as complexas exiqen-
eras de carater vrbantsuc o, ao mesma tempo que sua Hderanca
econcmrca e cultural se acentua cada vez mats.
Entre 1925 e 1950. a c id ade ating iria maiores d lstancias na rnrecao
sui . cul minando com a orcorta ab sorcaoda autonom ia ad ministrative
de Santo Amaro.
As linhas de bondes e 6nib us, as estradas de roda gem, a construcao
das represas da Light levam a tntluen cia da ctdade de Sao Paulo ate
um ralo de 15 quitometros.
Entre 1934 e 1938. sob a atuacao do Preteito Fab io Prado, imcla-se a
renovacac da ctdade de Sao Paulo, a q ual se continuarta ate 1945
pete operosio ade de Prestes Maia. com a ab ertura das vias penme-
tra ts e de trrac nacao aliad a ao tracadc de qranoes avenidas pelos
vales.
Alargam -se pracas e rues. Erquem-se arranha-ceu s. co mecando [a
no segu ndo quarte t do sec ure a despontar a nova crcaca de Sao
Paulo para , a part ir de 1960, ressurg ir intei ramente Irans figurada ,
co mo pratt camente a temos atuatmente. Espantosa pete sua enorme
extensac penmetral. como con junto retativamente barmonico: urn
bloco imenso de ba irros ainda ccnuccs por uma estrutura urban a
irregular e desordenada, salvo alguns trecn os e bairros, onoe a cad a
eta se adensa uma tanta stica poputacao. Urn mi lhao de hab itantes
em 1930. ja em 1954, ascende aordem de Ires milh6es (P. Pet rone.
obra c itada - pag . 167) para, no momenta presente. atingir a indice
de cerca de oito mi lh6es.
Arranha-ceus par todos os quadrantes: largas avenid as ci rcundando
a ci dade e jf!. insuficienles ao tran sito de scomunal da ci dade e uma
verdadeira selva de chamtnes potufdcras se o tstence noo para lod os
os lades.
a bairro da Liberdade esteve cont ido nesse tantastlco processo de
cresctmento. bairro esse que , segun do Roberto Capri, a inda no tnfc lo
deste sec uto. pcssuta apenas 4160 orencs e 5185 no ano de 1918.
88
A E. Taunay leqou-nos uma imagem da cenoqratia urbana local: "a
parte nova da cidade estendida para 0 sui era requta rmente co ns-
trufda. possutndo quarteir6es bern oesenhados, rUBS largas. de mo-
demo aspe cto " (55).
o casa rto apresenteva, por vezes. cont rastes cnocantes. co m pre-
dornlnancla de habftacoes de aspecto modesto. de um 56 pavime nto.
com pcroes altos d iretamente nas ruas, segundo estno mats ou
menos padron izado.
Ostentava, entretanto. algumas construcoes senhorials. muitas das
Quais ainda hoje sao encontradas espalhadas palo ba irro, totalmente
transfiguradas pelc cosmopolitismo atual e peta 8CaO do tempo,
como 0 ind icam as Hustracoes anexas.
Alualmente , 0 bairro da Liberdade nao possui jardins au areas ver-
des . 0 vefho Largo 7 de Setembro se transformou; a Praca Almeid a
Junior toi absorv ida pela rad ial Leste-Oest e e a Largo da P61vora to!
retalhado, presentemente retormado em area restrita. Apenas a
Praca da Liberoaoe apresenta um pequeno jardi m que abr iga uma
das mais movtmentaoas estacoes metroviartas. que e a "Estacao
Liberdade". Campietamente mudada. centro da comunida de orien-
tal hoje sedlada no batrro, aos domingos e cena rto da Fei ra de
Artesanato Oriental.
Numa de suas latera is, a Igreja das Almas e dos Entorcadcs ja nao
ap resentam mats aque les patios nus de outrora .
Emoldura a Praca um casario redecorado amoda orienta l. 0 anti go e
a tradicao nactonat se d iluem na medi da em que mars orie ntals se
instalarn no batrro, numa tota l confusa o de cores, estilos e lingua-
gem, que constitui a atual cenografia urbana do bairro da Liberdade,
que ainda como ontem. apresenta as mesmos quarteir6es compridos
de outrora, as mesmos becos scmbrtos. as mesmas vilas de casas
sem nenhum relvado e de parco arvoredo. hoje habitadas par uma
comunidade de talar e gostos estranhos. de habttcs tao d tterencia-
dos dos q ue ali imperavam anti gamente : a banda de musica dos
"Bursaglieri", as italianos peixelros , cantando pe las ruas a amor peto
"Palestra ltatia"...
Os anti gas casar6es de porao alto do tntctc deste sec uto. situados
nas ruas Gatvao Bueno, Conde de s arzeoes. Avenida da Liberdad e,
Rua Pirapitingui estao ocupados pelos core anos, chin eses, vtetnami-
tas e japaneses que se instal aram no bairro da Liberdade he vin te
anos aprox imadamente.
89
NOTAS
54. PETRONE. Pasqua le - A Cidade de Sao Paulo no Secure XX-
Hevista de Hist6ria n.ss 21/22 - 1955, pll.g. 136
55. TAUNA Y. A. E. - Vel ho Sao Pau lo - Vol . I - pag, 31
90
\u2022\u2022
\u2022
vrsac da RuaGalvao Bueno, 0 Centro do Bairro Oriental .
9 1
o BAIRRO ORIENTAL
A Avenida da Libe rdade, arteria de irradia cao para todos as pontes
do batrro, esteve inlerd ilada durante dais enos. neceseenos a im-
plantacao do melropolitano de Sao Paulo, linha norte-su i, entre a
PraQ8 da Liberdade e a Rua Sao Joaquim. Tambem outros trechos do
bai rro estlveram em tdentic a sttuacao. como 0 Largo 7 de Seternbro.
Rua Consethetro Furtado,