questionario teoria literaria unidade 3
7 pág.

questionario teoria literaria unidade 3


DisciplinaTeoria Literária490 materiais3.321 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Unidade III Revisar envio do teste: Questionário Unidade III (2017/2) H
Revisar envio do teste: Questionário Unidade III (2017/2)
Usuário leila.model @unipinterativa.edu.br 
Curso TEORIA LITERARIA 
Teste Questionário Unidade III (2017/2) 
Iniciado 29/11/17 12:09 
Enviado 29/11/17 12:11 
Status Completada 
Resultado da 
tentativa
4 em 4 pontos 
Tempo 
decorrido
1 minuto 
Instruções ATENÇÃO: a avaliação a seguir possui as seguintes configurações:
- Possui número de tentativas limitadas a 3 (três);
- Valida a sua nota e/ou frequência na disciplina em questão \u2013 a não realização pode 
prejudicar sua nota de participação AVA, bem como gerar uma reprovação por frequência;
- Apresenta as justificativas das questões para auxílio em seus estudos \u2013 porém, 
aconselhamos que as consulte como último recurso;
- Não considera \u201ctentativa em andamento\u201d (tentativas iniciadas e não concluídas/enviadas) \u2013 
porém, uma vez acessada, é considerada como uma de suas 3 (três) tentativas permitidas e 
precisa ser editada e enviada para ser devidamente considerada;
- Possui um prazo limite para envio (acompanhe seu calendário acadêmico), sendo 
impossível o seu acesso após esse prazo, então sugerimos o armazenamento e/ou 
impressão para futuros estudos;
- A não realização prevê nota 0 (zero).
Resultados 
exibidos
Todas as respostas, Respostas enviadas, Respostas corretas, Feedback, Perguntas respondidas 
incorretamente 
\ue0e4
\ue0e5
\ue0e2 \ue0e3
Pergunta 1 
Unip Interativa
0,4 em 0,4 pontos
leila.model @unipinterativa.edu.br
Resposta Selecionada: b. 16-2, 17-1, 18-2, 19-3, 20-2, 21-3, 22-2, 23-4, 25-3.
Respostas: a. 16-2, 17-4, 18-3, 19-1, 20-2, 21-4, 22-1, 23-4, 25-3.
b. 16-2, 17-1, 18-2, 19-3, 20-2, 21-3, 22-2, 23-4, 25-3.
c. 16-1, 17-1, 18-2, 19-2, 20-3, 21-3, 22-2, 23-2, 25-4.
d. 16-3, 17-2, 18-1, 19-4, 20-1, 21-2, 22-3, 23-3, 25-4.
e. 
16-4, 17-4, 18-4, 19-3, 20-1, 22-2, 23-4, 24-2, 25-3.
Feedback da 
resposta: 
Resposta: B.
Justificativa: cada forma tem características próprias. O poema, por exemplo, é constituído de versos, 
estrofes, rima; a narrativa em prosa é aquela feita em parágrafos, e assim por diante.
Pergunta 2 
As afirmações são referentes ao narrador. Leia-as e depois assinale a alternativa correta.
I - Em narrativas policiais, é comum um personagem secundário narrar a trajetória do detetive, 
formando o tipo de narrador \u201ceu como testemunha\u201d, pois o narrador assemelha-se ao leitor, que 
desconhece os pensamentos do detetive, e o suspense, assim, é mantido. 
II - Em narrativas amorosas, o narrador muitas vezes presente é o onisciente seletivo, uma vez 
que se concentra nos pensamentos sentimentais da personagem central em relação à pessoa 
amada.
III - Em narrativas modernistas, como Vidas secas, de Graciliano Ramos, o papel do narrador é 
mais abrangente, não se fixando no ponto de vista de apenas um personagem.
Resposta Selecionada: 
a. 
As afirmações I, II e III estão corretas.
Respostas: 
a. 
As afirmações I, II e III estão corretas.
b. 
As afirmações I e II estão corretas.
c. 
As afirmações I e III estão corretas.
d. 
As afirmações II e III estão corretas.
e. 
Apenas a afirmação I está correta.
Feedback da 
resposta: 
Resposta: A.
Justificativa: todos os tópicos estão corretos. A seleção de um narrador depende das intenções 
do autor \u2013 se ele quer expor ou não o íntimo das personagens, se quer ou não manter, por 
exemplo, um suspense \u2013, e também do tipo de narrativa. A seleção nunca é arbitrária, inocente.
Pergunta 3 
Assinale a alternativa em que há discurso direto:
Resposta 
Selecionada: 
b. 
\u201c\u2013 Mas, será que Deus vai ter pena de mim, com tanta ruindade que fiz, e tendo nas costas 
tanto pecado mortal?
\u2013 Tem, meu filho. Deus mede a espora pela rédea, e não tira o estribo do pé de arrependido 
nenhum...\u201d
Respostas: 
0,4 em 0,4 pontos
0,4 em 0,4 pontos
a. 
\u201cMiguilim chorou de bruços, cumpriu tristeza, soluçou muitas vezes. Alguém disse que 
aconteciam casos, de cachorros dados, que levados para longes léguas, e que voltavam 
sempre em casa. Então, ele tomou esperança: a Pingo-de-Ouro ia voltar!\u201d
b. 
\u201c\u2013 Mas, será que Deus vai ter pena de mim, com tanta ruindade que fiz, e tendo nas costas 
tanto pecado mortal?
\u2013 Tem, meu filho. Deus mede a espora pela rédea, e não tira o estribo do pé de arrependido 
nenhum...\u201d
c. 
\u201cEstremeceu. Poderia ainda continuar? Poderia ainda arrastar-se, cheia de febre, extenuada, 
em ferida, pela serra a cabo? E as dores, cada vez mais apertadas, que a varavam de lado a 
lado, a princípio rastejantes, quase voluptuosas, e depois piores que facadas?\u201d
d. 
\u201cCarolina já não sabia o que fazer. Estava desesperada, com a fome 
encarrapitada. Que fome! Que faço? Mas parecia que uma luz existia\u2026\u201d
e. 
\u201cOuviu o falatório desconexo do bêbado, caiu numa indecisão dolorosa. Ele também dizia 
palavras sem sentido, conversava à toa. Mas irou-se com a comparação, deu marradas na 
parede. Era bruto, sim senhor, nunca havia aprendido, não sabia explicar-se. Estava preso por 
isso? Como era? Então mete-se um homem na cadeia porque ele não sabe falar direito? Que 
mal fazia a brutalidade dele? Vivia trabalhando como um escravo. Desentupia o bebedouro, 
consertava as cercas, curava os animais \u2013 aproveitara um casco de fazenda sem valor. Tudo 
em ordem, podiam ver. Tinha culpa de ser bruto? Quem tinha culpa?\u201d
Feedback da 
resposta: 
Resposta: B.
Justificativa: o discurso direto serve para representar a fala de uma personagem tal como é 
pronunciada, sem a interferência do narrador. No caso assinalado, temos um diálogo (discurso 
direto) marcado por travessão.
Pergunta 4 
Considere o texto abaixo, de As três Marias, de Rachel de Queiroz.
\u201cPelas varandas imensas espalhavam-se às centenas meninas de todos os tamanhos, com todas as 
caras deste mundo, vestidas de azul-marinho. Um grupo delas acercou-se de nós, sorridente, curioso. 
A mim me pareceram logo malvadas, escarninhas, hostis. Encolhi-me mais junto à Irmã. Lá para trás 
outras meninas vinham chegando, e ouviam-se gritos:
\u2013 Novata! Uma novata!
A irmã me pôs a mão no ombro, mandou que me fosse reunir a elas, procurasse brincar, fazer amigas. 
Eu resisti. Sentia cada vez mais medo e me agarrei resolutamente ao hábito grosso da freira:
\u2013 Queria ir para junto da minha mala.
Angustiada pela timidez que me inspiravam as caras novas e atrevidas das meninas, eu só pensava 
em fugir; e a lembrança da mala me ocorreu como uma salvação.\u201d
O narrador acima se apresenta como:
Resposta Selecionada: 
e. 
eu-protagonista.
Respostas: 
a. 
câmera.
b. 
eu-testemunha.
c. 
onisciente neutro.
d. 
onisciente onipresente.
0,4 em 0,4 pontos
e. 
eu-protagonista.
Feedback da 
resposta: 
Resposta: E.
Justificativa: a personagem principal (protagonista) narra a história do ponto de 
vista dela e participa da história.
Pergunta 5 
Desde a metade do século passado, Rubem Braga destaca-se no mundo da literatura por suas 
criações em:
Resposta Selecionada: 
d. 
crônicas.
Respostas: 
a. 
romances.
b. 
novelas.
c. 
contos.
d. 
crônicas.
e. 
novelas pícaras.
Feedback da 
resposta: 
Resposta: D.
Justificativa: a crônica no Brasil teve como grande representante o escritor Rubem Braga, 
que publicava seus textos em jornal e editora.
Pergunta 6 
Entre os títulos brasileiros seguintes, indique aquele cuja narrativa forma o gênero romance pícaro (ou 
picaresco):
Resposta Selecionada: 
a. 
Memórias de um sargento de milícias.
Respostas: 
a. 
Memórias de um sargento de milícias.
b. Dom Casmurro.
c. Vidas secas.
d. Grande sertão: veredas.
e. Ciranda de pedra.
Feedback da 
resposta: 
Resposta: A.
Justificativa: a obra de Manuel Antônio de Almeida marca o romance pícaro no Brasil, pois o 
autor