Quadro Comparativo NCPC
181 pág.

Quadro Comparativo NCPC


DisciplinaDireito Processual Civil I39.583 materiais713.787 seguidores
Pré-visualização50 páginas
trabalho, desde que a título gratuito e citada a fonte, 
sendo vedada sua comercialização. O quadro comparativo foi elaborado com base em informações 
colhidas nas versões dos projetos disponíveis no site do Senado Federal e nos textos das Leis 5.869/1973 e 
13.105/2015 disponíveis no site da Presidência da República. Sugestões poderão ser enviadas 
para novocpc@medina.adv.br. 
 
CPC/1973 CPC/2015 
Art. 246. É nulo o processo, quando o Ministério Público não for 
intimado a acompanhar o feito em que deva intervir. 
Art. 279. É nulo o processo quando o membro do Ministério Público não 
for intimado a acompanhar o feito em que deva intervir. 
Parágrafo único. Se o processo tiver corrido, sem conhecimento 
do Ministério Público, o juiz o anulará a partir do momento em 
que o órgão devia ter sido intimado. 
§ 1º Se o processo tiver tramitado sem conhecimento do membro do 
Ministério Público, o juiz invalidará os atos praticados a partir do 
momento em que ele deveria ter sido intimado. 
 § 2º A nulidade só pode ser decretada após a intimação do Ministério 
Público, que se manifestará sobre a existência ou a inexistência de 
prejuízo. 
Art. 247. As citações e as intimações serão nulas, quando feitas 
sem observância das prescrições legais. 
Art. 280. As citações e as intimações serão nulas quando feitas sem 
observância das prescrições legais. 
Art. 248. Anulado o ato, reputam-se de nenhum efeito todos os 
subsequentes, que dele dependam; todavia, a nulidade de uma 
parte do ato não prejudicará as outras, que dela sejam 
independentes. 
Art. 281. Anulado o ato, consideram-se de nenhum efeito todos os 
subsequentes que dele dependam, todavia, a nulidade de uma parte do 
ato não prejudicará as outras que dela sejam independentes. 
Art. 249. O juiz, ao pronunciar a nulidade, declarará que atos 
são atingidos, ordenando as providências necessárias, a fim de 
que sejam repetidos, ou retificados. 
Art. 282. Ao pronunciar a nulidade, o juiz declarará que atos são 
atingidos e ordenará as providências necessárias a fim de que sejam 
repetidos ou retificados. 
§ 1o O ato não se repetirá nem se Ihe suprirá a falta quando não 
prejudicar a parte. 
§ 1º O ato não será repetido nem sua falta será suprida quando não 
prejudicar a parte. 
§ 2o Quando puder decidir do mérito a favor da parte a quem 
aproveite a declaração da nulidade, o juiz não a pronunciará 
nem mandará repetir o ato, ou suprir-lhe a falta. 
§ 2º Quando puder decidir o mérito a favor da parte a quem aproveite a 
decretação da nulidade, o juiz não a pronunciará nem mandará repetir 
o ato ou suprir-lhe a falta. 
[V. art. 488, relacionado] 
Art. 250. O erro de forma do processo acarreta unicamente a 
anulação dos atos que não possam ser aproveitados, devendo 
praticar-se os que forem necessários, a fim de se observarem, 
quanto possível, as prescrições legais. 
Art. 283. O erro de forma do processo acarreta unicamente a anulação 
dos atos que não possam ser aproveitados, devendo ser praticados os 
que forem necessários a fim de se observarem as prescrições legais. 
Parágrafo único. Dar-se-á o aproveitamento dos atos 
praticados, desde que não resulte prejuízo à defesa. 
Parágrafo único. Dar-se-á o aproveitamento dos atos praticados desde 
que não resulte prejuízo à defesa de qualquer parte. 
CAPÍTULO VI 
DE OUTROS ATOS PROCESSUAIS 
 
Seção I 
Da Distribuição e do Registro 
TÍTULO IV 
DA DISTRIBUIÇÃO E DO REGISTRO 
Art. 251. Todos os processos estão sujeitos a registro, devendo 
ser distribuídos onde houver mais de um juiz ou mais de um 
escrivão. 
Art. 284. Todos os processos estão sujeitos a registro, devendo ser 
distribuídos onde houver mais de um juiz. 
Art. 252. Será alternada a distribuição entre juízes e escrivães, 
obedecendo a rigorosa igualdade. 
Art. 285. A distribuição, que poderá ser eletrônica, será alternada e 
aleatória, obedecendo-se rigorosa igualdade. 
 Parágrafo único. A lista de distribuição deverá ser publicada no Diário de 
Justiça. 
Art. 253. Distribuir-se-ão por dependência as causas de 
qualquer natureza: 
Art. 286. Serão distribuídas por dependência as causas de qualquer 
natureza: 
I \u2013 quando se relacionarem, por conexão ou continência, com 
outra já ajuizada; 
I \u2013 quando se relacionarem, por conexão ou continência, com outra já 
ajuizada; 
II \u2013 quando, tendo sido extinto o processo, sem julgamento de 
mérito, for reiterado o pedido, ainda que em litisconsórcio com 
outros autores ou que sejam parcialmente alterados os réus da 
demanda; 
II \u2013 quando, tendo sido extinto o processo sem resolução de mérito, for 
reiterado o pedido, ainda que em litisconsórcio com outros autores ou 
que sejam parcialmente alterados os réus da demanda; 
III - quando houver ajuizamento de ações idênticas, ao juízo 
prevento. 
III \u2013 quando houver ajuizamento de ações nos termos do art. 55, § 3º, 
ao juízo prevento. 
Parágrafo único. Havendo reconvenção ou intervenção de 
terceiro, o juiz, de ofício, mandará proceder à respectiva 
anotação pelo distribuidor. 
Parágrafo único. Havendo intervenção de terceiro, reconvenção ou 
outra hipótese de ampliação objetiva do processo, o juiz, de ofício, 
mandará proceder à respectiva anotação pelo distribuidor. 
Art. 254. É defeso distribuir a petição não acompanhada do 
instrumento do mandato, salvo: 
Art. 287. A petição inicial deve vir acompanhada de procuração, que 
conterá os endereços do advogado, eletrônico e não eletrônico. 
 Parágrafo único. Dispensa-se a juntada da procuração: 
I \u2013 se o requerente postular em causa própria; 
II \u2013 se a procuração estiver junta aos autos principais; 
III \u2013 no caso previsto no art. 37. I \u2013 no caso previsto no art. 104; 
 II \u2013 se a parte estiver representada pela Defensoria Pública; 
 III \u2013 se a representação decorrer diretamente de norma prevista na 
Constituição Federal ou em lei. 
Art. 255. O juiz, de ofício ou a requerimento do interessado, 
corrigirá o erro ou a falta de distribuição, compensando-a. 
Art. 288. O juiz, de ofício ou a requerimento do interessado, corrigirá o 
erro ou compensará a falta de distribuição. 
Art. 256. A distribuição poderá ser fiscalizada pela parte ou por 
seu procurador. 
Art. 289. A distribuição poderá ser fiscalizada pela parte, por seu 
procurador, pelo Ministério Público e pela Defensoria Pública. 
Quadro comparativo elaborado pela grupo de pesquisa do Prof. José Miguel Garcia Medina. É permitida a 
distribuição ou reprodução, total ou parcial, do presente trabalho, desde que a título gratuito e citada a fonte, 
sendo vedada sua comercialização. O quadro comparativo foi elaborado com base em informações 
colhidas nas versões dos projetos disponíveis no site do Senado Federal e nos textos das Leis 5.869/1973 e 
13.105/2015 disponíveis no site da Presidência da República. Sugestões poderão ser enviadas 
para novocpc@medina.adv.br. 
 
CPC/1973 CPC/2015 
Art. 257. Será cancelada a distribuição do feito que, em 30 
(trinta) dias, não for preparado no cartório em que deu entrada. 
Art. 290. Será cancelada a distribuição do feito se a parte, intimada na 
pessoa de seu advogado, não realizar o pagamento das custas e 
despesas de ingresso em 15 (quinze) dias. 
Seção II 
Do Valor da Causa 
TÍTULO V 
DO VALOR DA CAUSA 
Art. 258. A toda causa será atribuído um valor certo, ainda que 
não tenha conteúdo econômico imediato. 
Art. 291. A toda causa será atribuído valor certo, ainda que não tenha 
conteúdo econômico imediatamente aferível. 
Art. 259. O valor da causa constará sempre da petição inicial e 
será: 
Art. 292. O valor da causa constará da petição inicial ou da reconvenção 
e será: 
I \u2013 na ação de cobrança de dívida, a soma do principal, da pena 
e dos juros vencidos até a propositura da ação; 
I \u2013 na ação de cobrança de dívida, a soma monetariamente corrigida