Quadro Comparativo NCPC
181 pág.

Quadro Comparativo NCPC


DisciplinaDireito Processual Civil I38.085 materiais703.901 seguidores
Pré-visualização50 páginas
que lhe foi demandado. 
Parágrafo único. A sentença deve ser certa, ainda quando 
decida relação jurídica condicional. 
Parágrafo único. A decisão deve ser certa, ainda que resolva relação 
jurídica condicional. 
[V. art. 491, relacionado] 
 Seção IV 
Do Julgamento das Ações Relativas às Prestações de Fazer, de Não 
Fazer e de Entregar Coisa 
Art. 461. Na ação que tenha por objeto o cumprimento de 
obrigação de fazer ou não fazer, o juiz concederá a tutela 
específica da obrigação ou, se procedente o pedido, 
determinará providências que assegurem o resultado prático 
equivalente ao do adimplemento. 
Art. 497. Na ação que tenha por objeto a prestação de fazer ou de não 
fazer, o juiz, se procedente o pedido, concederá a tutela específica ou 
determinará providências que assegurem a obtenção de tutela pelo 
resultado prático equivalente. 
 Parágrafo único. Para a concessão da tutela específica destinada a inibir 
a prática, a reiteração ou a continuação de um ilícito, ou a sua remoção, 
é irrelevante a demonstração da ocorrência de dano ou da existência de 
culpa ou dolo. 
§ 1º A obrigação somente se converterá em perdas e danos se 
o autor o requerer ou se impossível a tutela específica ou a 
obtenção do resultado prático correspondente. 
Art. 499. A obrigação somente será convertida em perdas e danos se o 
autor o requerer ou se impossível a tutela específica ou a obtenção de 
tutela pelo resultado prático equivalente. 
§ 2º A indenização por perdas e danos dar-se-á sem prejuízo da 
multa (art. 287). 
Art. 500. A indenização por perdas e danos dar-se-á sem prejuízo da 
multa fixada periodicamente para compelir o réu ao cumprimento 
específico da obrigação. 
§ 3º Sendo relevante o fundamento da demanda e havendo 
justificado receio de ineficácia do provimento final, é lícito ao 
juiz conceder a tutela liminarmente ou mediante justificação 
prévia, citado o réu. A medida liminar poderá ser revogada ou 
modificada, a qualquer tempo, em decisão fundamentada. 
 
§ 4º O juiz poderá, na hipótese do parágrafo anterior ou na 
sentença, impor multa diária ao réu, independentemente de 
pedido do autor, se for suficiente ou compatível com a 
obrigação, fixando-lhe prazo razoável para o cumprimento do 
preceito. 
Art. 537. A multa independe de requerimento da parte e poderá ser 
aplicada na fase de conhecimento, em tutela provisória ou na sentença, 
ou na fase de execução, desde que seja suficiente e compatível com a 
obrigação e que se determine prazo razoável para cumprimento do 
preceito. 
§ 5º Para a efetivação da tutela específica ou a obtenção do 
resultado prático equivalente, poderá o juiz, de ofício ou a 
requerimento, determinar as medidas necessárias, tais como a 
imposição de multa por tempo de atraso, busca e apreensão, 
remoção de pessoas e coisas, desfazimento de obras e 
impedimento de atividade nociva, se necessário com requisição 
de força policial. 
Art. 536. No cumprimento de sentença que reconheça a exigibilidade de 
obrigação de fazer ou de não fazer, o juiz poderá, de ofício ou a 
requerimento, para a efetivação da tutela específica ou a obtenção de 
tutela pelo resultado prático equivalente, determinar as medidas 
necessárias à satisfação do exequente. 
§ 1º Para atender ao disposto no caput, o juiz poderá determinar, entre 
outras medidas, a imposição de multa, a busca e apreensão, a remoção 
de pessoas e coisas, o desfazimento de obras e o impedimento de 
atividade nociva, podendo, caso necessário, requisitar o auxílio de força 
policial. 
 § 2º O mandado de busca e apreensão de pessoas e coisas será 
cumprido por 2 (dois) oficiais de justiça, observando-se o disposto no 
art. 846, §§ 1º a 4º, se houver necessidade de arrombamento. 
 § 3º O executado incidirá nas penas de litigância de má-fé quando 
injustificadamente descumprir a ordem judicial, sem prejuízo de sua 
responsabilização por crime de desobediência. 
 § 4º No cumprimento de sentença que reconheça a exigibilidade de 
obrigação de fazer ou de não fazer, aplica-se o art. 525, no que couber 
 § 5º O disposto neste artigo aplica-se, no que couber, ao cumprimento 
de sentença que reconheça deveres de fazer e de não fazer de natureza 
não obrigacional. 
§ 6o O juiz poderá, de ofício, modificar o valor ou a 
periodicidade da multa, caso verifique que se tornou 
insuficiente ou excessiva. 
Art. 537. 
§ 1º O juiz poderá, de ofício ou a requerimento, modificar o valor ou a 
periodicidade da multa vincenda ou excluí-la, caso verifique que: 
 I \u2013 se tornou insuficiente ou excessiva; 
 II \u2013 o obrigado demonstrou cumprimento parcial superveniente da 
obrigação ou justa causa para o descumprimento. 
 § 2º O valor da multa será devido ao exequente. 
 § 3º A decisão que fixa a multa é passível de cumprimento provisório, 
devendo ser depositada em juízo, permitido o levantamento do valor 
Quadro comparativo elaborado pela grupo de pesquisa do Prof. José Miguel Garcia Medina. É permitida a 
distribuição ou reprodução, total ou parcial, do presente trabalho, desde que a título gratuito e citada a fonte, 
sendo vedada sua comercialização. O quadro comparativo foi elaborado com base em informações 
colhidas nas versões dos projetos disponíveis no site do Senado Federal e nos textos das Leis 5.869/1973 e 
13.105/2015 disponíveis no site da Presidência da República. Sugestões poderão ser enviadas 
para novocpc@medina.adv.br. 
 
CPC/1973 CPC/2015 
após o trânsito em julgado da sentença favorável à parte. (Redação dada 
pela Lei 13.256, de 2016) 
 § 4º A multa será devida desde o dia em que se configurar o 
descumprimento da decisão e incidirá enquanto não for cumprida a 
decisão que a tiver cominado. 
 § 5º O disposto neste artigo aplica-se, no que couber, ao cumprimento 
de sentença que reconheça deveres de fazer e de não fazer de natureza 
não obrigacional. 
Art. 461-A. Na ação que tenha por objeto a entrega de coisa, o 
juiz, ao conceder a tutela específica, fixará o prazo para o 
cumprimento da obrigação. 
Art. 498. Na ação que tenha por objeto a entrega de coisa, o juiz, ao 
conceder a tutela específica, fixará o prazo para o cumprimento da 
obrigação. 
§ 1o Tratando-se de entrega de coisa determinada pelo gênero 
e quantidade, o credor a individualizará na petição inicial, se lhe 
couber a escolha; cabendo ao devedor escolher, este a 
entregará individualizada, no prazo fixado pelo juiz. 
Parágrafo único. Tratando-se de entrega de coisa determinada pelo 
gênero e pela quantidade, o autor 68individualizá-la-á na petição inicial, 
se lhe couber a escolha, ou, se a escolha couber ao réu, este a entregará 
individualizada, no prazo fixado pelo juiz. 
§ 2o Não cumprida a obrigação no prazo estabelecido, expedir-
se-á em favor do credor mandado de busca e apreensão ou de 
imissão na posse, conforme se tratar de coisa móvel ou imóvel. 
Art. 538. Não cumprida a obrigação de entregar coisa no prazo 
estabelecido na sentença, será expedido mandado de busca e apreensão 
ou de imissão na posse em favor do credor, conforme se tratar de coisa 
móvel ou imóvel. 
§ 1o A existência de benfeitorias deve ser alegada na fase de 
conhecimento, em contestação, de forma discriminada e com 
atribuição, sempre que possível e justificadamente, do respectivo valor. 
§ 2o O direito de retenção por benfeitorias deve ser exercido na 
contestação, na fase de conhecimento. 
§ 3o Aplica-se à ação prevista neste artigo o disposto nos §§ 1o 
a 6o do art. 461. 
§ 3o Aplicam-se ao procedimento previsto neste artigo, no que couber, 
as disposições sobre o cumprimento de obrigação de fazer ou de não 
fazer. 
Art. 462. Se, depois da propositura da ação, algum fato 
constitutivo, modificativo ou extintivo do direito influir no 
julgamento da lide, caberá ao juiz tomá-lo em consideração, de 
ofício ou a requerimento da parte, no momento de proferir