Prevencao Trat Feridas Da Evidencia A Pratica
499 pág.

Prevencao Trat Feridas Da Evidencia A Pratica


DisciplinaEnfermagem Clínica286 materiais7.694 seguidores
Pré-visualização50 páginas
que transmitem informação de alteração da pressão, quando, por exemplo, o utente se 
vira, à consola central da superfície. Com o tratamento informático desta informação, a 
superfície altera a pressão de insuflação das células ou colunas segundo os dados recebidos. 
 
 
Figura 5 - Superfícies de apoio. (Traduzido e adaptado de: Phillips L, Clark M, Goossens R, 
Takahashi M. Defining \u201cactive\u201d pressure redistribuition. Wounds International. 2012). 
 
 
Sistema de cama integrado 
Trata-se de uma estrutura de cama e superfície de apoio que estão integrados numa única 
unidade, em que a superfície é incapaz de funcionar separadamente da estrutura. São 
equipamentos pesados e que ocupam espaço.1 
Com recurso a energia 
Estas superfícies de apoio necessitam de um tipo de energia para funcionar.1 
Sem recurso a energia 
Este tipo de superfície de apoio não necessita de um tipo de energia.1 
Sobre colchão 
Uma superfície de apoio desenhada para ser colocada diretamente sobre o colchão ou cadeira 
do utente de modo a que o utente possa continuar a beneficiar do seu ambiente ou mobiliário. 
Ter em atenção que este tipo de superfície de apoio irá elevar a posição do utente em relação 
às grades laterais e dos apoios da cadeira, podendo aumentar o risco de queda.1 
Colchão 
É uma superfície de apoio que se pode colocar directamente sobre a estrutura de uma cama, 
não necessitando de uma base específica.1 
 
E - Propriedades principais das superfícies de apoio \u2013 imersão e envolvimento 
Imersão 
Refere-se à capacidade de uma superfície de apoio que permite que um utente se afunde nela. 
Como o corpo se afunda, aumenta também o contacto com a superfície de apoio, o peso do 
utente é redistribuído através de uma área maior, levando a uma maior dispersão da pressão. A 
imersão (figura 6) é maior sobre as superfícies mais suaves, tem também o potencial para ser 
maior nas superfícies mais espessas. Nos materiais macios, o utente pode vir a experimentar o 
efeito de "Bottom Out\u201d, isto é, acaba sentado ou deitado sobre a estrutura subjacente da cama 
ou cadeira, pois a superfície de apoio tornou-se tão comprimida, que perdeu as suas 
características (ver descrição deste efeito mais à frente no ponto dedicado à manutenção).4,6,8 
 
 
Figura 6 - Imersão e envolvimento. (Traduzido e adaptado de: International review. Pressure 
ulcer prevention: pressure, shear, friction and microclimate in context. A consensus document. 
London: Wounds International, 2010). 
 
Envolvimento 
Refere-se à forma como uma superfície de apoio consegue moldar-se / adaptar-se aos contornos 
do corpo e acomoda as áreas irregulares, tais como dobras na roupa ou cama.4 
O grau de envolvimento e imersão da superfície de apoio pode ser gravemente prejudicada por 
um aumento da tensão na superfície de apoio, na capa da superfície de apoio - efeito Hammock 
(figura 7). Por exemplo, uma capa apertada impede a imersão e o envolvimento do utente na 
superfície de apoio, resultando numa suspensão acima da superfície de apoio, sem qualquer 
redistribuição da pressão e impedindo que a superfície de apoio se molde aos contornos do 
corpo.4,6 
 
Figura 7 - Efeito Hammock. (Traduzido e adaptado de: International review. Pressure ulcer 
prevention: pressure, shear, friction and microclimate in context. A consensus document. 
London: Wounds International, 2010). 
 
Imersão e envolvimento têm implicações na mobilidade e independência dos doentes. Exige um 
esforço relativamente pequeno pôr-se de pé, quando se está sentado ou deitado numa 
superfície dura, que não tem qualquer tipo de imersão e / ou envolvimento, mas a mesma 
manobra realizada a partir de um colchão de água requer um esforço muito maior por causa do 
alto grau de imersão e de envolvimento.4 
O objetivo destas superfícies será sempre de, através das diferentes densidades dos materiais 
empregues nas superfícies, moldar-se / adaptar-se às proeminências ósseas dos doentes (figura 
8). 
 
Figura 8 - Capacidade de um material se moldar / adaptar à pressão exercida sobre ele. Imagem 
gentilmente cedida pela Invacare®. 
 
F - As diferentes superfícies de apoio 
 
As superfícies de redistribuição de pressão estão disponíveis em várias formas, desde colchões 
de sobreposição, colchões e sistemas integrados de cama (tabela 1 e 2). 
Um colchão de sobreposição pode elevar a superfície de dormir ao nível das grades laterais; o 
risco de o utente cair da cama deve ser avaliado. Idealmente, as grades laterais devem ter pelo 
menos mais dez centímetros que a superfície do colchão. 
Colchões de redistribuição de pressão podem muitas vezes ser utilizados para substituir 
colchões normais, permitindo o uso da cama existente. 
Um sistema de cama integrado combina uma estrutura da cama e superfície de apoio, 
normalmente um colchão de pressão alternada. São mais utilizados para doentes de alto risco 
como forma de prevenção, para o tratamento de úlceras de pressão de categoria III / IV e para 
os doentes que realizaram cirurgia reconstrutiva de úlceras de pressão com recurso a retalhos.4,6 
 
 
 
Tabela 1 \u2013 As diferentes formas de apresentação das superfícies de apoio. 
 
Tabela 2 \u2013 As superfícies de apoio podem ser divididas conforme a sua natureza de ação. 
 
Pressão de ar alternada 
Superfícies de apoio de pressão de ar alternada redistribuem ciclicamente a pressão insuflando 
e desinsuflando zonas da superfície de apoio. O ciclo de insuflação deve ser de uma amplitude 
e duração suficiente para conseguir \u201clevantar\u201d o corpo das células que desinsuflam, o tempo 
suficiente para permitir a reperfusão da área que esteve em contacto com a superfície de apoio. 
Uma superfície de apoio de pressão de ar alternada eficaz deve garantir um cuidadoso equilíbrio 
As superfícies 
de apoio podem 
ser divididas 
conforme são:
integradas 
na cama
colchão
sobre colchão
almofada de 
cadeira de rodas
almofada de sobreposição 
para cadeira de rodas
- pressão de ar alternada
- ar fluidizado
- rotação lateral
- baixa perda de ar
- por zonas
- mistas ou combinadas
- de espuma 
Superfícies 
de apoio 
entre o alívio da pressão e o conforto do doente, deve também possibilitar o ajuste das suas 
características e ter em consideração as necessidades individuais do doente. Com esta superfície 
consegue-se controlar a frequência, a duração e a amplitude dos ciclos de insuflação e 
desinsuflação (figura 9).1,3,4,6,7 
 
 
Figura 9 - Colchão de pressão de ar alternado. (Traduzido e adaptado de: Rodriguez PM, Lópes 
CP, Garcia MP, Ibars MP. Superficies especiales para el manejo de la présion en prevención y 
tratamento de las ulceras por presión. Serie Documentos Técnicos GNEAUPP nº XIII. Grupo 
Nacional para el Estudio y Asesoramiento en Úlceras por Presión y Heridas Crónicas. Logroño. 
2011). 
 
 
Ar fluidizado 
É uma característica de uma superfície de apoio que possibilita uma redistribuição da pressão 
através de um meio parecido com um líquido. Este efeito é criado forçando o ar a circular através 
do meio de grânulos de silicone ou de vidro, forçando-os a adotar características de um líquido, 
e tem um poder enorme de imersão e envolvimento do utente (figura 10).1 
 
 
Figura 10 - Mecanismo de ação de uma cama de ar fluidizada. (Traduzido e adaptado de: 
International review. Pressure ulcer prevention: pressure, shear, friction and microclimate in 
context. A consensus document. London: Wounds International, 2010). 
Rotação lateral 
Uma característica de algumas superfícies de apoio, camas e colchões, que proporcionam ao 
utente