Lei Complementar Nº 101 2000
115 pág.

Lei Complementar Nº 101 2000


DisciplinaAdministração101.158 materiais759.181 seguidores
Pré-visualização27 páginas
...16
Conteúdo...................................................................................................................16
Prazos.......................................................................................................................17
n Lei de Diretrizes Orçamentárias \u2013 LDO...................................................................................17
Anexo de metas fiscais......................................................................................................18
Anexo de riscos fiscais......................................................................................................19
n Lei Orçamentária Anual \u2013 LOA................................................................................................19
n Execução orçamentária e cumprimento das metas....................................................................20
Execução orçamentária e execução financeira...................................................................21
Mecanismo de ajuste das dotações orçamentárias
à realidade do fluxo financeiro \u2013 Avaliação bimestral.........................................................21
n Relatório resumido da execução orçamentária........................................................22
Acompanhamento das metas fiscais \u2013 Avaliação quadrimestral............................................23
n Relatório de gestão fiscal.......................................................................................23
Outros aspectos a serem observados na execução orçamentária...........................................24
n Recursos vinculados a finalidade específica............................................................24
 n Pagamento de precatórios.....................................................................................24
4 Receita pública..............................................................................................................................25
n Renúncia de receita.................................................................................................................26
5 Despesa pública.............................................................................................................................28
n Despesas com serviços de terceiros..........................................................................................29
n Despesa com pessoal................................................................................................................29
Limites de gastos com pessoal............................................................................................31
Regra de transição para o ente ou poder que está abaixo do limite........................................31
Apuração da despesa com pessoal......................................................................................32
Roteiro para cálculo da despesa de pessoal.........................................................................32
Controle da despesa total com pessoal...............................................................................32
Despesas com seguridade social.........................................................................................34
6 Transferências...............................................................................................................................36
n Transferências voluntárias......................................................................................................36
n Destinação de recursos públicos para o setor privado.................................................................37
n Operações dos fundos financeiros e de desenvolvimento............................................................38
7 Dívida pública e endividamento..................................................................................................40
n Limites da dívida pública..........................................................................................................41
n Recondução da dívida aos limites..............................................................................................42
n Operações de crédito................................................................................................................42
Vedações....................................................................................................................43
Operações de crédito por antecipação de receita................................................................43
8 Garantia e contragarantia...........................................................................................................45
9 Restos a pagar e despesas de exercícios anteriores....................................................................46
10 Gestão patrimonial.....................................................................................................................48
11 Transparência, controle e fiscalização......................................................................................49
n Escrituração e consolidação das contas.....................................................................................49
Prazos para consolidação das contas públicas.....................................................................50
12 Observações para a rápida adaptação à Lei...............................................................................51
13 Flexibilização de prazos para enquadramento........................................................................52
14 Calendário de obrigações da LRF...............................................................................................53
n Anexos...................................................................................................................................55
Modelos de quadros...........................................................................................................56
n n n n n Relatório resumido da execução orçamentária......................................................57
nnnnn Relatório de gestão fiscal......................................................................................63
Texto da Lei de Responsabilidade Fiscal............................................................................66
Lei de crimes Fiscais (Lei Nº 10.028, de 19 de outubro de 2000)........................................108
8
1 INTRODUÇÃO
O desequilíbrio fiscal ocorre quando um ente governamental, seja a União,
um estado, o Distrito Federal ou um município, apura déficit fiscal de forma
sistemática e continuada.
Entende-se como déficit a realização de despesas em montante superior ao
volume de receitas efetivamente arrecadadas. Considerando que os orçamentos
são sempre equilibrados, ou seja, os valores das despesas fixadas são compa-
tíveis com o volume de receita que se pretende ou que se supõe que será arre-
cadado, o déficit ocorre quando da sua execução. Na prática, é comum que as
receitas efetivamente arrecadadas sejam inferiores, às vezes até muito inferiores,
às previstas e as despesas mantenham-se no patamar fixado no orçamento, quan-
do não o ultrapassam, através de suplementações.
Excesso de despesas, comparativamente com as receitas arrecadadas, gera
dívidas que podem ser formais, quando contratadas com um banco, por exem-
plo, onde se faz uma operação de crédito para cobrir o déficit de caixa, ou
simplesmente decorrentes de atrasos nos pagamentos de salários dos servido-
res, no recolhimento das obrigações sociais, nas faturas dos prestadores de
serviço, etc.
Qualquer que seja a natureza do déficit, ele resultará numa dívida que, para
ser saldada, dependerá da existência de superávit em outros exercícios.
O déficit não é um mal em si mesmo, por vezes pode ser necessário. Um
ente governamental pode contrair uma dívida para fazer um investimento, cons-
truir um hospital, uma escola ou uma estrada.