HC  SEMANA 8
3 pág.

HC SEMANA 8


DisciplinaPrática Penal1.341 materiais5.096 seguidores
Pré-visualização1 página
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR DESEMBARGADOR DA 2 VICE PRESIDENCIA DO EGREGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Ref. Processo
 Fulano de tal, advogado, regularmente inscrito na Oab/RJ, sob número _ , com endereço profissional, vem respeitosamente a presença de V. Exa, com fundamento nos 5º, LXVIII, CF, bem como 647e seguintes do CPP, interpor
HABEAS CORPUS COM PEDIDO DE LIMINAR
 Em favor de Michael da Silva, ora recolhido no presídio zxy, que está sofrendo constrangimento ilegal em sua liberdade de locomoção por ato do MM.Juízo da 22 Vara Criminal da Comarca da Capital, consoante fatos e fundamentos que passa a expor
DOS FATOS
 O paciente foi preso em flagrante no dia 10 de junho de 2016 pela prática de crime previsto no art. 16, parágrafo único, IV da lei 10.826/03 e art 28 da Lei 11.343/06. O APF foi lavrado e distribuído a 22 Vara Criminal da Comarca da Capital, onde foi requerida sua liberdade provisória, onde foi negado pelo juízo sob fundamentação de ser crime grave e o acusado ser um homem agressivo. O paciente não possui antecedentes criminais.
DOS FUNDAMENTOS
 O paciente encontra preso por força de ato ilegal da autoridade coatora, que, injustificadamente negou legítimo pedido de liberdade provisória.
 Em resumo, a aludida decisão entendeu pela prisão com argumentos de que cuida-se de hipótese de crime grave e comportamento do paciente seria violento. Quaisquer argumentos não se sustentam a luz do Art. 312, CPP.
 A gravidade do crime por si so e a referencia do comportamento agressivo do acusado sem qualquer fundamentação, não caracterizam quaisquer dos requisitos do art 312, CPP
 Nesse sentido, é firme tanto a doutrina, quanto a jurisprudência dos nossos Tribunais.
 Conclui-se, portanto, pela ilegalidade da prisão, vez que seus requisitos autorizadores num processo democrático , norteado pela presunção de inocência. 
DA LIMINAR
 
 A presente ordem de Habeas Corpus deve se concedida em caráter liminar, pois presente seus requisitos.
 O fumus bonis iuris está demostrada pela fartas razões acima tratadas. Já o Periculum in mora, se caracteriza no fato de estar o paciente preso com risco de dano irreparável ou de difícil reparação com sua permanência no cárcere.
 
DO PEDIDO
Ante tais razões, espera respeitosamente de Vossa Excelencia 
O recebimento da presente ordem de Habeas Corpus
Concessão da liminar, vez que presente os requisitos, restabelecendo de imediato a liberdade de locomoção do paciente.
No mérito, a concessão de ordem para confirmada a liminar, restabelecer definitivamente a liberdade.
Pede Deferimento
Local, Data
Adv
Oab