Tratamento de Efluentes Volume  3
88 pág.

Tratamento de Efluentes Volume 3


DisciplinaTratamento de Água e Efluentes28 materiais556 seguidores
Pré-visualização20 páginas
ANEXO 03 
DZ-077.R-0 \u2013 DIRETRIZ PARA ENCERRAMENTO DE ATIVIDADE EFETIVA 
OU POTENCIALMENTE POLUIDORA OU DEGRADADORA DO AMBIENTE 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ANEXO 04 
EMBASAMENTO LEGAL
Reúne-se, neste anexo, o arcabouço legal estruturado (esferas federal e estadual), a ser 
utilizado inicialmente em consonância com o que ora está sendo apresentado. Cabe 
destacar que faz parte do escopo da elaboração do PERS a Proposição de Normas e 
Diretrizes para a Disposição Final Ambientalmente Adequada de Rejeitos. 
- LEGISLAÇÃO E NORMAS FEDERAIS 
Lei Nº 12.305, de 2 de agosto de 2010 que Institui a Política Nacional de Resíduos 
Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. 
Resoluções do Conselho Nacional do meio Ambiente (CONAMA): 
\uf0d8 Nº 03 de 28 de junho de 1990 que instituiu o Programa Nacional de Controle da 
Qualidade do Ar "PRONAR\u201d. 
\uf0d8 Nº 10 de 1º de outubro de 1993 que estabelece os parâmetros básicos para análise 
dos estágios de sucessão da Mata Atlântica. 
\uf0d8 Nº 006, de 04 de maio de 1994 que determina a apresentação de parâmetros 
mensuráveis para análise dos estágios de sucessão ecológica da Mata Atlântica. 
\uf0d8 Nº 237, de 19 de dezembro de 1997 que Dispõe sobre licenciamento ambiental; 
competência da União, Estados e Municípios; listagem de atividades sujeitas ao 
licenciamento; Estudos Ambientais, Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de 
Impacto Ambiental. 
\uf0d8 Nº 303, de 20 de março de 2002 Dispõe sobre parâmetros, definições e limites de 
Áreas de Preservação Permanente. 
\uf0d8 N° 307, de 5 de julho de 2002, Alterada pela Resolução nº 448/12 (altera os artigos 2º, 
4º, 5º, 6º, 8º, 9º, 10 e 11 e revoga os artigos 7º, 12 e 13); Alterada pela Resolução nº 
431/11 (alterados os incisos II e III do art. 3º); Alterada pela Resolução nº 348/04 
(alterado o inciso IV do art. 3º); Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a 
gestão dos resíduos da construção civil. 
\uf0d8 Nº 357, de 17 de março de 2005 que Dispõe sobre a classificação dos corpos de água 
e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as 
condições e padrões de lançamento de efluentes, e da outras providencias. 
\uf0d8 Nº 420, de 28 de dezembro de 2009, que dispõe sobre critérios e valores orientadores 
de qualidade do solo quanto à presença de substâncias químicas e estabelece 
diretrizes para o gerenciamento ambiental de áreas contaminadas por essas 
substâncias em decorrência de atividades antrópicas. 
\uf0d8 N° 430, de 13 de maio de 2011 - Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento 
de efluentes, complementa e altera a Resolução no 357, de 17 de março de 2005, do 
Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA. 
Normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT): 
\uf0d8 NBR 10.004 \u2013 Resíduos Sólidos \u2013 Classificação. 
\uf0d8 NBR 10005 - Lixiviação de Resíduos. 
\uf0d8 NBR-11.682 \u2013 Estabilidade de Encostas. 
\uf0d8 NBR 13133 \u2013 Execução de levantamento topográfico. 
\uf0d8 NBR 8.419 \u2013 Apresentação de projetos de aterros sanitários de resíduos sólidos 
Urbanos. 
\uf0d8 NBR 8.849 \u2013 Apresentação de projetos de aterros controlados de resíduos sólidos 
urbanos. 
\uf0d8 NBR 13.896 \u2013 Aterros de resíduos não perigosos \u2013 critérios para projetos, implantação 
e operação \u2013 procedimento. 
\uf0d8 NBR 6484 - Solo - Sondagens de simples reconhecimento com SPT \u2013 Método de 
ensaio. 
\uf0d8 NBR 13.292 \u2013 Determinação do coeficiente de permeabilidade de solos granulares à 
carga constante 
\uf0d8 NBR 13.895 (1997) - Construção de Poços de Monitoramento e Amostragem. 
\uf0d8 NBR 14.545 (2000) \u2013 Determinação do coeficiente de permeabilidade de solos 
argilosos à carga variável 
- LEGISLAÇÃO E NORMAS ESTADUAIS 
Decreto-lei nº 134, de 16 de junho de 1975 que Dispõe sobre a prevenção e o controle da 
poluição do meio ambiente no Estado do Rio de Janeiro e dá outras providências. 
Lei Estadual nº 5.101, de 4 de outubro de 2007 que Dispõe sobre a Criação do Instituto 
Estadual Do Ambiente \u2013 INEA e sobre outras Providências para Maior Eficiência na 
Execução das Políticas Estaduais de Meio Ambiente, de Recursos Hídricos e Florestais. 
Decreto Estadual nº 42.159, de 2 de dezembro de 2009 que Dispõe sobre o Sistema de 
Licenciamento Ambiental -SLAM e dá outras providências. 
Manual de Sinalização de Trânsito do CONTRAN e nos casos omissos o Manual do 
DNIT, além de recomendações do DER-RJ. 
Diretrizes (DZ), Normas (NT) e Instruções Técnicas (IT) do INEA: 
\uf0d8 DZ-077.R-0 - Diretriz para Encerramento de Atividades Potencialmente Poluidoras ou 
Degradadoras do Meio Ambiente. 
\uf0d8 DZ-703 R.4 - Roteiro para Apresentação de Projeto de Tratamento de Efluentes 
Líquidos. 
\uf0d8 DZ-215.R-4 \u2013 Diretriz de Controle de Carga Orgânica Biodegradável em Efluentes 
Líquidos de Origem Sanitária 
\uf0d8 DZ-205.R-6 - Diretriz de Controle de Carga Orgânica em Efluentes Líquidos de Origem 
Industrial. 
\uf0d8 DZ- 1313.R-1 - Diretriz para Impermeabilização Inferior e Superior de Aterros de 
Resíduos Industriais Perigosos. 
\uf0d8 NT-202.R-10 - Critérios e Padrões para Lançamento de Efluentes Líquidos. 
\uf0d8 NT-213.R-4 - Critérios e Padrões para Controle da Toxicidade em Efluentes Líquidos 
Industriais. 
\uf0d8 IT-1302.R-1 - Instrução Técnica para Requerimento de Licenças para Aterros 
Sanitários. 
 
 
 
ANEXO 05 
MINUTA DE TERMO DE REFERÊNCIA DE PROJETO PARA ÁREA DEGRADA POR LIXÃO 
 
1 OBJETO 
O presente documento tem por objetivo a contratação de empresa especializada, para 
\u201cElaboração de Projeto do Atual Vazadouro no Município............................. no Estado do 
Rio de Janeiro\u201d, o qual deverá levar em consideração as recomendações e 
determinações da Legislação em vigor, da SEA e das especificações constantes deste 
Termo de Referência. 
O serviço contratado consiste no desdobramento do Programa Lixão Zero, que se refere 
à remediação do atual Vazadouro no Município de ......................................, que faz parte 
do Consórcio............................., constituído pelos municípios de 
..................................................................................., no Estado do Rio de Janeiro. 
2 JUSTIFICATIVA 
O Governo Estadual através da SEA lançou o Programa Pacto pelo Saneamento que tem 
o subprograma Lixão Zero, visando aperfeiçoar a integração entre os diversos atores em 
atendimento a Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei n° 12.305 promulgada em 
2010, onde a SEA busca alcançar a erradicação dos lixões existentes em vários 
municípios. 
Este termo de referência objetiva fornecer subsídios básicos e orientar a empresa 
executora dos quanto aos estudos mínimos que deverão compor o produto final a ser 
entregue a SEA. Este produto deverá ser capaz de nortear a remediação do atual 
vazadouro no município de .........................., no Estado do Rio de Janeiro. 
3 ESCOPO DOS SERVIÇOS 
A contratada deverá desenvolver o projeto básico adequado em termos técnicos, 
econômicos e ambientais, ou seja, encontrar a melhor solução para a remediação do 
atual vazadouro no município de ......................................... 
As atividades e serviços a seguir fazem parte do objeto, porém não se limitam, devendo a 
CONTRATADA proceder todos os serviços necessários ao perfeito cumprimento do 
objeto. 
3.1 Informações Preliminares 
Dentre as informações preliminares a serem levantadas podem ser citadas as seguintes: 
\uf0a7 Localização; 
\uf0a7 Acessos externos (estudo preliminar de tráfego); 
\uf0a7 Disponibilidade de matérias, ferramentas e equipamentos na região; 
\uf0a7 Disponibilidade