CAB Práticas integrativas fitoterapia
154 pág.

CAB Práticas integrativas fitoterapia


DisciplinaFitoterapia600 materiais2.219 seguidores
Pré-visualização40 páginas
\u2022	Resolução	RDC	nº	17,	de	2000,	da	Agência	Nacional	de	Vigilância	Sanitária	\u2013	Ministério	
da Saúde, que dispõe sobre o registro de medicamentos fitoterápicos.
\u2022	Portaria	nº	254,	de	2002,	do	Ministério	da	Saúde,	que	aprova	a	Política	Nacional	de	
Atenção à Saúde dos Povos Indígenas. No item 4.5 \u2013 Promoção ao uso adequado 
e racional de medicamentos, estabelece: \u201cNas ações que envolvem direta ou 
indiretamente a assistência farmacêutica no contexto da atenção à saúde indígena, 
devem também compor as práticas de saúde tradicionais dos povos indígenas, 
que envolvem o conhecimento e o uso de plantas medicinais e demais produtos 
da farmacopeia tradicional no tratamento de doenças e outros agravos à saúde\u201d 
(BRASIL, 2002). 
138
Ministério da Saúde | Secretaria de Atenção a Saúde | Departamento de Atenção Básica
\u2022	 Resolução	 RDC	 nº	 210/ANVISA,	 de	 4	 de	 agosto	 de	 2003,	 que	 determina	 a	 todos	
os estabelecimentos fabricantes de medicamentos o cumprimento das diretrizes 
estabelecidas no Regulamento Técnico das Boas Práticas para a Fabricação de 
Medicamentos, conforme o Anexo I da presente resolução.
\u2022	Resolução	RDC	nº	48,	de	16	de	março	de	2004,	da	Agência	Nacional	de	Vigilância	Sanitária	
\u2013 Ministério da Saúde, que dispõe sobre o registro de medicamentos fitoterápicos. 
Concomitantemente à RDC 48, foram publicadas as Resoluções Específicas (RE): RE 
88 \u2013 Lista de referências bibliográficas para avaliação de segurança e eficácia; RE 89 
\u2013 Lista de registro simplificado de fitoterápicos (atualizada pela Instrução Normativa 
05/dez. 2008); RE 90 \u2013 Guia para a realização de estudos de toxicidade pré-clínica; e 
RE 91 \u2013 Guia para realização de alterações, inclusões, notificações e cancelamentos 
pós-registro. 
\u2022	 Decreto	 Presidencial	 de	 17	 de	 fevereiro	 de	 2005,	 que	 cria	 grupo	 de	 trabalho	
interministerial para elaboração da Política Nacional de Plantas Medicinais e 
Fitoterápicos (BRASIL, 2005). 
\u2022	RDC	nº	267/Anvisa,	de	22	de	setembro	de	2005,	que	aprova	o	\u201cregulamento	técnico	
de espécies vegetais para o preparo de chás\u201d. Prorrogada(o) por: Resolução RDC nº 
181, de 3 de outubro de 2006.
\u2022	Portaria	GM	nº	971/Ministério	da	Saúde,	de	3	de	maio	de	2006,	que	aprova	a	Política	
Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS, contemplando as 
áreas de plantas medicinais e fitoterapia, medicina tradicional chinesa/acupuntura, 
homeopatia e termalismo social/crentoerapia (BRASIL, 2006). 
\u2022	RDC	nº	219/Anvisa,	de	22	de	dezembro	de	2006,	que	aprova	a	 inclusão	do	uso	das	
espécies vegetais e parte(s) de espécies vegetais para o preparo de chás constante da 
Tabela 1 do Anexo desta resolução, em complementação às espécies aprovadas pela 
Resolução Anvisa RDC nº 267, de 22 de setembro de 2005.
\u2022	Decreto	Presidencial	nº	5.813,	de	22	de	junho	de	2006,	que	aprova	a	Política	Nacional	
de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, e dá outras providências (BRASIL, 2006).
\u2022	 Portaria	 GM	 nº	 853,	 Ministério	 da	 Saúde,	 de	 17	 de	 novembro	 de	 2006,	 que,	 em	
seu artigo 1º, contempla \u201cincluir, na tabela de serviços/classificação do Sistema de 
Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES) de Informações do SUS, o 
serviço de código 068 \u2013 Práticas Integrativas e Complementares...\u201d. A fitoterapia está 
relacionada ao código de classificação 002 (BRASIL, 2006).
\u2022	Portaria	GM	nº	2.311/Ministério	da	Saúde,	de	29	de	setembro	de	2006,	republicada	
em 22 de fevereiro de 2007, que nomeia grupo de trabalho interministerial para 
elaborar o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (BRASIL, 2007). 
\u2022	RDC	nº	67/Anvisa,	de	8	de	outubro	de	2007,	que	dispõe	sobre	o	Regulamento	Técnico	
sobre Boas Práticas de Manipulação de Preparações Magistrais e Oficinais para Uso 
139
PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERAPIA NA SAÚDE DA FAMÍLIA
Humano em Farmácias e seus Anexos.
\u2022	Portaria	GM	nº	154,	de	24	de	janeiro	de	2008,	republicada	em	4	de	março	de	2008,	
que cria os núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF).
\u2022	Portaria	SAS/MS	nº	154,	de	18	de	março	de	2008,	que	institui	o	Cadastro	Nacional	de	
Estabelecimentos de Saúde, o manual e o Sistema SCNES.
\u2022	 Resolução	 nº	 477,	 de	 28	 de	maio	 de 2008, do Conselho Federal de Farmácia, que 
dispõe sobre as atribuições do farmacêutico no âmbito das plantas medicinais e 
fitoterápicos, e dá outras providências. 
\u2022	Portaria	nº	1.274/GM,	do	Ministério	da	Saúde,	de	25	de	junho	de	2008,	que	institui	
Grupo Executivo para o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos.
\u2022	RDC	nº	 87/Anvisa,	 de	 21	de	novembro	de	 2008,	 que	 altera	o	 regulamento	 técnico	
sobre Boas Práticas de Manipulação em Farmácias.
\u2022	 RDC	 nº	 95/Anvisa,	 de	 11	 de	 dezembro	 de	 2008,	 que	 regula	 o	 texto	 de	 bula	 de	
medicamentos fitoterápicos. 
\u2022	Portaria	Interministerial	nº	2.960,	de	9	de	dezembro	de	2008,	que	aprova	o	Programa	
Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos e cria o Comitê Nacional de Plantas 
Medicinais e Fitoterápicos. 
\u2022	 Instrução	 Normativa	 nº	 5/Anvisa,	 de	 11	 de	 dezembro	 de	 2008,	 que	 determina	 a	
publicação da \u201clista de medicamentos fitoterápicos de registro simplificado\u201d.
\u2022	 RDC	 nº	 95/Anvisa,	 de	 11	 de	 dezembro	 de	 2008,	 que	 regula	 o	 texto	 de	 bula	 de	
medicamentos fitoterápicos. 
\u2022	Portaria	SAS	nº	84,	de	25	de	março	2009,	que	adequa	o	serviço	especializado	134	\u2013	
Serviço de Práticas Integrativas e sua classificação 001 \u2013 Acupuntura. 
\u2022	 Instrução	 Normativa	 nº	 10,	 de	 17	 de	 agosto	 de	 2009,	 que	 aprova	 a	 relação	 dos	
medicamentos isentos de prescrição que poderão permanecer ao alcance dos usuários 
para obtenção por meio de autosserviço em farmácias e drogarias.
\u2022	Portaria	nº	2.982/GM,	do	Ministério	da	Saúde,	de	26	de	novembro	de	2009,	que	aprova	
as normas de execução e de financiamento da Assistência Farmacêutica na Atenção 
Básica e define o elenco de referência de medicamentos e insumos complementares 
para a Assistência Farmacêutica na Atenção Básica (inserção de dois fitoterápicos no 
elenco).
\u2022	RDC	nº	14,	de	31	de	março	de	2010,	que	dispõe	sobre	o	registro	de	medicamentos	
fitoterápicos. 
\u2022	Instrução	Normativa	nº	5,	de	31	de	março	de	2010,	que	estabelece	a	lista	de	referências	
140
Ministério da Saúde | Secretaria de Atenção a Saúde | Departamento de Atenção Básica
bibliográficas para avaliação de segurança e eficácia de medicamentos fitoterápicos. 
\u2022	RDC	nº	10,	de	9	de	março	de	2010,	que	dispõe	sobre	a	notificação	de	drogas	vegetais	
junto à Anvisa. 
\u2022	RDC	nº	17,	de	16	de	abril	de	2010,	que	dispõe	sobre	as	Boas	Práticas	de	Fabricação	de	
Drogas Vegetais sujeitas a notificação. 
\u2022	Portaria	GM	nº	886,	de	20	de	abril	de	2010,	que	institui	a	Farmácia	Viva	no	âmbito	do	
Sistema Único de Saúde (SUS). 
\u2022	 Portaria	 GM	 nº	 1.102,	 de	 12	 de	 maio	 de	 2010,	 que	 constitui	 comissão	 técnica	 e	
multidisciplinar de elaboração e atualização da Relação Nacional de Plantas Medicinais 
e Fitoterápicos (Comafito).
\u2022	 Portaria	 nº	 4.217/GM/MS,	 de	 29	 de	 dezembro	 de	 2010,	 que	 aprova	 as	 normas	 de	
financiamento e execução do Componente Básico da Assistência Farmacêutica e 
insere oito fitoterápicos no elenco (revoga a Portaria nº 2.982/GM/MS, de 26/11/09).
\u2022	 Portaria	 SAS	 nº	 470,	 de	 19	 de	 agosto	 de	 2011,	 que	 inclui,	 na	 Tabela	 de	 Serviços/
Classificação do Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES), 
no serviço de código 125 \u2013 serviço de Farmácia, a classificação 007 \u2013 Farmácia Viva.
\u2022	Portaria	nº	2.488/GM/MS,	de	21	de	outubro	de	2011,	que	aprova	a	Política	Nacional	
de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização 
da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes 
Comunitários de Saúde (PACS). 
\u2022	 Portaria	 MS/GM	 nº	 533,	 de	 28	 de	 março	 de	 2012,	 que	 estabelece	 o	 elenco	 de	
medicamentos e