trabalho de Gestão de Qualidade
23 pág.

trabalho de Gestão de Qualidade


DisciplinaGestão da Qualidade14.763 materiais215.824 seguidores
Pré-visualização8 páginas
se necessário, para a qualificação e certificação;
CAPÍTULO IV \u2013 AUDITORIA
Todas as normas de que tratam de sistemas de gestão enfatizam a importância das auditorias internas desses sistemas como uma ferramenta chave da direção das organizações para atingir os objetivos estabelecidos a partir de suas políticas.
Em 2002, foi publicada a ISO 19011 e a versão brasileira foi editada pela ABNT com a denominação de NBR ISO 19011 \u2013 Diretrizes para Auditoria de Sistemas de Gestão da Qualidade e ou Ambiental. Esta norma fornece diretrizes para a gestão de programas de auditoria, para a realização de auditorias internas ou externas de sistemas de gestão da qualidade e/ou ambiental, assim como para a determinação da competência e a avaliação dos auditores.
4.1 \u2013 Princípios da auditoria
A auditoria é caracterizada pela confiança em cinco princípios. A aceitação desses princípios é um pré-requisito para permitir que os auditores trabalhem independentemente entre si, chegando a conclusões semelhantes em circunstâncias semelhantes. São eles:
Conduta ética \u2013 a confiança, integridade, confidencialidade e a discrição são essenciais para o processo de auditoria; é o fundamento do profissionalismo.
Apresentação justa \u2013 as constatações, conclusões e os relatórios da auditoria devem refletir verdadeiramente e com precisão as atividades auditadas.
Devido cuidado profissional (competência) \u2013 os auditores precisam considerar a importância da tarefa que eles executam e a confiança colocada pelos clientes de auditoria e outras partes interessadas.
Independência \u2013 constitui a base para a imparcialidade da auditoria e para a objetividade de suas conclusões.
Abordagem baseada em evidências \u2013 devem ser baseadas em fatos e dados objetivos para serem passíveis de reprodução.
4.2 \u2013 Tipos de auditoria
A auditoria é definida como um processo sistemático, documentado e independente, para obter evidências de auditoria. Existem três tipos:
primeira parte \u2013 realizada internamente pela própria organização;
segunda parte \u2013 realizada por uma organização interessada em outra organização, e
terceira parte \u2013 realizada por um organismo independente com vistas à certificação.
4.3 \u2013 Objetivos do programa de auditoria
Ao se estabelecer um programa de auditoria devem ser definidos os objetivos do programa para que haja o planejamento, sua extensão e/ou abrangência, as responsabilidades, os recursos e os procedimentos para a implantação do programa de auditoria.
Os fatores que influenciam nesses objetivos devem ser identificados pelo programa de auditoria tendo em vista assegurar sua eficácia. Dentre eles, destacam-se:
prioridades estabelecidas pela alta direção;
intenções comerciais da organização;
requisitos dos sistemas de gestão existentes;
requisitos regulamentares e contratuais já existentes;
necessidade de avaliação de fornecedores;
necessidade de verificar o atendimento aos requisitos dos clientes;
necessidades de outras partes interessadas, e
os riscos identificados para a própria organização \u2013 visão preventiva.
4.4 \u2013 Implantação do programa de auditoria
O gestor desse processo não pode deixar de:
comunicar o programa aos envolvidos;
coordenar e programar as auditorias planejadas;
estabelecer e manter um processo de avaliação dos auditores;
selecionar a equipe de auditores;
fornecer os recursos necessários;
assegurar a realização das auditorias de acordo com o programa;
assegurar o controle dos registros de auditoria;
assegurar a análise crítica, aprovação e distribuição do relatório de auditoria ao cliente da auditoria;
assegurar as ações de acompanhamento de auditoria, quando aplicável.
4.5 \u2013 Principais não conformidades
As principais não conformidades encontradas em auditorias estão relacionadas aos seguintes requisitos da NBR ISO 9001:2000:
controle de documentos (item 4.2.3);
projeto e desenvolvimento (item7. 3);
aquisição (item 7.4);
controle de dispositivos de medição e monitoramento (item 7.6);
medição e monitoramento de processos (item 8.2.3), e
medição e monitoramento de produtos (item 8.2.4).
4.6 \u2013 Auditorias externas
As auditorias externas são realizadas de acordo com as listas de verificação previamente preparada pela equipe de certificação, baseada na norma NBR ISO 9001:2000 e na documentação da empresa, previamente avaliada. O objetivo da auditoria é verificar se o Sistema de Gestão da Qualidade está implantado em conformidade com os requisitos da Norma, com o manual da qualidade, com os procedimentos e instruções que o descrevem.
Dependendo do escopo da certificação, do porte da empresa e do número de auditores, a equipe de auditores poderá se dividir e auditar, ao mesmo tempo, diferentes áreas da organização, de acordo com o plano de auditoria preestabelecido.
4.7 \u2013 Emissão do certificado
A princípio, a emissão do certificado leva de trinta a sessenta dias até o seu encaminhamento final. No certificado estão resumidas as informações importantes sobre a certificação concedida:
a identificação do organismo de certificação credenciado;
as datas da concessão e expiração da certificação;
o número de registro do certificado;
a norma NBR ISO 9001:2000;
a identificação das unidades da empresa certificada;
a linha de produtos a qual o sistema de gestão da qualidade certificada se aplica;
assinatura, carimbos e logotipo do Organismo de Certificação Credenciado (OCC) e organismo(s) credenciador (es).
Nesse ponto é assinado o contrato de certificação com o OCC, onde são estabelecidas as regras a serem cumpridas pela empresa para a manutenção da certificação concedida.
Figura 1.5 \u2013 Modelo de Certificado BSI
Figura 1.6 \u2013 Modelo de Certificado IQA
Figura 1.7 \u2013 Modelo de Certificado BVQI
4.8 \u2013 Manutenção da Certificação
A manutenção da certificação durante o período de validade \u2013 três anos \u2013 do certificado e a posterior recertificação são de exclusiva responsabilidade da organização. Para isso, a empresa deve observar as regras contratuais estabelecidas pelo órgão certificador.
As regras para a manutenção da certificação variam pouco entre os diversos organismos e envolvem, basicamente:
não usar o símbolo ou logotipo de certificação em produtos ou de forma que se possa interpretar que o mesmo ateste a conformidade do produto;
informar, imediatamente, ao organismo certificador as alterações no sistema de gestão da qualidade da empresa em planejamento ou já efetuadas;
supervisão periódica, semestral ou anual, do Sistema de Gestão da Qualidade pelo organismo de certificação;
caso as regras do organismo certificador sejam alteradas e a empresa se mostre capaz de garantir conformidade aos novos requisitos;
a empresa parar de fornecer o produto e/ou serviço por um determinado período de tempo;
cumprir as obrigações financeiras junto ao organismo de certificação.
A expiração do prazo de certificação, a princípio três anos, requer a renovação, através de uma auditoria de recertificação.
4.9 \u2013 Organismos Certificação Credenciados
Entre os vários organismos credenciados pelo INMETRO para a realização de auditorias e certificação de empresas, destacam-se:
ABNT \u2013 Associação Brasileira de Normas Técnicas
BSI \u2013 British Standards Institution \u2013 Quality Assurance
BVQI \u2013 Bureau Veritas Quality International
CCB \u2013 Centro Cerâmico do Brasil
DNV \u2013 Det Norske Classificadora Ltda.
FCAV \u2013 Fundação Carlos Alberto Vanzolini
IQB \u2013 Instituto da Qualidade do Brinquedo e Artigos Infantis
RINA \u2013 Registro Italiano Navale
SGS \u2013 International Certification Services Certificadora Ltda.
TECPAR \u2013 Instituto de Tecnologia do Paraná.
Figura 1.8 \u2013 Logomarca de Acreditação DNV
Figura 1.9 \u2013 Logomarca de Acreditação SGS
CAPÍTULO V \u2013 VANTAGENS DA IMPLANTAÇÃO DA ISO 9001
A adoção das normas ISO é vantajosa para as organizações uma vez que lhes confere maior organização, produtividade e credibilidade \u2013 elementos facilmente identificáveis pelos clientes \u2013, aumentando a sua competitividade nos mercados nacional e internacional. Os processos organizacionais necessitam ser