exemplo de relatorio
14 pág.

exemplo de relatorio


DisciplinaRelatorio de Graduacao48 materiais863 seguidores
Pré-visualização3 páginas
t o instante em que a chave passa de a para b;
\uf0a7 q = carga abandonada pelo capacitor num durante um tempo t;
\uf0a7 Q0 = C V = carga inicial ou carga armazenada no capacitor antes de começar a 
descarga. Observe que Q0 não é necessariamente igual a Qf definido quando do 
carregamento.
\uf0a7 \u3c4= RC = constante de tempo capacitiva do circuito. É o tempo necessário para que a 
carga do capacitor decresça 63,21% do valor inicial, ou seja, a carga no capacitor 
neste instante é 36,79% da carga inicial.
3 - Procedimento experimental para a carga um capacitor
1) Conectamos em série uma fonte de tensão CC, um amperímetro, um capacitor 
(C=36000µF) e um resistor (R=900\u2126).
5
2) Calculamos a constante de tempo capacitiva teórica \u3c4teo. (\u3c4teo = 32,4s) Isso foi 
necessário caso se precisasse trocar o capacitor e/ou o resistor para que a esta constante 
fosse razoavelmente grande (maior que 30s).
3) Foi estabelecida uma fem da fonte (\u3b5= 10V), e mantida fixa até o final das medidas. 
Neste ponto deve ser observado que este valor deve ser no máximo igual à tensão nominal 
do capacitor (Vnominal = 70V). Calculamos I0 = \u3b5/R, para ter uma idéia da escala do 
amperímetro a ser usada.
4) Procuramos descarregar, por precaução , o capacitor colocando seus terminais em curto-
circuito.
5) Preparamo-nos para executar as medições de tempo com um cronômetro.
6) No instante em que ligamos a fonte, anotamos a corrente inicial. Este instante era t=0.
7) Fizemos várias medidas de tempo e corrente, anotando tudo numa tabela. Para saber 
quais e quantos pontos medir, no mínimo, deve-se ir até t aproximadamente duas vezes a 
constante de tempo e fazer pelo menos 20 medidas.
II - Resultados e análises 
1 - Resultados
A seguir apresentamos todos os resultados obtidos na experiência sobre o 
carregamento de um capacitor na tabela 1. Na primeira coluna estão tabelados os instantes 
de tempo estipulados para as medidas, lidos diretamente com o cronômetro. Na segunda 
coluna estão tabelados os valores de corrente elétrica observados nos tempos 
correspondentes, lidos com o amperímetro. Na terceira coluna, estão calculados os valores 
da carga elétrica armazenada no capacitor em função do tempo. Para isso, usamos a 
equação q = Qf ( 1 - e-t/\u3c4 ), com Qf = C\u3b5 = 0,36C e \u3c4 = 32,4s. Na última coluna, estão 
tabelados os valores da corrente elétrica obtidos teoricamente a partir da equação 
I = I0 e-t/\u3c4, com I0 = \u3b5/R = 0,01111A e \u3c4 = 32,4s.
t (s) Iexp (A) q (C) Iteo (A)
0 0,01084 0 0,011111
5 0,00946 0,051481 0,009522
10 0,00821 0,0956 0,008160
15 0,00711 0,13341 0,006994
20 0,00618 0,165813 0,005993
25 0,00530 0,193583 0,005136
30 0,00466 0,217381 0,004402
35 0,00402 0,237776 0,003772
40 0,00350 0,255254 0,003233
45 0,00305 0,270233 0,002771
50 0,00266 0,28307 0,002374
55 0,00233 0,294071 0,002035
60 0,00202 0,303499 0,001744
65 0,00176 0,311579 0,001494
70 0,00155 0,318503 0,001281
t (s) Iexp (A) q (C) Iteo (A)
75 0,00136 0,324438 0,001098
80 0,00119 0,329523 0,000941
85 0,00105 0,333881 0,000806
90 0,00093 0,337616 0,000691
95 0,00081 0,340817 0,000592
100 0,00072 0,343561 0,000507
105 0,00063 0,345911 0,000435
110 0,00056 0,347926 0,000373
115 0,00049 0,349653 0,000319
120 0,00044 0,351132 0,000274
125 0,00039 0,352401 0,000235
130 0,00033 0,353487 0,000201
135 0,00030 0,354419 0,000172
140 0,00027 0,355217 0,000148
145 0,00024 0,355901 0,000127
Tabela 1. Tabulação de todos os dados coletados na experiência sobre a carga de um capacitor
Apresentamos a seguir alguns diagramas mostrando graficamente os resultados 
tabelados acima e também algumas linhas de tendência.
7
Figura 4. Corrente em função do tempo durante a carga do capacitor. C=36000µF, R=900\u2126 e \u3b5=10V.
Figura 5. Carga em função do tempo durante a carga do capacitor. C=36000µF, R=900\u2126 e \u3b5=10V
carga capacitor C=36000uF, R=900ohms, V=10V
-2
0
2
4
6
8
10
12
0 30 60 90 120 150 180
t(s)
i(
m
A
)
pontos originais
tendencia inicial
carga capacitor C=36000uF, R=900ohms, V=10V
0
0,05
0,1
0,15
0,2
0,25
0,3
0,35
0,4
0,45
0 30 60 90 120 150 180
t(s)
q
(C
)
carga que o capacitor adquire em funcao do tempo
tendencia inicial
Carga final
8
Figura 6. linha de tendência da corrente em função do tempo durante a carga do capacitor. C=36000µF, 
R=900\u2126 e \u3b5=10V
2 - Análise dos resultados 
O ponto de cruzamento da linha de tendência inicial como o eixo dos tempos, é a 
constante de tempo capacitiva \u3c4. Analisando as linhas de tendências iniciais mostradas nos 
dois primeiros gráficos acima, verificamos a boa concordância de \u3c4 lido com \u3c4teo 
calculado no item 2 do procedimento experimental.
Comparando I0 (teórico) calculado no item 3 com o I0 (exp), mostrados na segunda 
linha da tabela 1, verificamos uma boa concordância com erro experimental de 
aproximadamente 2%.
Calculamos a carga Qf que o capacitor adquiriria se o processo de carga continuasse 
por um longo tempo. O valor teórico é Qf = C\u3b5 = 0,36C. Observando-se o gráfico 2, o ponto 
final da curva de carga está muito próximo deste valor (pela tabela vemos que o último 
carga capacitor c=36000uF, R=900ohms, V=10V
y = 10,225e-0,0264x
0
2
4
6
8
10
12
0 30 60 90 120 150 180
t(s)
i(
m
A
)
pontos originais
regressao exponencial
9
valor de Q é 0,355901 C). Ou seja, o capacitor foi carregado com 99% da carga permitida 
pelos valores das grandezas elétricas utilizadas.
No gráfico 1 vemos claramente o decrescimento exponencial da corrente em função 
do tempo. 
No gráfico 2 vemos também claramente o comportamento exponencial da carga que 
o capacitor vai adquirindo em função do tempo. 
No gráfico 3 apresentamos a curva de tendência da corrente elétrica, bem como, a 
equação para esta curva: y = 10,225e-0,0264x. Comparando esta equação com a equação da 
corrente, I=I0 e-t/\u3c4 e como a escala de corrente está em miliamperes, vemos que 
I0(tendência)=10,225mA e \u3c4(tendência) =1/0,0264 = 37,9s, em boa concordância com os 
valores teóricos.
Conclusão
Vimos que um circuito RC simples é formado por um resistor e um capacitor 
conectados em série com uma fonte de tensão CC. 
Quando a fonte é ligada, o capacitor começa a carregar, inicialmente com uma taxa 
alta, mas cada vez menor à medida que o tempo passa. Como a carga é uma grandeza 
difícil de ser medida, é mais fácil medir a corrente elétrica. 
Os resultados experimentais relatados neste trabalho estão em plena concordância 
com a hipótese formulada. A corrente elétrica medida decresce exponencialmente com o 
tempo conforme prevê a teoria, isto é, não encontramos discordância entre os resultados 
encontrados e aqueles previstos pela teoria existente.
Como esta é uma atividade simples e com resultados bastante coerentes, ela pode 
ser executada em quaisquer ambientes desde que se possuam os componentes elétricos 
necessários à pesquisa.
Convém deixar claro, entretanto, que ela pode ser melhor explorada, com mais 
precisão dos resultados, dependendo dos objetivos a que se destina. E isso é perfeitamente 
natural, pois o conhecimento científico está em constante evolução e as necessidades da 
humanidade se tornam cada vez mais exigentes.
Referências
CERVO, A. L. e BERVIAN, P. A Metodologia Científica. São Paulo: Makron, 1996.
HALLIDAY, D. E RESNICK, R. Física. Rio de Janeiro:Livros Técnicos e Científicos, 
1987.
RAMALHO, F. J. et al. Os fundamentos da física. São Paulo:Moderna, 1983.
	CARGA E DESCARGA DE CAPACITORES
	JAIR LÍBERO CADORIN
	Professor da UNED/SJ
	São José, Junho de 2001
	Resumo