CAB DM
162 pág.

CAB DM


DisciplinaDietoterapia I1.055 materiais5.570 seguidores
Pré-visualização42 páginas
4.2 Complicações agudas do diabetes .........................................................................................................67
4.2.1 Descompensação hiperglicêmica aguda ......................................................................................67
4.2.2 Hipoglicemia .................................................................................................................................69
4.3 Prevenção e manejo das complicações crônicas do diabetes ...............................................................71
4.3.1 Doença macrovascular ..................................................................................................................71
4.3.2 Doença microvascular e neuropática ...........................................................................................73
4.4 Diabetes e depressão ..............................................................................................................................80
4.5 Diabetes e multimorbidade ...................................................................................................................81
Referências ....................................................................................................................................................83
5 Avaliação e Cuidados com os Pés de Pessoas com Diabetes Mellitus na 
Atenção Básica ......................................................................................................................... 91
5.1 Introdução ...............................................................................................................................................93
5.2 Fisiopatologia .........................................................................................................................................94
5.3 Consulta de acompanhamento de pessoas com DM e a avaliação dos pés ........................................94
5.4 Classificação de risco para complicações no pé ..................................................................................100
5.5 Pessoas com DM e ulcerações nos pés .................................................................................................102
5.6 Pontos-chave para educação em Saúde de pessoas com DM para prevenção da ulceração nos pés .....103
Referências ..................................................................................................................................................106
6 Recomendações Nutricionais de Apoio à Pessoa com Glicemia Alterada ou 
Diabetes Mellitus ................................................................................................................... 109
6.1 Introdução .............................................................................................................................................111
6.2 O papel das equipes de Saúde na abordagem da alimentação saudável para adultos com 
glicemia alterada ou diabetes mellitus na AB ..........................................................................................111
6.3 Recomendações nutricionais para adultos com DM tipo 2 em consulta médica e de 
enfermagem na AB ....................................................................................................................................113
 Referências .................................................................................................................................................122
7 Atividade Física para Pessoas com Diabetes Mellitus ..................................................... 127
7.1 Introdução .............................................................................................................................................129
7.2 Orientação da atividade física para a pessoa com DM ......................................................................129
 Referências .................................................................................................................................................133
8 Saúde Bucal e Diabetes Mellitus: recomendações para o trabalho das equipes da 
Atenção Básica e orientações clínicas para o cirurgião-dentista ....................................... 135
8.1 Introdução .............................................................................................................................................137
8.2 Consulta de Saúde Bucal para pessoas com DM tipo 2 na Atenção Básica .......................................138
8.3 Orientação para o manejo clínico de pessoas com DM em consulta odontológica .........................141
 Referências .................................................................................................................................................145
Apêndices ............................................................................................................................... 147
Apêndice A \u2013 Indicadores para a linha de cuidado das pessoas com DM ...............................................149
Apêndice B \u2013 Recomendações para o armazenamento, transporte, preparo e aplicação da insulina .... 152
Anexos .................................................................................................................................... 157
Anexo A \u2013 Tabela para o Cálculo Estimado da Filtração Glomerular para Pessoas do Sexo Feminino ....158
Anexo B \u2013 Tabela para o Cálculo Estimado da Filtração Glomerular para Pessoas do Sexo Masculino ....... 159
13
Ministério da Saúde | Secretaria de Atenção à Saúde | Departamento de Atenção Básica DIABETES MELLITUS
Graus de Recomendação e Níveis de Evidência
Um dos maiores desafios para os profissionais da Atenção Básica é manterem-se adequadamente 
atualizados, considerando a quantidade cada vez maior de informações disponíveis. A Saúde 
Baseada em Evidências, assim como a Medicina Baseada em Evidências são ferramentas utilizadas 
para instrumentalizar o profissional na tomada de decisão com base na Epidemiologia Clínica, na 
Estatística e na Metodologia Científica.
Nesta Coleção, utilizaremos os graus de recomendação propostos pela Oxford Centre for 
Evidence Based Medicine e os níveis de evidência propostos pelo Sistema GRADE (Grades of 
Recommendation, Assessment, Development and Evaluation) como embasamento teórico.
Leia mais sobre Medicina Baseada em Evidências em Cadernos de Atenção Básica, nº 
29 \u2013 Rastreamento, disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_
atencao_primaria_29_rastreamento.pdf>.
O grau de recomendação é um parâmetro, com base nas evidências científicas, aplicado a 
um parecer (recomendação), que é emitido por uma determinada instituição ou sociedade. Esse 
parecer leva em consideração o nível de evidência científica. Esses grupos buscam a imparcialidade 
na avaliação das tecnologias e condutas, por meio da revisão crítica e sistemática da literatura 
disponível (BRASIL, 2011a). O Quadro 1 resume a classificação dos Graus de Recomendação 
propostos pela Oxford Centre for Evidence Based Medicine.
Quadro 1 \u2013 Classificação dos Graus de Recomendação da Oxford Centre for Evidence 
Based Medicine e tipos de estudo que levam em consideração
Grau de 
Recomendação
Nível de Evidência Exemplos de Tipos de Estudo
A Estudos consistentes de nível 1.
Ensaios clínicos randomizados e revisão de 
ensaios clínicos randomizados consistentes.
B
Estudos consistentes de nível 
2 ou 3 ou extrapolação de 
estudos de nível 1.
Estudos de coorte, caso-controle e 
ecológicos e revisão sistemática de estudos 
de coorte ou caso-controle consistentes ou 
ensaios clínicos randomizados de menor 
qualidade.
C
Estudos de nível 4 ou 
extrapolação de estudos de 
nível 2 ou 3.
Séries de casos, estudos de coorte e caso/
controle de baixa qualidade.
D
Estudos de nível 5 ou estudos 
inconsistentes ou inconclusivos