A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
Controle Social

Pré-visualização | Página 4 de 7

reprováveis; 
c-ritualistas: o desinteresse em atingir as metas e o medo do fracasso e as regras sociais são consideradas “ritos”; 
d-evasão: o abandono das metas e dos meios institucionalizados. O indivíduo não se adere as regras; e
e-rebelião: inconformismo e revelia. O indivíduo se nega a seguir os meios e as metas.
Esse desequilíbrio entre os meios e as metas ocasionaria o comportamento de desvio individual (ou em grupo), pois o indivíduo no empenho de alcançar as metas que lhe foram sugeridas e não dispondo de meios para tal, buscaria outros meios, mesmo que contrários aos interesses sociais.
Atualidade da anomia
 
 Qual é a importância da problemática da anomia para a sociologia jurídica moderna? Com base nas referidas críticas e~em algumas análises recentes (Orris, 1987; Marra, 1991; Hemández, 1993) podemos indicar três usos do conceito de anomia.
 
 Anomia e ineficácia do direito
 
 A anomia leva, muitas vezes, ao descumprimento das normas jurí dicas, causando a ineficácia do preceito (Lição 3, 2, b). Neste contexto, a anomia pennite distinguir duas hipóteses de ineficácia do direito:
 a) Ineficácia ocasional: descumprimento da norma apesar de sua aceitação. Exemplo: muitos homicidas estão plenamente de acordo com a proibição do homicídio e consideram que violaram a norma em uma situação excepcional (medo, desespero etc.). Aqui temos uma ineficácia do direito sem relação com a anomia.
 b) Ineficácia anômica: descumprimento de norma que o indivíduo considera inadequada ou injusta. Exemplo: um grupo político pratica atos terroristas puníveis pela legislação acreditando que age no interesse da humanidade. A ineficácia da norma é devida à situação de rebelião que vivencia este grupo.
 A ineficácia anômica causa particulares problemas porque os indivíduos violam as normas por convicção. 
DIFERENÇA ENTRE A CRIMINOLOGIA E A SOCIOLOGIA DOS DESVIOS
Qual é a diferença entre desvio e crime?  Ambos são a violação da norma social. O crime tem a característica adicional de que uma lei foi criada contra ele, tornando-o um crime ou uma ofensa criminal.  Nem tudo o que é ilegal é criminoso; uma multa de estacionamento não é uma ofensa criminal; conduzir sobre o efeito do álcool já é
Duas disciplinas distintas, mas relacionadas, ocupam-se do estudo do crime e do desvio. A Criminologia interessa-se pelas formas de comportamento sancionadas pela lei criminal. 
Os criminologistas normalmente se interessam por técnicas de mensuração do crime, tendências em índices de criminalidade e políticas que visem a redução do crime dentro das comunidades. 
A Sociologia do desvio se utiliza da pesquisa criminológica, mas também investiga a conduta que se encontra além do domínio da lei criminal. Os sociólogos procuram entender por que determinados tipos de comportamento são amplamente considerados desviantes.
Exemplo: CRIME DAS CORPORAÇÕES: Delito cometido por grandes corporações na sociedade. Ex: propaganda enganosa, poluição, etc. CRIME DO COLARINHO BRANCO Atividades criminosas realizadas por pessoas em cargos de colarinho-branco ou profissionais. 
SOCIOLOGIA DO DESVIO: O desvio trata-se de uma não-conformidade com determinado conjunto de normas aceitas pela maioria em uma comunidade ou sociedade. Nenhuma sociedade pode ser repartida, de um modo simples, entre aqueles que se desviam das normas e aqueles que agem de acordo com ela.
A maioria de nós, em algum momento da vida, transgride regras de comportamento geralmente aceitas. Ex: Exceder o limite de velocidade, passar trotes telefônicos, etc. Um exemplo é o culto Hare Krishna. Em alguns casos, são vistos com tolerância pela população, mesmo que suas idéias pareçam excêntricas. A sociologia do desvio é o ramo da sociologia que se ocupa com o estudo do comportamento desviante e a interpretação de suas razões. 
Subcultura desviante – uma subcultura cujos membros possuem valores que ferem substancialmente dos valores da maioria da sociedade. Os Hare Krishnas representam um exemplo de uma subcultura desviante.
- Crime e desvio
O desvio e o crime não são sinônimos, embora, em muitos casos, se sobreponham. O conceito de desvio é bem mais amplo do que o de crime, que se refere apenas a uma conduta que infringe uma lei. O conceito de desvio pode ser aplicado tanto no comportamento individual como no da atividade de grupos
DESVIO SOCIAL: 
 Modos de agir em desconformidade com as normas ou valores mantidos pela maioria dos membros de uma sociedade. As variações de interpretação do comportamento desviante são tão amplas quanto às normas e os valores que distinguem diferentes culturas e subculturas entre si. Muitas formas de comportamento que são apreciadas em um contexto são depreciadas por outros. 
CRIME:
Ação que transgrida leis estabelecidas por autoridade política. Embora pareça que os criminosos constituem uma subseção totalmente distinta da população, há poucas pessoas no mundo que não infringiram a lei de uma forma ou de outra no decorrer das suas vidas.
OS MECANISMOS DE CONTROLE SOCIAL PODEM SER:
a) inconsciente(tradição, costumes, convenção)
b)consciente: (técnicas utilizadas por lideres e chefes através de mecanismos negativos ou inibidores (policia, tribunais) e positivas (incentivos ou recompensas)
NORMAS E SANÇÕES A vida social do ser humano é governada por regras e normas. Na maioria das vezes, seguimos normas sociais porque estamos acostumados a isso, em função do nosso próprio processo de socialização. 
Normas são regras de comportamento que refletem os valores de uma cultura, prescrevendo ou proibindo um determinado tipo de comportamento. As normas são sempre apoiadas por sanções que promovem a conformidade e protegem-nas da não conformidade.
 SANÇÕES : A palavra "sanções" tem duplo sentido. Em primeiro lugar, e de uso mais comum, "aplicar sanções" significa aplicar penalidades por determinadas condutas que violem disposições legais, regulamentos, usos ou costumes, ou criar restrições e proibições que cerceiam a liberdade de conduta. Rituais punitivos como reforçadores da solidariedade
Num segundo sentido, entendeu-se por "sanção" qualquer forma de aprovação de um ato ou forma de conduta determinados, ou a aprovação com que se ratifica a validez de algum ato, uso ou costume.
As sanções podem ser:
positivas (recompensas pela conformidade) 
negativas (punições pelo comportamento desobediente).
formais (representados pelos tribunais e pelas prisões)
informais (repreensão social). 
Internas: decorrente dos valores e critérios de moralidade próprio de cada sociedade, cultura ou indivíduo
Externas: aplicadas pelo Estado, através das sanções
São causas dos desvios: 
- Socialização falha ou carente;
- sanções fracas;
-cumprimento banalizado da sanção;
- alcance indefinido da norma (radicais fanáticos, fundamentalistas)
- sigilo das infrações ;
- execução injusta ou corrupta da lei;
- legitimação subcultural do desvio;
-sentimento de lealdade para com o grupo em desvio
Alguns aspectos relacionados à conformidade e ao desvio:
A meta da pressão social trata-se de uma conformidade manifesta;
o grupo reprime variações extremas;
os limites da tolerância variam (status do infrator..)
mudanças da tolerância em épocas de crise, conflito;
 tolera-se mais o desvio das normas em uma conformidade grande e heterogênea do que numa pequena e homogênea (complexidade dos grupos)
a família, a vizinhança e a igreja são órgãos com menos poder que no passado, ao passo que as empresas e o Estado tendem a adquirir mais força.
 
II – DESVIO SOCIAL E TIPOS DE SOCIEDADE SEGUNDO DURKHEIM:
QUANDO HÁ DESAJUSTE, QUANDO A SOCIEDADE NÃO ESTÁ SOCIALIZADA, OCORRE O QUE DURKHEIM DENOMINOU DE ANOMIA
Durkheim entende que a sociedade passa por um determinado processo de evolução e essa evolução que está sendo provocada pela diferenciação

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.