A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
ACORDO DE dissolução uniao estavel pronto

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 
 
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ____VARA 
CÍVEL DA COMARCA DE CATALÃO – GOIÁS. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
NILSON RIBEIRO MACHADO, brasileiro, união estável, 
motorista, portador do RG nº. 4069002 DGPC/GO, inscrito no CPF sob o nº. 
907.239.531-04, residente e domiciliado na Rua Alameda das Acácias, nº. 
158, casa 01, Residencial Liz, Catalão-GO, CEP 75700-000 e JESSIKA 
DAIANE DALARMI ANDRADE, brasileira, união estável, do lar, portadora do 
RG nº. 486632593 SSP/SP, inscrita no CPF sob o nº. 403.308.388-06, 
redidente e domiciliada na Rua Maria Rita Ferraro Favero, nº. 33, Bairro João 
Aranha, Paulinia-SP, CEP 13145-817, vem respeitosamente, através de seu 
procurador infra-assinado, à presença de Vossa Excelência para propor: 
 
 
ACORDO DE RECONHECIMENTO E DISSOLUÇÃO DE UNIÃO ESTÁVEL 
C/C GUARDA, ALIMENTOS E REGULAMENTAÇÃO DE VISITAS 
 
I - DOS FATOS 
Os Requerentes optaram por constituir um lar e viver sob 
o mesmo teto como se casados fossem em 29 de maio de 2009, conforme 
faz prova Escritura Pública de Declaração de União estável, conforme faz 
prova certidão em anexo. 
Desta união adveio o nascimento do filho CAUÃ 
ANDRADE RIBEIRO, nascido no dia 21 (vinte e um) de março de 2.011 (dois 
mil e onze), conforme atesta a certidão de nascimento em anexo. 
Ocorre que nos últimos meses a convivência dos 
Requerentes se tornou inviável, aflorando constantes incompatibilidades de 
 
 
 
2 
 
temperamento, gerando brigas e desavenças constantes, tornando 
impossível a continuidade da relação. 
Por livre e espontânea vontade e interesse comum, em 
agosto de 2012 (dois mil e doze) chegaram à conclusão de que o melhor para 
ambos seria a dissolução da sociedade de fato, de forma consensual, 
mediante as seguintes condições: 
 
II - DA CONFIGURAÇÃO DA SOCIEDADE DE FATO 
Os Requerentes oficializaram a união estável em 
08/08/2011, que foi registrada no Cartório de Registro de Títulos e 
Documentos, Protestos e Tabelionato 2º de Notas da Comarca de 
Catalão/GO, lavrada no Livro de Escritura nº. 05, ás fls, 171, conforme 
certidão em anexo. 
O casal viveu, portanto, como se casados fossem, 
tiveram um filho, viveram sob o mesmo teto, cumpriram os deveres recíprocos 
inerentes à condição de casados, permanecendo juntos, sem qualquer 
interrupção. 
Viviam, pois, imprimindo à sociedade, a precisa 
sensação de que constituíam uma nítida família conjugal, pois organizada nos 
moldes do casamento tradicional, apenas subtraída da prévia formalidade de 
sua pública celebração, embora desimpedidos de contrair matrimônio. Por 
ser assim, merecem ver reconhecida por sentença a sociedade havida, 
portanto requer-se. 
 
III - DA DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE DE FATO 
Inicialmente, o relacionamento transcorreu harmonioso. 
Contudo, recentemente a convivência foi tornada insuportável, fato que faz 
com que os requerentes resolvam por fim a sociedade até aqui existente, para 
o benefício dos dois. Deixando evidente pelas partes, o propósito do presente 
acordo de Dissolução de Sociedade de Fato. 
IV - DOS BENS 
 Os Requerentes não adquiriram bem. 
 
 
 
3 
 
 
VI - DAS DÍVIDAS 
Os Requerentes não possuem dívidas. 
 
VII - DA GUARDA 
O filho do casal permanece sob a guarda e 
responsabilidade de sua genitora, que a detém desde a separação fática. 
 
VIII - DA PRESTAÇÃO DA PENSÃO ALIMENTÍCIA 
 
Acordaram as partes que o Requerente NILSON 
RIBEIRO MACHADO arcará a título de pensão alimentícia ao filho menor com 
o valor de R$ 446,60 (quatrocentos e quarenta e seis e sessenta centavos), 
representado por um cartão alimentação (Sodexo Alimentação) em nome do 
alimentado e que ficará sob a responsabilidade da segunda Requerente 
JESSIKA DAIANE DALARMI ANDRADE. 
 
 
IX - DAS VISITAS 
 
No que tange ás visitas, resta estabelecido que ocorrerá 
de forma livre. 
 
X - DO DIREITO 
É induvidoso, pela legislação aplicável à espécie e 
mesmo pela pacífica jurisprudência, que a “união estável”, com todos os 
reflexos, patrimoniais inclusive, goza de proteção legal e pode ser 
reconhecida e dissolvida judicialmente. 
A Constituição Federal estabelece no art. 226, § 3º que 
prediz: 
 
 
 
4 
 
“para efeitos de proteção do Estado, é 
reconhecida a união estável entre o homem e a 
mulher como entidade familiar, devendo a lei 
facilitar sua conversão em casamento”. 
O Novo Código Civil por sua vez, no art. 1.723, dispõe 
que: 
“é reconhecida como entidade familiar a união 
estável entre o homem e a mulher, configurada 
na convivência pública, contínua e duradoura e 
estabelecida com o objetivo de constituição de 
família.” 
A união estável prolongou-se por um período de 3 (três) 
anos, compartilhando todos os aspectos da vida matrimonial, o que 
estabelece, portanto, um vínculo como companheiros, comprovado pela 
convivência prolongada sob o mesmo teto. Tal evidência é fato jurídico 
incontroverso irradiador de direitos e obrigações, legalmente protegido pelo 
estado. 
Buscando esta segurança jurídica, as partes requerem, 
em decorrência da impossibilidade de convívio sob o mesmo teto, a 
dissolução dessa sociedade de fato existente entre os dois. 
 
XI - DO PEDIDO 
Diante do exposto, estando tudo acordado, esperam os 
Requerentes: 
a) A total procedência do pedido para: 
a.2) Reconhecer a existência da união estável e de sua 
dissolução; 
a.3) Seja conferida a guarda e responsabilidade do 
menor CAUÃ ANDRADE RIBEIRO em favor de sua genitora, ora 
Requerente, JESSIKA DAIANE DALARMINI ANDRADE, regulamentando as 
visitas e a prestação alimentícia nos termos acordados; 
 
a.4) Que seja oficiado o Cartório de Registro de Títulos 
e Documentos, Protestos e Tabelionato 2º de Notas da Comarca de 
 
 
 
5 
 
Catalão/GO para que seja procedida a devida averbação de dissolução do 
vínculo, de acordo com todos os termos da presente. 
 
b) A intimação do douto representante do Ministério 
Público para, na condição de "custus legis", intervir e acompanhar a presente 
demanda ad finem, por envolver interesses de menor, sob pena de nulidade, 
ex vi dos artigos 178, incisos I, e 279, ambos do Código de Processo Civil; 
e) Isto posto, requerem se digne Vossa Excelência, 
atendidas as formalidades processuais, e ouvido o Ilustre Representante do 
Ministério Público, seja HOMOLOGADO POR SENTENÇA O PRESENTE 
ACORDO, para que surta seus jurídicos e legais efeitos. 
Protesta provar o alegado, por todos os meios admitidos 
em direito, notadamente os documentos inclusos, depoimento pessoal, 
testemunhal e demais que julgar necessário no decorrer do processo. 
Atribui-se à presente o valor de R$ 5.359,00 (cinco mil 
trezentos e cinquenta e nove), para efeitos fiscais. 
Termos com os quais pede e espera deferimento. 
 Catalão - GO, 31 de agosto de 2017. 
 
 
_____________________________________________________________ 
NILSON RIBEIRO MACHADO 
 
 
_____________________________________________________________ 
JESSIKA DAIANE DALARMI ANDRADE 
 
 
 
HEITOR AMORIM PEREIRA 
OAB/GO 34.386 
 
 
ELIÂNGELA BEZERRA ROSA 
OAB/GO 45.285

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.