ACIDENTES ÓSSEOS
7 pág.

ACIDENTES ÓSSEOS


DisciplinaAnatomia I27.964 materiais249.433 seguidores
Pré-visualização2 páginas
ACIDENTES ÓSSEOS
São aspectos estruturais adaptados para funções específicas, desenvolvidos ao decorrer da vida.
1)DEPRESSÕES E ORIFÍCIOS: Locais que permitem a passagem de tecidos moles- nervos, vasos sanguíneos, ligamentos e tendões- e/ou formação de articulações.
	ACIDENTES
	DESCRIÇÃO
	EXEMPLOS 
	FISSURAS
	Fenda estreita entre partes adjacentes dos ossos, pelas quais passam nervos e vasos sanguíneos.
	Fissura orbital superior do esfenóide.
	FORAME
	Orifício para passagem de vasos sanguíneos, nervos ou ligamentos.
	Forame obturado, forame redondo, forame espinhoso.
	FOSSA
	Depressão rasa
	Fossa infraespinhosa, fossa do olécrono.
	SULCO
	Sulco ao longo da superfície óssea que acomoda vasos sanguíneos, nervos e tendões.
	Sulco intertubercular do úmero.
	MEATO
	Orifício tubuliforme 
	Meato acústico
2)PROCESSOS: projeções e protuberâncias no osso que formam articulações ou pontos de fixação para tecido conjuntivo como tendões e ligamentos.
2.1. PROCESSOS QUE FORMAM ARTICULAÇÕES
	ACIDENTES
	DESCRIÇÃO
	EXEMPLOS
	CÔNDILO
	Protuberância arredondada grande, superfície articular lisa na extremidade.
	Côndilos lateral e medial do fêmur.
	FÓVEA
	Face ligeiramente convexa ou côncava lisa
	Face articular superior de uma vértebra.
	CABEÇA
	Projeção geralmente arredondada apoiada no colo do osso.
	Cabeça do fêmur, do rádio, do úmero.
2.2.PROCESSOS QUE FORMAM PONTOS DE FIXAÇÃO PARA TECIDO CONJUNTIVO.
	ACIDENTES
	DESCRIÇÃO
	EXEMPLOS
	CRISTA
	Crista proeminente ou projeção alongada.
	Crista ilíaca do osso do quadril, crista mediana do sacro.
	EPICÔNDILO
	Projeção normalmente enrugada acima do côndilo.
	Epicôndilo do fêmur.
	LINHA
	Margem ou crista estreita e longa
	Linha áspera do fêmur
	PROCESO ESPINHOSO
	Projeção delgada e acentuada
	Processo espinhoso das vértebras.
	TROCANTER
	Projeção muito grande 
	Trocanter maior e menor do fêmur.
	TUBÉRCULO
	Projeção de tamanho variável que possui superfícies rugosas.
	Tubérculo da costela, tubérculo maior e menor do úmero.
	TUBEROSIDADE
	Projeção de tamanho variávek que possui superfície rugosa.
	Tuberosidade deltóidea do úmero.
ESQUELETO AXIAL
Crânio, hióide, coluna vertebral, ossículos da audição e tórax;
1)Crânio:
	01 osso frontal;
02 ossos lacrimais;
 02 ossos nasais;
	01 etmóide: forma porção superior do teto nasal. 
Lâmina perpendicular mediana forma a parte superior do septo nasal; 
Células etmoidais formam os seis etmoidais;
Crista etmoidal 
Lâmina cribriforme 
	02 ossos da maxila: margem infra-orbital, forame infra orbital e processos alveolares;
		Fossa incisiva- anterior e medial ao osso palato duro
		Processos palatinos 
	01 Zigomático: 
Corpo;
processo temporal que se articula com o processo zigomático do temporal; arco zigomático;
	02 ossos parietais 
	01 osso temporal
		Processo zigomático;
		Arco zigomático;
		Poro acústico externo;
		Meato acústico externo;
		Processo mastóide-projeção arredondada da parte mastóidea do temporal, ponto de fixação de músculos do pescoço; 
		Processo estilóide- local de fixação de músculos e ligamentos da língua e pescoço; 
		Fossa mandibular \u2013 parte posterior do processo zigomático;
		Canal carótico \u2013 passagem da artéria carótida;
		Forame lacerado 
		Parte petrosa do temporal- parte próxima ao processo mastóide.
	01 osso esfenóide 
		Asa maior- vista lateral
		Forame Oval- base externa
		Forame espinhoso- base externa.
	01 osso occipital 
		Protuberância occipital externa
		Forame magno- inferior do osso. Onde o bulbo do encéfalo se conecta com a medula espinal. As artérias e nervos também o atravessam.
		Côndilo occipital- processos ovais convexos, responsáveis por articular com as depressões da primeira vértebra cervical e formar a articulação atlantoccipital.
	02 ossos parietais 
	02 ossos palatinos
	01 vômer- lâmina inferior para formação do septo nasal
	01 Mandíbula 
		Processos alveolares- onde se inserem os dentes;
		Ângulo da mandíbula- local de encontro entre o ramo e o corpo
		Ramo da mandíbula- duas partes perpendiculares ao ramo;
		Corpo da mandíbula- parte horizontal curvada.
		Processo condilar- posterior, articula com a fossa mandibular e o tubérculo articular do temporal;
		Processo coronóide- mais anterior
		Incisura da mandíbula-incisura entre processo coronóide e condilar
		Forame mentual- inferior ao segundo dente pré molar.
		Forame da mandíbula- na face medial de cada ramo.
#OBS: forame redondo, forame oval, forame espinhoso e forame lacerado;
Vértebras 
Corpo: massa volumosa anterior do osso, principal componente de sustentação do peso; Possuem também forames nutrícios.
Arco: se estende posteriormente a partir do corpo da vértebra, junta-se ao corpo da vértebra para envolver a medula espinal. Formado por pedículos-anteriormente- e lâminas- posteriormente.
Processo espinhoso: origina posteriormente no arco vertebral a partir fa junção das lâminas;
Processos transversos: 2 projetam-se posterolateralmente em cada lado, na junção entre a lâmina e o pedículo;
Processos articulares superiores e inferiores: articulam com os outros processos articulares das vértebras adjacentes; possuem faces articulares \u2013cobertas por cartilagem.
Forame transversário: forame no processo transverso, presente somente nas vértebras cervicais, por onde passam artéria vertebral e suas veias acompanhadas por fibras nervosas.
Forame invertebras- formado pela juntos entre os processos articulares das vértebras adjacentes.
Forames vertebrais- por onde passa a medula espinhal a medula vertebral. A sobreposição das vértebras e dos seus forames vertebrais forma o canal vertebral.
Atlas:C1, anel ósseo com arco anterior \u2013 articula com o dente do axis- e arco posterior. Não possui corpo ou processo espinhoso. Processos transversos possuem forames.
Áxis: não possui corpo vertebral, possui um processo denominado dente do áxis. Localizado anteriormente e forma a articulação atlantoaxial.
Sacro: possui forames sacrais anteriores e posteriores. Crista sacral mediana e lateral \u2013 localizadas na região posterior do sacro. Base do sacro \u2013 localizado na parte superior do sacro, parte mais larga. Promotório \u2013parte anterior da base do sacro. Ápice \u2013 região mais estreita. Hiato sacral \u2013 abertura inferior no canal sacral.
Asas do sacro: localizada superior, lateralmente e anteriormente no sacro.
No tórax
Esterno: dividido em 3 partes
	Manúbrio- parte superior;
	Corpo- parte média;
	Processo xifóide- ponta inferior do externo;
Costelas:
Verdadeiras: são 7, ligam-se à articulação do manúbrio;
Falsas: são 3, ligam-se a articulação da costela verdadeira;
Flutuantes: são 3, não se ligam.
Cabeça da costela: articula com as fóveas das vértebras toráxicas;
Tubérculo da costela: articula com os processos transversos das vértebras toráxicas.
Membro superior:
	Clavícula : convexa anterolateralmente e côncava anteromedialmente.
	Escápula : 
Processo espinhoso :voltado lateralmente.
Fossa infraespinal: inferir ao processo espinhoso;
Fossa supraespinal : superior ao processo espinhoso;
Fossa subescapular: anterior à escápula;
Cavidade glenóide: local de articulação com a cabeça do úmero;
Processo coracóide: local de fixação de músculos.
Acrômio: articula-se com a clavícula.
		Úmero: maior osso da parte livre superior.
			Cabeça do úmero: articulado com a cavidade glenóide;
			Colo: sulco oblíquo que delimita a cabeça do úmero.
			Tubérculo maior: projeção óssea lateral e superior;
			Tubérculo menor: projeção óssea medial e inferior;
			Tuberosidade deltóide: área enrugada, lateralmente, onde se fixa o músculo deltóide.
			Epicôndilo medial e lateral: projeções rugosas nos dois lados da extremidade distal do úmero, onde a maioria dos tendões do antebraço está aderida.
			Fossa do olécrono: entre os epicôndilos.
#OBS: capítulo e tróclea!!
		
Rádio: localizado na face lateral do antebraço
	Cabeça do rádio : forma discóide que articula com o capítulo