PARÂMETROS E INDICADORES DE DIMENSIONAMENTO DE PESSOAS
267 pág.

PARÂMETROS E INDICADORES DE DIMENSIONAMENTO DE PESSOAS


DisciplinaAdministração de Unidade de Alimentação e Nutrição - Uan1.954 materiais13.135 seguidores
Pré-visualização50 páginas
FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 
ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
GV - PESQUISA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
PARÂMETROS E INDICADORES DE DIMENSIONAMENTO DE PESSOAS 
EM HOSPITAIS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
DJAIR PICCHIAI 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SÃO PAULO 
2009 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Picchiai, Djair. 
 Parâmetros e indicadores de 
dimensionamento de pessoas em hospitais / 
Nome dos Integrantes \u2013 2009 
 Quantidade de folhas (267) 
 
 
 Pesquisa acadêmica \u2013 Escola de 
Administração de Empresas de São Paulo. 
Fundação Getulio Vargas. 
 
 1. Dimensionamento; 2. Quantificação; 3. 
Pessoas; 4. Parâmetros; 5. Indicadores; 6. 
Tempo padrão; 7. Hospitais; 8. Profissões; 9. 
Produção; 10. Produtividade; 11. Variáveis 
intervenientes e condicionantes, Leitos e 
Profissionais. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Dedicamos a realização desta pesquisa acadêmica 
às pessoas que amamos, e com eles queremos 
compartilhar esta alegria. 
Aos meus pais, que durante esta longa trajetória 
estiveram sempre lado a lado nos incentivando e 
nos mostrando os melhores caminhos a serem 
seguidos. 
A todas as pessoas que de alguma forma torceram 
por nós, nos incentivando nos momentos que mais 
necessitávamos e esperavam esse momento tanto 
quanto nós, próximas ou distantes, presentes ou 
ausentes, mas de alguma forma foram de 
fundamental importância para este trabalho. 
AGRADECIMENTOS 
 
Expressamos aqui nossa gratidão à GV \u2013 Pesquisa da Escola de 
Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, pelo apoio 
técnico e material. 
Deixamos consignados nossos agradecimentos a todos os profissionais da 
Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas e 
aos profissionais dos hospitais que contribuíram para essa pesquisa. 
Agradecemos a colaboração dos professores Peter Spink, coordenador do 
GV Pesquisa e do Centro de Gestão Pública e Cidadania e do professor emérito 
Claude Machline, ambos da EAESP-FGV. 
Agradecemos o apoio logístico do Departamento de Administração Geral e 
Recursos Humanos na figura de seu chefe, Professor Fábio Luiz Mariotto. 
Agradecemos a colaboração dos profissionais: Adriana Carro, Ana Maria de 
Cunha Campos, Claudio Collantonio, Débora Rita Burjato Santana, José Augusto 
Castro e Silva, Jucilene B. Mota, Leda Maria Doccosse Pavani, Leila Akemi Arashiro, 
Linus Pauling Fascina, Luiz Henrique Gamba, Marcos Vinícius Lopes de Miranda, 
Marina Kassab Carreira, Mosar Leone Mauro, Paola Carboni, Rodrigo Cesar da 
Silva, Santino Orce e Silvana R. V. Castellani. 
Agradecemos aos Hospitais: Hospital Albert Einstein, Hospital de Itapecerica 
da Serra, Hospital e Maternidade Santa Catarina, Hospital e Maternidade São Luiz, 
Hospital Geral da Penha em São Paulo, Hospital Geral de Carapicuíba, Hospital 
Hcor, Hospital Nove de Julho, Hospital Estadual da Vila Alpina, Hospital São Camilo, 
Hospital Samaritano São Paulo, Hospital Sírio Libanês, Hospital Santa Casa de 
Misericórdia São Paulo e ao Hospital Sepaco pela disponibilização das informações. 
Agradecemos também as alunas que participaram da pesquisa que originou o 
presente relatório como auxiliares de pesquisa, Bárbara Novack do CEAG - Curso 
de Especialização em Administração para Graduados, Camila Garcia Gonçalves, 
Edinéia de Oliveira e Renata Karpfenstein Guida do CEAHS - Curso de 
Especialização em Administração Hospitalar e Sistemas de Saúde. 
 
\u201cMedir o que é mensurável e tornar mensurável o que não é.\u201d 
(Konrad Lorenz) 
\u201cQuando você pode medir o assunto que está falando... você conhece alguma coisa 
sobre ele.\u201d 
(William Thompsom, Lord Kelvin) 
\u201cParte de uma cirurgia é fazer o que foi planejado. Mas a outra parte é reagir aos 
imprevistos. Por definição, é impossível prever o imprevisto.\u201d 
(Médico Cirurgião, Dr. Ben-Hur Ferraz Neto) 
\u201cAlguém precisa, urgentemente, colocar o guizo no rabo do gato.\u201d 
(Conversa entre ratos sobreviventes ao ataque felino) 
\u201cEm Deus todos nós confiamos, os demais têm que nos provar com dados.\u201d 
(E. Deming) 
\u201cDe todos os homens que conheço o mais sensato é o meu alfaiate. Cada vez que 
vou a ele, toma novamente minhas medidas. Quanto aos outros, tomam a medida 
apenas uma vez e pensam que seu julgamento é sempre do meu tamanho.\u201d 
(George Bernard Shaw) 
\u201cÉ bem diferente falar sobre touros e estar dentro da arena.\u201d 
(Provérbio espanhol) 
 
 
6 
 
 
 
 
RESUMO: Trata-se de uma pesquisa sobre parâmetros e indicadores quantitativos 
de pessoas em hospitais. Objetiva levantar e consolidar os tempos padrões, 
parâmetros e indicadores encontrados na literatura técnica, sobre dimensionamento 
de pessoas em hospitais. Busca relacionar os parâmetros e indicadores com as 
variáveis condicionantes do dimensionamento quantitativo de pessoas em hospitais, 
principalmente o número de leitos e a produção hospitalar. 
 
Palavras-chave: dimensionamento; quantificação; pessoas; parâmetros; 
indicadores; tempo padrão; hospitais; profissões; produção; produtividade; variáveis 
intervenientes e condicionantes, leitos e profissionais. 
 
ABSTRACT: The present work is an inquiry about how measure the necessary 
quantity of professionals in hospitals using quantitative indicators and parameters. Its 
objective is search and consolidates time standards, parameters and indicators from 
technical literature about sizing human resources in hospitals. It look for relate 
parameters and indicators with conditioning variables of how determinate human 
resources size in hospitals principally using indicators as number of beds and 
hospital production. 
 
Keywords: measure; quantify; professional health; human resources indicators, 
parameters; indicators; time standards; hospitals; professions; production; 
productivity; intervenient and conditional variable, beds and professionals. 
 
 
 
7 
TABELAS 
Tabela 01 Capacidade de produção por profissão 51 
Tabela 02 Cobertura de absenteísmo e férias 51 
Tabela 03 Índice de segurança técnica 53 
Tabela 04 Variáveis operacionais gerais 60 
Tabela 05 Classificação da indústria e serviços por categoria 60 
Tabela 06 Classificação de hospitais nos EUA de acordo com o número 
de leitos 60 
Tabela 07 Classificação de hospitais no Brasil por número de leitos SUS 61 
Tabela 08 Número de leitos (SUS) por 1.000 habitantes, segundo as 
regiões administrativas no Brasil 61 
Tabela 09 Indicadores nos hospitais de regiões brasileiras segundo 
ANAHP 62 
Tabela 10 Percentual de distribuição de emprego e de estabelecimentos de 
serviços de saúde detalhados em 2006 nos EUA 62 
Tabela 11 Capacidade dos hospitais psiquiátricos na Dinamarca 62 
Tabela 12 Capacidade dos hospitais psiquiátricos 63 
Tabela 13 Staff dos hospitais na Dinamarca 63 
Tabela 14 Médicos/10.000 hab 64 
Tabela 15 Enfermagem/10.000 hab 64 
Tabela 16 Dentista /10.000 hab 65 
Tabela 17 Leitos Hospitalares/10.000 hab 65 
Tabela 18 Profissionais por Região/10.000 hab 66 
Tabela 19 Distribuição de funcionários por grandes áreas dos hospitais 
estaduais no Estado de São Paulo em 2006 66 
Tabela 20 Composição do quadro de pessoas 67 
Tabela 21 Indicador funcionário por leito 67 
Tabela 22 Composição geral do quadro de pessoal com valores médios 67 
Tabela 23 Relação funcionário por leito 68 
Tabela 24 Relação funcionário/leito por país em 1987 69 
Tabela 25 Série histórica do indicador \u201cfuncionário por leito\u201d de hospitais 
gerais de pequeno, médio e grande porte, públicos e privados, 
participantes do PROAHSA. 70 
Tabela 26 Relação funcionários por leito, 1992 70