A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
A COMUNICAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA

Pré-visualização | Página 1 de 3

44
UNIP - UNIVERSIDADE PAULISTA
ICSC – INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO
COMUNICAÇÃO SOCIAL – PUBLICIDADE E PROPAGANDA
APS – ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS
A COMUNICAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA 
ARAÇATUBA 2017
ALEX BORGES DO AMARAL
ANAYLE BOZOLAN KATSUHARA SILVA
GIULIA D’ALEXANDRE BARBOM SORPILLI
MURILLO HENRIQUE DOS SANTOS PRADO
A COMUNICAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA 
Trabalho apresentado ao Curso de Comunicação Social, da Universidade Paulista (UNIP) de Araçatuba, para aprovação na Atividades Práticas supervisionada.
Orientadora: Prof.° Ms. Givaldo Reis 
ARAÇATUBA 2017
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO
Esta pesquisa vai apresentar e analisar A COMUNICAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA de uma empresa especifica, que no caso no nosso caso é o varejista PÃO DE AÇUCAR, um dos varejos de grande impacto no nicho de mercados do Brasil, tendo um grande leque de variedade e uma grande cartela de clientes.
Nas próximas páginas, vamos exibir a historia, peças, estratégia criativa, quais as mídias utilizadas e algumas campanhas que iremos analisar e descrever os seu foco principal. 
No final deste trabalho, pretende-se mostrar a necessidade e as vantagens de se recorrer a comunicação, tanto para incentivar a redução do número de carros circulando nas ruas como para aumentar a adesão ao uso do transporte público.
COMUNICAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA
Segundo Baker, a nova sofisticação do varejo pode ser atribuída, em parte, ao aumento do tamanho e do poder dos grandes varejistas. Esse crescimento é acompanhado da possibilidade em investir nos melhores equipamentos, nas técnicas mais atuais e, o que é mais importante, no melhor gerenciamento capacitado. Isso é tratado pelo aumento do interesse em cursos e carreiras de varejo entre os estudantes universitários e de pós-graduação. 
O varejo realmente atingiu a maioridade como uma área digna de estudo e como uma área de gerenciamento compensadora e muito profissional. De forma igual, observa-se que, na busca pela fidelidade do cliente, o varejo tem sido pressionado a fazer o uso de estratégias de comunicação cada vez mais focada no consumidor final, estabelecendo, assim, um grande ritmo de competição, o qual possibilita o crescimento e que principalmente esse segmento de negócio ainda permaneça. 
É bem nítido, nesse contexto, analisar o quanto o varejo é importante no âmbito mercadológico, e de como o mesmo afeta de maneira geral.Diversas empresas comercializam bens e serviços, tanto diretamente, quanto indiretamente ao consumidor final e milhões de reais são transacionado dia após dia em tais atividades. Por esses motivos, além de criar empregos e girar a economia do país, o varejo é um importante elemento do marketing, que permite explorar utilidade de posse, lugar e tempo. 
Uma das grandes chaves é a comunicação adequada para com os consumidores, e é a mesma que permite o sucesso no negócio varejista. Para se comunicar de forma eficiente, com uma grande audiência ou de consumidores, a empresa varejista deve criar, segundo o modelo misto apresentado por Las Casas e Bernardino, ações nas áreas de publicidade, propaganda, promoção e relações públicas.O estudo do fenômeno publicidade é multidisciplinar e é capaz de abranger conhecimentos muito diversos. A dificuldade do profissional de publicidade é conseguir, por meio de uma comunicação rápida, que a mensagem deste não só seja ouvida, mas também compreendida, gerando impacto, capaz de influenciar na formação de opinião do público alvo, determinando o seu comportamento. As ações na área de relações públicas e assessoria de imprensa estão fortemente ligada e tais ações são de caráter jornalístico ou informativo e, quando bem repassada e/ou promovidas, geram credibilidade e conseguem a confiança do alvo, em função dos baixos custos, atribuída às fontes jornalísticas devido.
A propaganda é um dos mais importantes meios de comunicação do composto promocional por definição, trata-se de uma comunicação indireta, por meio de mídias variadas com a presença do patrocinador com a sua devida identificação. Para que a agência de propaganda desenvolva toda a estratégia de comunicação da empresa e crie campanhas, o varejista deve definir claramente: o público-alvo; o posicionamento de mercado; a imagem que ele deseja construir ou fortalecer; e os diferenciais estratégicos que ele pretende apresentar para se destacar da concorrência no mercado e também aqueles reservados para superar as expectativas dos clientes (que não serão mostrados na propaganda). 
A propaganda como meio promocional apresenta vantagens de atingir “n” consumidores de acordo com os objetivos e as características visados pela organização. Quando a mídia escolhida é popularizada, o custo por indivíduo atingido é reduzido em virtude da possibilidade de alocar as despesas entre os vários clientes atingidos.
No entanto, a propaganda não conta com a vantagem da comunicação direta, de imediato feedback, como por exemplo a venda pessoal. Nesse caso, a medição do retorno ocorre de várias formas como análise de vendas, e pesquisas, como a de recall. Mesmo assim é uma ferramenta de promoção com forte muita influência, a mesma é a "alma do negócio" segundo o dito popular.
 Vários são os objetivos principais de propaganda para atividade varejista, entre eles podemos citar a imagem da loja, que dá ênfase na divulgação positiva, o que causa uma imagem agradável ao público. Entre os vários tipos de propaganda, é importante para o profissional que trabalha com o varejo, o uso da propaganda promocional, institucional e a cooperativa.
A propaganda promocional visa à venda direta. O principal foco é nos produtos comercializados pela empresa, e é esperado um determinado retorno. O enfoque pode ser nos valores, em novas coleções, etc.
Na propaganda institucional à venda não é direta, porém visa à promoção de imagem de algum produto ou mesmo da imagem da empresa; a meta realizar futuras vendas, fazendo com que o cliente lembre da empresa e dos produtos quando necessitar.
E por fim, a propaganda cooperativa, como o próprio nosso indica, os varejistas dividem as despesas de propaganda entre eles ou quando algum atacadista patrocina uma parte e divide a outra entre os demais anunciantes; há a presença de ajuda em todas as partes.Além disso, ainda se tratando de promoção, brindes, prêmios, shows, desfiles e amostras são muito utilizados atualmente para auxiliar na divulgação de determinado produto.
Histórico da empresa 
 A empresa foi fundada pelo imigrante português Valentim dos Santos Diniz, pai de Abílio, começou como uma doceria que se deu inicio na avenida Brigadeiro Luis Antônio, onde atualmente é a sede do grupo.
A inauguração foi em 1948 em São Paulo na qual a lojo foi inspirada no principal marco da cidade do Rio de Janeiro que ele avia visto em 1929 quando chegou ao Brasil de navio.
Na época, a doceria oferecia serviços de buffet além de grande variedade em produtos como balas de café, bolos, pães, salgados entre outros. Com o sucesso da doceria ocorreu a primeira expansão em 1952 com duas filiais 
Em 1959 a família Diniz após sete anos de experiência com as docerias Pão de Açúcar inaugurava a primeira loja de supermercado da empresa ao lado da. O sistema de autosserviço passou a ser adotado e a necessidade em atender a crescente demanda populacional tornou-se foco, como modelo estratégico para evolução e aprimoramento do negócio.
No final da década de 1960, onde o grupo Pão de Açúcar já contava com mais de 50 lojas em 17 cidades de São Paulo. Em 1970, inaugurou a primeira loja no exterior, na cidade de Lisboa, em Portugal.
Em 1971, continuou-se a expansão com o lançamento da marca Jumbo, primeiro A empresa foi fundada pelo imigrante português Valentim dos Santos Diniz, pai de Abílio, começou como uma doceria que se

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.