Reticulocitos e VHS
28 pág.

Reticulocitos e VHS


DisciplinaHematologia6.004 materiais36.130 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Profª. Drª. Iêda Pereira de Souza
Universidade Federal do Ceará
Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas
\uf0d8 Os reticulócitos são os precursores das hemácias, isto é, são
eritrócitos jovens (intermediários entre os eritrócitos nucleados e os
não-nucleados), contendo no seu interior material reticular,
provavelmente uma ribonucleoproteína (RNA) que não apresenta
afinidade pelos corantes comuns.
\uf0d8 O corante eletivo mais empregado é o Azul de Cresil Brilhante,
embora ultimamente vem-se utilizando o Novo Azul de Metileno N
\uf0d8 Na circulação permanece cerca de dois dias (24 a 48:00 horas).
- Adultos............... 0,5 - 1,5% ou 25.000 a 75.000/mm3
- Na gravidez........ Aumentado
-Recém-nascido.. até 10%
*** Os valores absolutos são os mais exatos.
Azul de Cresil Brilhante
May-Grunwald-Giemsa
- Para contagem de reticulócitos usa-se sangue capilar ou venoso;
- Volumes iguais de corante e de sangue (1 gota);
- Coloca-se 15 min a 37º C, fazer lâminas;
- Conta-se na objetiva de imersão um tot al de 1000 eritrócitos e 
o número de reticulócitos vistos nestes 1000 eritrócitos é 
registrado;
- O reticulócitos tambem é contado como hemácia
Cálculos:
Exemplo: He = 5.000.000 / mm3
Em 1.000 hemácias foram contados 12 reticulócitos.
Valores Relativos:
1000 He.......12 Rt X = 100 X 12 \uf0de X = 1,2 %
100 He ........X 1000
Valores Absolutos:
100 He ...............1,2 Rt
5.000.000 He .......X
X = 5.000.000 X 1,2 \uf0de X = 60.000 / mm3
100
Onde: Hematócrito Dias Retículo
Ind. Ret. = Ret. X Ht / 45 \uf03e 40 % 1,0 dia
1 ....2, 5 dias 30 - 40 % 1,5 dias
20 - 30 % 2,0 dias
\uf03c 20 % 2,5 dias
INDICE RETICULOCITÁRIO
\uf03c 2 % \uf03e 2 %
- Anemias Carenciais - Hemólise
- Arregeneratica - Perdas Agudas de Sangue
Reticulócitos Eritrócitos
Tamanho 7,5 a 8,0 ou 10,0 \uf06d 7,5
Salino Hipotônico Resistente Menos resistente
Trauma Mecânico Resistente Menos resistente
Fagocitose Menos provável Mais provável
Coloração Supra
Vital
Retículo de 
granulos com 
precipitação
Sem estímulo
Regeneração Medula Normal Depressão
\uf0df \uf0df \uf0df
Reticulocitose Pró-Eritroblasto Reticulocitopenia
- Esferocitose \uf0df - Anemia Aplástica
- Drepanocitose Eritroblasto Basófilo - Crises Aplásticas
de
- Eritroblastose Fetal \uf0df Anemia Hemolítica
- Hbinúria Paroxística Eritroblasto 
Policromático
- Anemia
Megaloblástica
Noturna \uf0df
- Anemia Hemolítica Eritroblasto 
Ortocromático
Auto-Imune Adquirida \uf0df
- Anemia Pós- Reticulócito
Hemorrágica Aguda \uf0df
- Resposta Terapêutica Eritrócito
Satisfatória na Anemia
Carencial
\uf0d8 A reticulocitose alta e persistente nos leva a fovor do diagnóstico
de anemia hemolítica e de intoxicação pelo chumbo, sem ter,
pórem, favor patognomônico;
\uf0d8 A crise reticulocitária é o melhor índice para a comprovação da
eficácia de uma terapêutica no decurso das anemias: Vitamina
B12 na anemia perniciosa, ferro na anemia hipocrômica,
vitamina C na anemia do escorbuto, tiroxina na anemia do
mixedema;
\uf0d8 Pode ser util no diagnóstico diferencial entre anemia aplástica e a
anemia da angina agranulocítica ou entre outras condições;
\uf0d8 Fornece dados para apreciar-se a necessidade de trasfusão de
sangue nas anemias sem resporta reticulocitária.
Profª. Drª. Iêda Pereira de Souza
Universidade Federal do Ceará
Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas
\uf0d8A hemossedimentação consiste em medir a velocidade de
separação entre os glóbulos vermelhos e o plasma, no sangue
tornando-o incoagulável pela adição de um anticoagulante.
Pode-se determinar a hemossedimentação, sob dois princípios:
1 - A distância da sedimentação é fixa e o tempo é variável (tempo
de sedimentação).
2 - O tempo de sedimentação é fixo e a distância é variável
(velocidade de sedimentação).
1. Queda individual das hemácias;
2. \uf0af potencial zeta;
3. Formação de rouleaux;
4. \uf0advelocidade de hemossedimentação.
\uf0d8A primeira fase, ou de sedimentação inicial, consiste na queda
individual dos eritrócitos, antes da agregação;
\uf0d8A segunda fase, ou de sedimentação máxima, consiste na
formação dos agregados globulares, os quais tanto mais depressa se
depositarão quanto maiores e mais numerosos;
\uf0d8Na terceira fase, ou de sedimentação constante, os agregados
globulares atingem, por unidade de tempo, um período de queda
constante, a qual entra em declínio no período final, à medida que os
glóbulos vão se acumulando na parte inferior da pipeta.
HOMEM: 
\uf0d8 17 a 50 anos \uf0ae 1 - 7 mm
\uf0d8 mais de 50 anos \uf0ae 2 - 10 mm
MULHER: 
\uf0d8 17 a 50 anos \uf0ae 3 - 9 mm
\uf0d8 mais de 50 anos \uf0ae 5 - 15 mm
CRIANÇAS: 
\uf0d8 3 - 9 mm
PLASMÁTICOS GLOBULARES
- Fibrinogênio - Diluição anêmica dos glóbulos
- Globulinas - Micrócitos
- Aglutininas frias - Leucopenia intensa
- Mucoproteínas - Trombocitopenia intensa
- Colesterol
PLASMÁTICOS GLOBULARES
- Albumina - Poliglobulias
- Crioglobulinas - Macrócitos
- Ácidos biliares - Megalócitos
- Acidoses - Hemácias em foice
FISIOLÓGICO:
\uf0d8 Criança;
\uf0d8 Periodo menstrual;
\uf0d8 Gravidez;
\uf0d8 Climas quentes.
PATOLÓGICO:
\uf0d8Anemias;
\uf0d8 Doenças reumáticas;
\uf0d8Anexites;
\uf0d8 Infarto;
\uf0d8 Colecistites;
\uf0d8 Neoplasias malignas;
\uf0d8 Infecções respiratórias;
\uf0d8 Nefrites;
\uf0d8 Leucemias;
\uf0d8Agranulocitose.
\uf0d8 Caquexia;
\uf0d8 Policitemia vera;
\uf0d8 Hipofibrinogenemia congênita, afecções hepátias extensas;
\uf0d8 Choque.
\uf0d8 Efeitos dos anticoagulantes \uf0ae deve-se usar uma concentração adequadra. Se
ela for maior a sedimentação será mais lenta ou mais tardia. A desfibrinação ou a
anticoagulação parcial atrasa a velocidade de sedimentação;
\uf0d8 Influência da alimentação \uf0ae o paciente deve estar em jejum, para evitar
qualquer influência sobre o resultado da prova;
\uf0d8 Estase venosa \uf0ae acarreta desidratação local devido a passagem de água e
eletrólitos para os tecidos, e consequentemente aumento da concentração de
colóides no plasma, especialmente fibrinigênio e globulinas, resultando numa
aceleração da hemossedimentação;
\uf0d8 Emprego de sangue mal homogeneizado \uf0ae deve-se homogeneizar
adequadamente o sangue no momento de efetuar a prova.
\uf0d8 Intervalo de tempo \uf0ae o teste deve ser efetuado antes de completar 2 horas
da coleta, porque as hemácias tendem a se tornar esféricas perdendo um pouco a
capacidade de se aglomerar;
\uf0d8 Temperatura \uf0ae a temperatura ótima é de 20o C (limite entre 22o a 27o C),
porque a velocidade de hemossedimentação acelera com o aumento da
temperatura e retarda pelo resfriamento, por isso se o sangue for guardado por
alguns momentos em geladeira, deve-se esperar que volte à temperatura ambiente;
\uf0d8 Pipetas utilizadas \uf0ae não devem variar o diâmetro (2,75 mm a 3,25 mm) e o
comprimento (pelo menos 100 mm) para que a determinação seja mais exata
possível. As pipetas devem estar limpas e secas e não conter álcool ou éter, para
evitar hemólise. Elas devem ser colocadas em posição vertical em estantes
apropriadas.
\uf0d8A hemossedimentação é um teste sensível, porém pouco específico. É de
grande utilidade para acompanhar a evolução da doença, assim a volta ao normal
é sinal de processo inflamatório em regressão;
\uf0d8 Durante a gravidez começa a acelerar apartir do 3\uf0b0 mês, chegando a alcançar
cifras de 20 mm ou 30 mm na 1a hora, voltando ao normal no mês do parto. Na
gravidez ectópica é normal até a ruptura da trompa ou o desprendimento do
embrião, quando então acelera;
\uf0d8Auxilia no diagnóstico diferencial de doenças como