Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
79 pág.
2017111 1612 Consumo

Pré-visualização | Página 1 de 5

▪ Abastecimento de água
▪ Consumo “per capita”
▪ Mananciais
▪ Formas de captação de água
Consumo Médio de Água por Pessoa por Dia
(Consumo Per Capita)
Normalmente adota-se as seguintes estimativas de consumo:
• População Abastecida sem Ligações Domiciliares:
Adota-se os seguintes consumos per capita:
―abastecida somente com torneiras públicas ou chafarizes, de 30 a 
50L/hab/dia;
―além de torneiras públicas e chafarizes, possuem lavanderias 
públicas, de 40 a 80L/hab./dia;
―abastecidas com torneiras públicas e chafarizes, lavanderias públicas 
e sanitário ou banheiro público, de 60 a 100L/hab./dia.
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
Consumo Médio de Água por Pessoa por Dia
(Consumo Per Capita)
Normalmente adota-se as seguintes estimativas de consumo:
• População Abastecida com Ligações Domiciliares:
Consumo médio “per capita” – Numa cidade com sistema de abastecimento 
regular, o valor do consumo médio per capita é obtido, dividindo-se o 
volume total de água distribuída durante um ano, por 365 e pelo número 
de habitantes beneficiados. 
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
diahabL
abeneficiadpop
anualmenteodistribuídVolume
qm ./
.365

Consumo Médio de Água por Pessoa por Dia
(Consumo Per Capita)
Normalmente adota-se as seguintes estimativas de consumo:
• População Abastecida com Ligações Domiciliares:
O perfil do consumo médio per capita obedece, no geral, a seguinte composição :
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
Fins Domésticos 42,5 %
Fins Industriais e Comerciais 25,0 %
Fins Públicos 12,5 %
Perdas e Desperdícios 20,0 %
Normalmente adota-se as seguintes estimativas de consumo:
• População Abastecida com Ligações Domiciliares:
O perfil do consumo médio per capita obedece, no geral, a seguinte composição :
Observação: População flutuante: adotar o consumo de 100 L/hab./dia 
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
População de Fim de Plano Per Capita
- Habitantes - Litros / Habitantes / Dia
Até 6.000 de 100 a 150
de 6.000 até 30.000 de 150 a 200
de 30.000 até 100.000 de 200 a 250
Acima de 100.000 de 250 a 300
Fatores que Afetam o Consumo de Água em Uma Cidade
• De Caráter Geral:
- tamanho da cidade: a experiência mostra que quanto maior a cidade, 
maior o número de estabelecimentos comerciais e industriais e de 
repartições públicas, jardins e equipamentos públicos, implicando 
aumento nesses dois tipos de consumo. A maior extensão de redes de 
distribuição vai também acarretar maior volume de perdas por 
vazamentos, além de apresentarem um maior contingente 
populacional e portanto maior consumo doméstico;
- crescimento da população;
- características da cidade (turística, comercial, industrial): as cidades 
industriais e mistas apresentam maior consumo que as cidades 
tipicamente residenciais;
- tipos e quantidades de indústrias;
- clima mais quente e seco, maior o consumo de água verificado;
- hábitos e nível sócio-econômico da população: quanto maior o nível 
de vida e o poder aquisitivo maior o consumo.
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
Fatores que Afetam o Consumo de Água em Uma Cidade
• Fatores Específicos:
- qualidade de água (sabor, odor, cor);
- custo da água: valor da tarifa;
- a disponibilidade de água;
- a pressão na rede de distribuição: quando a pressão na rede é elevada, 
uma abertura mínima de torneiras e válvulas ocasiona uma grande saída 
de água, elevando o consumo;
- percentual de medição da água distribuída: quando o consumo é 
estimado em lugar de medido, a população não se sente motivada a 
economizar água, nem evitar desperdícios;
- ocorrência de chuvas.
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
Variações no Consumo
No sistema de abastecimento de água ocorrem variações de consumo 
significativas, que podem ser anuais, mensais, diárias, horárias e 
instantâneas. No projeto do sistema de abastecimento de água, algumas 
dessas variações de consumo são levadas em consideração no cálculo do 
volume a ser consumido. São elas:
Anuais: o consumo “per capita” tende a aumentar com o passar do tempo e com 
o crescimento populacional. Em geral aceita-se um incremento de 1% ao ano 
no valor desta taxa;
Mensais: as variações climáticas (temperatura e precipitação) promovem uma 
variação mensal do consumo. Quanto mais quente e seco for o clima maior é 
o consumo verificado;
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
Variações no Consumo
Diária: ao longo do ano, haverá um dia em que se verifica o maior consumo. É 
utilizado o coeficiente do dia de maior consumo (K1), que é obtido da relação 
entre o máximo consumo diário verificado no período de um ano e o consumo 
médio diário. Os valores de (K1) variam de 1,2 a 2,0 dependendo das condições 
locais:
Obs.: Se não houver dados confiáveis para determinação do coeficiente, adota-se o coeficiente 
determinado para uma cidade com características similares da região. Não havendo uma 
cidade na região com coeficiente determinado, adota-se o menor valor relacionado (K1 = 1,2).
O coeficiente K1 é utilizado na composição da vazão de dimensionamento das unidades do 
sistema que antecedem o reservatório de distribuição; ou seja: as unidades de produção, tais 
como obras de captação, adutoras, elevatórias de água bruta, estações de tratamento, 
elevatórias de água tratada.
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
anonodiáriamédiaVazão
anonodiárioconsumoMaior
K 1
Variações no Consumo
Horária: ao longo do dia tem-se valores distintos de pique de vazões horária. 
Entretanto haverá “uma determinada hora” do dia em que a vazão de 
consumo será máxima. É utilizado o coeficiente da hora de maior consumo 
(K2), que é a relação entre o máximo consumo horário verificado no dia de 
maior consumo e o consumo médio horário do dia de maior consumo:
O consumo é maior nos horários de refeições e menores no início da madrugada. 
O coeficiente K1 é utilizado no cálculo de todas as unidades do sistema, 
enquanto K2 é usado apenas no cálculo da rede de distribuição e seu valor 
varia de 1,5 a 3,0.
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
dianohoráriamédiaVazão
dianohoráriavazãoMaior
K 2
Variações no Consumo
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
Vazões a serem Utilizadas no Dimensionamento de Componentes de 
Sistemas de Abastecimento
a) Sistema sem reservatório de distribuição: Todos os componentes devem 
atender a vazão máxima horária ou seja devemos utilizar K1 e K2 em todos os 
trechos, pois todo sistema estará sujeito à variação da demanda (diária e 
horária) na rede de distribuição.
b) Sistema com reservatório de distribuição: Todos os componentes após o 
reservatório devem atender a vazão máxima horária ou seja devemos utilizar 
K1 e K2 , em todos os trechos antes do reservatório devemos utilizar somente 
K1, pois esta parte do sistema estará sujeita apenas à variação da demanda 
diária
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
1) No ano de 1965 foram aduzidas para a cidade de São Paulo, 320 677 122 m3 de água, 
provenientes de 6 mananciais. No dia 23 de janeiro, observou-se o maior consumo 
diário do ano, isto é, 970 364 m3. A população abastecida pelo sistema foi estimada em 
2 814 000 habitantes, que ocupavam 611 800 domicílios. Calcular: 
a) a vazão média diária aduzida para a cidade; 
vazão média diária = Volume/tempo =
b) o consumo médio per-capita no ano; 
qm = volume distribuído anual / (365.População beneficiada)
c) a relação entre o consumo diário máximo e o consumo diário médio, no ano. 
ABASTECIMENTO DE ÁGUA
320 677 122 m3 / 365 dia = 878 570 m3/dia
qm= 320 677 122 m
3 / (365 x 2 814 000) = 0,312 m3/hab./dia = 312 L/hab./dia 
K1= 970 364 / 878 570 = 1,1
Medições de Vazão
• Em Pequenos Córregos e Fontes - O Método mais simples para medição de 
vazão consiste em:
- recolher a água em um recipiente de volume conhecido (tambor, barril, etc.);
- contar o número de segundos gastos
Página12345