A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
K2[Cu(K2C2O4)2] ∙ 2 H2O   Relatório de aula prática

Pré-visualização | Página 1 de 2

SÍNTESE DO COMPLEXO 
BIS OXALATO DE COBRE DE COBRE (II) DI-HIDRATADO 
 - K2[Cu (C2O4)2] ∙ 2 H2O 
 
 
 
 
Autoras: 
SILVA, Juliany Fonseca da; 
SILVA, Sabrina Mendes Lima de Souza da; 
SOUZA, Krishnara Luzia Guedes de. 
Professor: Dr. Renato Rosseto 
 
 
 
 
 
ANÁPOLIS-GO 
NOVEMBRO DE 2017
 
RESUMO 
O complexo bis oxalato de cobre (II) di-hidratado foi formado neste experimento pela 
reação a quente, em meio aquoso, entre o sulfato de cobre pentaidratado e o oxalato 
de potássio monoidratado. Após todo o procedimento foi obtido o sólido K2[Cu (C2O4)2] 
∙ 2 H2O com as seguintes características organolépticas: cor azul claro e muito 
brilhante, diferentemente do sulfato de cobre pentaidratado que é azul e sem brilho. 
Obteve-se 0,484g do complexo, logo, esta síntese teve 67,96% de rendimento. 
Palavras-Chave: bis oxalato de cobre (II) di-hidratado; síntese; complexos. 
 
INTRODUÇÃO 
Segundo a Teoria Ácido-Base de Lewis, ácido (A) é toda espécie química 
capaz de receber um par eletrônico e base (B), aquela capaz de doar um par 
eletrônico (representado por :). De uma maneira geral: A + :B = A:B. O composto A:B 
recebe nomes diversos, conforme a circunstância: aduto, sal, complexo, complexo 
ácido-base, complexo doador-aceitador, entre outros. (CHAGAS, 2000) 
Na química inorgânica, 70% dos trabalhos realizados se relacionam aos 
compostos de coordenação, sendo esses compostos denominados complexos 
(apresentam ligantes com cargas) ou adutos (apresentam carga elétrica nula). Um 
complexo é uma combinação de um ácido de Lewis (o átomo metálico central) com 
um número de bases de Lewis (os ligantes). (DALL´OGLIO e HOEHNE, 2013) 
Com relação aos ligantes, podem ser aniônicos, moleculares ou catiônicos. O 
pré-requisito básico para ser ligantes é ter pares de elétrons sobrando para doar ao 
elemento central. (DALL´OGLIO e HOEHNE, 2013). Ainda sobre os ligantes, estes 
recebem nomenclaturas diferentes com relação a quantos átomos se ligarão ao íon 
metálico central. Quando estes se coordenam ao átomo/íon metálico central por 
 
apenas um ligante, se denomina como monodentado, ao se coordenar com dois 
átomos, bidentados e assim por diante. 
O sulfato de cobre pentaidratado (CuSO4 ∙ 5 H2O) é o agente oxidante neste 
trabalho. Ele tem largo emprego tanto em processos industriais quanto na agricultura 
(como fungicida) e na dieta humana (como suplemento alimentar). O Cu é comumente 
encontrado em diversos compartimentos dos ecossistemas, sendo um poluente de 
importância significativa. (PRÁ, 2006) 
O oxalato de potássio monoidratado (K2C2O4 ∙ H2O) é um sólido branco, sem 
odor e solúvel em água. Atuou como uma base de Lewis ao estar em meio aquoso, 
sendo um ligante bidentado. Este pode ser utilizado como agentes anti-hiperestésicos 
para tratamento de hiperestesia dentária. (IZIDIO e SOLIS, 2006) 
 O objetivo deste experimento foi sintetizar o bis oxalato de cobre (II) di-
hidratado que tem sua fórmula molecular representada por K2[Cu (C2O4)2] ∙ 2 H2O. O 
precipitado, é um complexo básico, ou seja, pH elevado, formado a partir do ácido e 
base de Lewis. Tem uma forma sólida em forma de pequenos cristais e cor 
característica azul. 
 
MATERIAIS E MÉTODOS 
Os reagentes utilizados na síntese do sal foram: Sulfato de cobre 
pentaidratado, Oxalato de potássio monoidratado e Água. Os materiais usados foram: 
espátulas, balança analítica, piceta, proveta, dois béqueres, chapa aquecedora, 
equipamento para filtração a pressão reduzida, papel de filtro e estufa. A seguir está 
descrito o procedimento desta síntese: 
Solução A: Pesou-se 0,5g de sulfato de cobre e 10mL de água. 
 
Solução B: Foi pesado 2,0g de oxalato de potássio monoidratado e misturado com 10 
mL de água. 
1° Passo: Aqueceu-se a solução A e B separadamente até aproximadamente 90°. 
2° Passo: A solução A foi adicionada de forma rápida na solução B e com agitação 
intensa. 
3° Passo: Em seguida a solução foi resfriada por alguns minutos em uma vasilha com 
gelo e água. Observou-se um precipitado. 
4° Passo: O precipitado foi filtrado com pressão reduzida, lavado com 5mL de água 
fria e depois lavado três vezes com cerca de 10 mL de etanol gelado. 
5° Passo: O filtrado foi levado para a estufa a 80° por cerca de 8 minutos. 
Posteriormente o sólido seco foi pesado para que pudesse ser feito cálculos de seu 
rendimento nesta síntese. 
 
RESULTADOS E DISCUSSÃO 
A princípio o experimento dizia para misturar-se 0,504g de CuSO4 dissolvido 
em 10ml de água (solução A) com 2,000g de K2C2O4 dissolvido em 10 ml de água 
(solução B). Porém, na síntese foi feito o contrário, a solução B foi adicionada na 
solução A. Embora tenha ocorrido esse equívoco, não se alterou o produto final. 
A solução B foi adicionada na solução A com agitação, quando ambas 
apresentavam uma temperatura de 90Cº. Após isso, o béquer contendo a solução foi 
colocado em um recipiente com água gelada, apresentando aproximadamente 10Cº 
para acelerar o processo de formação do precipitado. 
Após a formação do precipitado, realizou-se uma filtração à pressão reduzida, 
lavando-se uma vez com 10 ml de água gelada, e duas vezes com aproximadamente 
15ml de etanol gelado. Após isso, o filtrado foi levado para a estufa (80Cº) por 8 
 
minutos. Em seguida, realizou-se a pesagem do sólido obtido e calculou-se o 
rendimento apresentado a seguir: 
1º Passo: considerou-se que o CuSO4 é o reagente limitante e calculou-se a 
sua quantidade utilizada. 
Quadro 1- Quantidade, em mol, utilizada do CuSO4. 
250g de CuSO4 ------------------- 1 mol de CuSO4 
0,504g de CuSO4 ----------------- x mol de CuSO4 
X = 0,002016 mol de CuSO4 
 
2ºPasso: Calculou-se a quantidade do produto (K2[Cu(ox)2]2-.2H2O) esperada. 
Quadro 2- quantidade, em mol, que deveria formar de K2[Cu(ox)2]2-.2H2O 
1 mol de CuSO4 --------------- 1 mol de K2[Cu(ox)2]2-.2H2O 
0,002016 mol de CuSO4 -------------- y mol de K2[Cu(ox)2]2-.2H2O 
Y = 0,002016 mol de K2[Cu(ox)2]2-.2H2O 
 
3º Passo: Converteu-se para mol: 0,484g de K2[Cu(ox)2]2-.2H2O que foi 
sintetizado. 
Quadro 3: Quantidade, em mol, que formou de K2[Cu(ox)2]2-.2H2O 
n = m/MM 
n = 0,484 g / 353,7 g . mol-1 
n = 0,00137 mol de K2[Cu(ox)2]2-.2H2O foi sintetizado 
 
 
 
 
 
4º Passo: Calculou-se o rendimento da síntese com os dados anteriores. 
Quadro 4 – rendimento da síntese. 
0,002016 mol de K2[Cu(ox)2]2-.2H2O ------------------ 100% 
0,00137 mol de K2[Cu(ox)2]2-.2H2O ------------------ z 
Z = 67,96 % de rendimento nesta síntese 
 
 
CONCLUSÃO 
 A obtenção deste complexo reforça tudo o que já foi realizado em outros 
procedimentos como pesagens, filtrações, entre outros e fez com que todos 
entendessem mais sobre ácido e base de Lewis. Nesta síntese o grupo adicionou a 
solução B na solução A, diferentemente do que pedia o procedimento, e apesar do 
complexo ter sido obtido sem nenhuma complicação deve-se seguir o procedimento 
à risca, principalmente em sínteses. 
 Com o rendimento de 67,96% neste experimento, pode-se concluir que erros 
do manipulador, real quantidade de moléculas de água hidratando o sólido obtido e 
os reagentes utilizados, assim como perdas durante a filtração e secagem podem ter 
afetado o rendimento. Uma solução para isto é fazer duplicatas, triplicatas dos 
experimentos para obter uma maior precisão dos resultados. 
 
 
 
 
 
 
 
REFERÊNCIAS 
CHAGAS, Aécio Pereira. O ensino de aspectos históricos e filosóficos da química e 
as teorias ácido-base do século XX. Química Nova, v. 23, n. 1, p. 126-133, 2000. 
Acesso em: 10 de novembro de 2017. 
 
DALL´OGLIO, Camila; HOEHNE,