Manual Pericia Medica da Previdencia Social
127 pág.

Manual Pericia Medica da Previdencia Social


DisciplinaDireito Previdenciário10.452 materiais81.022 seguidores
Pré-visualização37 páginas
APS/UAA, obrigatoriamente, qualquer irregularidade de que tenha 
conhecimento; 
 
j) manter-se atualizado sobre Normas Técnicas, Atos Normativos e Legislação 
Previdenciária referentes à concessão de benefícios por incapacidade/deficiência; 
 
l) emitir parecer técnico em juízo, quando indicado como Assistente Técnico do INSS; 
 
m) participar das revisões de auxílio-doença e LOAS; 
 
4.5 \u2013 Atribuições do Médico Especialista \u2013 Credenciado em especialidades diversas, 
incumbe-se de emitir pareceres especializados ou de realizar exames complementares, 
atendendo solicitação da Perícia Médica, sem atribuição de concluir sobre a capacidade 
laborativa do segurado. Deve ater-se às manifestações técnicas sobre a doença e não deve 
manifestar-se sobre a incapacidade. 
 
5 \u2013 CREDENCIAMENTO E DESCREDENCIAMENTO DE MÉDICOS OU DE 
INSTITUIÇÕES MÉDICAS 
 
5.1 \u2013 Situações em que é permitido o credenciamento de médico ou de instituição 
médica para prestação de serviços à Perícia Médica do INSS \u2013 será admitido o 
credenciamento de médico ou instituição médica nas seguintes situações: 
 
5.1.1 \u2013 Necessidade de utilização de profissionais médicos em que a demanda se 
justifique, esgotada a carga de trabalho dos servidores do quadro. 
 
5.1.2 \u2013 Necessidade de utilização de serviços de profissionais médicos na jurisdição 
das Agências da Previdência Social, que não possui servidor pertencente à categoria 
funcional da área médica pericial do quadro de pessoal do INSS. 
 
5.1.3 \u2013 Necessidade de médico especialista e/ou de serviço especializado para 
atender as requisições dos servidores do quadro. 
 
5.1.4 \u2013 Necessidade de atendimento às Varas de Acidentes de Trabalho. 
 
5.2 \u2013 Credenciamentos e descredenciamentos \u2013 Níveis de competência/justificativas. 
 
5.2.1 \u2013 O credenciamento e o descredenciamento serão efetivados por meio de 
processos individuais, tanto de pessoa física quanto jurídica, a partir de demanda justificada 
ou necessidade de serviço, com parecer do Chefe do Serviço/Seção de Gerenciamento de 
Benefícios por Incapacidade das Gerências-Executivas. 
 
5.2.2 \u2013 O processo de descredenciamento poderá ocorrer por iniciativa do próprio 
profissional médico ou do INSS, este representado pelo Serviço/Seção de Gerenciamento 
de Benefícios por Incapacidade. 
 
5.2.2.1 \u2013 Quando o descredenciamento for a pedido, fica dispensada a aprovação 
por parte do Serviço/Seção de Gerenciamento de Benefícios por Incapacidade, devendo o 
mesmo procedimento ser adotado nos casos de óbito, quando se suspenderá, 
imediatamente, a credencial pelo Sistema Informatizado por meio das opções CADMED-
CADCRE . 
 
5.3 \u2013 É vedado o trabalho em regime de credencial: 
 
5.3.1 \u2013 Em dependências ou setores próprios do INSS. 
 
5.3.2 \u2013 De profissionais da área médica pertencentes ao quadro permanente do 
INSS, em atividade, excepcionalmente como assistente técnico em juízo, conforme 
ORIENTAÇÃO INTERNA/INSS/DIRBEN n.º 061, de 06 de setembro de 2001. 
 
5.3.3 \u2013 De pessoa detentora de cargo eletivo ou de registro oficial para tal cargo. 
 
5.3.4 \u2013 De servidor público ocupante de função gratificada. 
 
5.4 \u2013 O credenciamento, com prévio conhecimento e anuência do profissional ou 
serviço, em nenhuma hipótese poderá se configurar em vínculo empregatício, devendo ser 
preenchido o modelo de declaração pertinente ao assunto. 
 
5.5 \u2013 Categorias de credenciados/atribuições 
 
5.5.1\u2013 Médico-Especialista \u2013 realiza exames especializados e/ou complementares 
como pessoa física ou jurídica pertencente a serviço devidamente autorizado e por 
solicitação da Perícia Médica, com a devida justificativa técnica. 
 
5.5.2 \u2013 Assistente Técnico \u2013 realiza exames médico-periciais junto às Varas de 
Acidente de Trabalho, esgotadas as possibilidades de participação dos servidores do 
quadro. 
 
5.5.3 \u2013 Médico-Perito Credenciado \u2013 possui autorização de realizar exames médico-
periciais. 
 
5.6 \u2013 Especialidades autorizadas para credenciamento \u2013 códigos: 
 
(01) Perícia Médica (12) Proctologia 
(02) Cardiologia (13)Psiquiatria 
(03) Dermatologia (14) Radiologia Clínica 
(04) Eletrocardiografia (15) Pneumologia 
(05) Eletroencefalografia (16) Urologia 
(06) Neurologia (17) Gastroenterologia 
(07) Ginecologia (18) Ergonometria 
(08) Oftalmologia (19) Eletromiografia 
(09) Ortopedia (20) Ecocardiografia 
(10) Otorrinolaringologia (21) Geneticista 
(11) Patologia Clínica 
 
5.7 \u2013 A proposta de credenciamento será efetuada mediante o preenchimento da 
Solicitação de Credencial (SC) Perícia Médica, atendendo ao ato específico da Diretoria 
Colegiada (RS nº 41/2000). 
 
5.8 \u2013 Após a aprovação do credenciamento, deverá o Serviço/Seção de Gerenciamento 
de Benefícios por Incapacidade implementar o treinamento do profissional credenciado, 
antes do início da execução dos trabalhos. 
 
5.8.1 \u2013 O desempenho dos profissionais credenciados deverá ser controlado pelos 
Serviço/Seção de Gerenciamento de Benefícios por Incapacidade, pela análise dos 
aspectos quantitativos, por meio dos instrumentos estatísticos e dos qualitativos mediante a 
análise dos laudos e conclusões sugeridas. Esses resultados deverão motivar 
sistematicamente a reciclagem e o aperfeiçoamento do trabalho dos credenciados. 
 
5.8.2 \u2013 A Empresa de Processamento de Dados da Previdência Social (DATAPREV) 
disponibilizará os dados relativos ao credenciado, mensalmente, com o objetivo de que as 
atividades desenvolvidas pelos mesmos possam ser analisadas. 
 
5.9 \u2013 Os exames a serem realizados pelo profissional ou por instituição credenciada, 
bem como a respectiva remuneração, estão especificados em ato próprio, não se aceitando 
em hipótese alguma, para efeito de ressarcimento, exames ou valores que não estejam 
incluídos no mesmo. 
 
5.9.1 \u2013 O pagamento dos credenciados será efetuado no âmbito das Regionais. 
 
5.10 \u2013 Os processos de credenciamento/descredenciamento, devidamente instruídos, 
deverão ser arquivados nos Serviços/Seções de Gerenciamento de Benefícios por 
Incapacidade das Gerências-Executivas. 
 
6 \u2013 FORMAÇÃO, TREINAMENTO E APERFEIÇOAMENTO 
 
6.1 \u2013 O treinamento e aperfeiçoamento dos servidores pertencentes à área médica 
pericial serão promovidos periodicamente pela Divisão de Orientação e Uniformização de 
Procedimentos de Perícias Médicas e Reabilitação Profissional, em ação conjunta com os 
Chefes dos Serviços/Seções de Gerenciamento de Benefícios por Incapacidade das 
Gerências-Executivas. 
 
6.2 \u2013 Cursos a serem desenvolvidos: 
 
a) de informação básica, tratando de assuntos sobre a filosofia de trabalho, a história, 
os objetivos da Perícia Médica, as finalidades, a legislação e a organização 
previdenciária e sobre deveres e obrigações dos servidores, a serem ministrados aos 
médicos que ingressam na Previdência Social como servidores, credenciados ou 
conveniados com empresas; 
 
b) de atualização e aperfeiçoamento, para os servidores já em exercício e os 
credenciados, visando a mantê-los informados sobre as rotinas e atos referentes aos 
benefícios por incapacidade. 
 
6.3 \u2013 Os cursos de reciclagem terão caráter oficial e serão promovidos pelas Chefias ou 
Gerências Regionais competentes. Os mesmos terão duração variável de acordo com o 
aproveitamento individual e repetidos ou prorrogados quando necessário. 
 
6.4 \u2013 As palestras e reuniões serão feitas pelos órgãos de supervisão para orientação 
direta, entrosamento entre as APS/UAA, avaliação e controle de resultados. 
 
6.5 \u2013 A divulgação de atos será feita pelos órgãos centrais às Gerências-Executivas e 
dessas às áreas de execução. 
 
6.6 \u2013 As publicações elaboradas pela Coordenação-Geral de Benefícios por 
Incapacidade e Divisão de Orientação e Uniformização de Procedimentos de Perícia 
Médica e Reabilitação Profissional