Manual Pericia Medica da Previdencia Social
127 pág.

Manual Pericia Medica da Previdencia Social


DisciplinaDireito Previdenciário10.426 materiais80.722 seguidores
Pré-visualização37 páginas
a obtenção da concessão de benefícios. 
 
15.2 \u2013 A Tela de Conclusão Médico-Pericial é dividida em quatro módulos: 
 
\u2666 \u2666 Concessão; 
\u2666 \u2666 
Alteração; 
\u2666 \u2666 Atualização; 
\u2666 \u2666 Impressão de COM. 
 
15.2.1. \u2013 O Módulo de Concessão pode ser de dois tipos \u2013 Concessão de Titular e 
de Dependente do exame inicial (AX-1 e JR). 
 
15.2.1.1 \u2013 No Módulo de Atualização, serão cadastradas as novas perícias dos 
exames subseqüentes. 
 
15.2.1.2 \u2013 O Módulo de Alteração de Concessão corrige perícias caso haja erro 
nas informações. 
 
15.2.1.3 \u2013 O Módulo de Impressão é destinado à impressão dos formulários . 
 
15.2.2 \u2013 A Tela de Exame Complementar é subdividida em segurado da Previdência 
e dependente, com as opções de requisição de exames, impressão de RE e confirmação 
de exames realizados. 
 
15.3 \u2013 Os Módulos Consulta de Perícia Médica Titular e Dependentes informarão a 
ordem do exame e a situação do segurado no Sistema. 
 
15.4 \u2013 O Módulo de Benefício com DCI vencida permite a suspensão pelo não 
comparecimento do segurado ao exame médico-pericial. 
 
15.5 \u2013 O Módulo Relação de Benefícios "Aguardando Perícia", disponibiliza os exames 
liberados pela Concessão, para o cadastramento do resultado do próximo exame, no 
Módulo de Atualização. 
 
15.6 \u2013 O Módulo Relação de Requisição de Exames controla o número de solicitações 
para cada médico credenciado; 
 
15.6.1 \u2013 As Requisições de Contingências poderão ser emitidas com a autorização 
da gerência, quando for o caso. 
 
16 - SABI \u2013 SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE 
 
Encontra-se em fase de implantação e desenvolvimento um novo modelo informatizado 
de concessão de Benefício por Incapacidade. 
 
O SABI é composto pelos seguintes módulos: 
 
I \u2013 MÓDULOS 
 
(1) Atendimento ao cliente; 
(2) Atendimento médico; 
(3) Controle Operacional; 
(4) Modelo de Gestão (em fase de conceituação); 
(5) Apoio; 
(6) Segurança do Sistema; 
 
II \u2013 OBJETIVOS DE CADA MÓDULO 
 
1 \u2013 Atendimento ao cliente \u2013 objetiva realizar todas as etapas administrativas da 
concessão do benefício, efetuando os levantamentos e críticas quanto à legalidade do 
pedido e agendando a realização do atendimento médico. 
 
2 \u2013 Atendimento médico \u2013 responsável pelas etapas de avaliação médica do segurado, 
estando atrelado a um protocolo médico pré-definido que critica os limites estabelecidos e 
os diagnósticos fixados, visando a uma uniformidade de procedimento e uma análise mais 
criteriosa do direito ou não ao afastamento. A conclusão do laudo médico desse módulo é 
que determina a concessão ou indeferimento do requerimento. 
 
3 \u2013 Controle operacional \u2013 objetiva o acompanhamento pelo Serviço de Benefícios, 
particularmente do CGBENIN, das atividades desenvolvidas no SABI pelas APS. Está 
contido neste módulo também todos os trâmites necessários para o encaminhamento dos 
recursos para a JR, bem como o parecer conclusivo com relação à concessão de Auxílio-
Acidente e Aposentadoria por Invalidez. 
 
4 \u2013 Módulo de Gestão \u2013 objetiva acompanhar em todos os níveis gerenciais do MPAS e 
do INSS, as atividades desenvolvidas no que tange a concessão de benefícios por 
incapacidade. Por este módulo pode-se fazer um acompanhamento preventivo e imediato 
das atividades desenvolvidas de forma descentralizada com atualização diária e em alguns 
casos on line. 
 
5 \u2013 Módulo de apoio \u2013 subsidia o CGBENIN do ponto de vista normativo. Neste módulo 
estão os dispositivos normativos e as tabelas de códigos utilizados no sistema, bem como 
os previstos pelo SUB. 
 
6 \u2013 Módulo de Segurança \u2013 realiza o cadastramento dos técnicos que vão trabalhar no 
sistema, atribuindo os níveis aos quais os mesmos terão acesso, bem como as 
funcionalidades que serão disponibilizadas para os mesmos. 
 
 
 
17 \u2013 AUTENTICAÇÃO DE LAUDOS E DE CONCLUSÕES DA PERÍCIA MÉDICA 
 
17.1 \u2013 A autenticação dos laudos e conclusões de Perícia Médica são de competência 
dos setores de benefício, ao encaminharem segurados para fins de exame inicial, quando 
no modelo não informatizado, mediante assinatura e carimbo do funcionário responsável, 
no campo "Obs. Setor Benefícios" do Laudo de Perícia Médica, da Conclusão de Perícia 
Médica. 
 
17.1.1 \u2013 Quando ocorrer erro ou rasura nesses documentos, o setor administrativo 
de perícias médicas fará a sua inutilização, anexando-o aos que serão por ela emitidos, em 
substituição aos originais inutilizados. 
 
17.2 \u2013 Nos casos de sugestão de limite indefinido, o Serviço/Seção de Gerenciamento 
de Benefícios por Incapacidade, ou por delegação, confirmará no campo próprio da CPM a 
concessão de limite indefinido. 
 
CAPÍTULO II 
 
1 \u2013 ENCAMINHAMENTO DO SEGURADO 
 
1.1 \u2013 O encaminhamento do segurado ao exame médico pericial será feito: 
 
I \u2013 pelos setores de benefícios nos casos a seguir discriminados: 
 
a) exame inicial de auxílio-doença: (E-31) \u2013 avaliação de incapacidade; 
 
b) exame das pessoas portadoras de deficiência (E-87) \u2013 LOAS; 
 
c) pensão por morte e auxílio-reclusão: (E-21, E-25) \u2013 verificação de invalidez, nos 
casos de comprovação de dependência de maior inválido; 
 
d) salário-família \u2013 verificação de invalidez em filho maior de 14 anos, quando o 
segurado estiver aposentado pelo INSS, em gozo de auxílio-doença ou quando optar pelo 
pagamento através do INSS, em casos de convênios. Quando o segurado for empregado, a 
iniciativa da apresentação ou do encaminhamento ao setor administrativo de perícias 
médicas será da competência do próprio ou da empresa e, quando avulso, do sindicato 
respectivo. 
 
II \u2013 pelos setores administrativos de perícias médicas nos casos de exames de 
prorrogação de auxílio-doença (E-31, E-91), bem como nos decorrentes de Pedido de 
Reconsideração às Juntas de Recursos (JR/CRPS); 
 
III \u2013 pelas autoridades hierarquicamente competentes. 
 
1.2 \u2013 Os procedimento nos casos de convênio obedecem a uma rotina própria. 
 
2 \u2013 PRAZOS PARA MARCAÇÃO E COMPARECIMENTO A EXAME 
 
2.1 \u2013 No exame inicial a marcação de exame e o comparecimento do 
segurado/requerente deverá ser de preferência imediato. 
 
2.2 \u2013 O exame de prorrogação será considerado dentro do prazo quando realizado 10 
(dez) dias antes ou 5 (cinco) dias após o limite fixado no exame anterior (DCI) ou ainda, até 
15 (quinze) dias após a DCB, nos casos de interposição de recurso a JR/CRPS. 
 
2.3 \u2013 O não comparecimento a exame, no prazo previsto, determinará as seguintes 
providências: 
a) encerramento do processo de benefício decorrente de requerimento inicial; 
b) suspensão do benefício no limite (DCI); 
 
2.3.1 \u2013 Exceção na observância do prazo para marcação de exame e 
comparecimento do segurado: 
 
a) administrativamente e em caráter excepcional, poderá ser relevada a observância 
do prazo previsto no subitem 2.2, se ficar comprovado que o atraso deu-se por motivo 
alheio à vontade do examinado, mediante justificativa a ser registrada no Campo 
"Observações" da CPM; 
 
b) do ponto de vista médico, quando a justificativa couber à Perícia, compreende-se, 
por excepcional, uma agravamento súbito do quadro, uma cirurgia imprevista ou outro fato 
que explique amplamente o atraso no comparecimento ou na comunicação do ocorrido. 
 
2.4 \u2013 Os demais tipos de exames realizados pela Perícia Médica obedecerão aos 
critérios fixados para os exames iniciais. 
 
3 \u2013 LOCAL DE EXAME MÉDICO-PERICIAL 
 
3.1 -- Os exames médico-periciais são realizados no próprio Instituto, nos consultórios 
dos médicos credenciados, no domicílio do segurados a ser examinado ou no hospital e 
nas empresas com as