COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO I
7 pág.

COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO I


DisciplinaHistória40.952 materiais1.012.165 seguidores
Pré-visualização2 páginas
devam reforçá-la, mesmo que na realidade externa ao texto tenhamos o questionamento daquela verdade textual questionamento daquela verdade textual. Exemplos notórios são encontrados nos discursos políticos.
 Coerência extratextual: quando a \u201cverdade textual\u201d conta com a apresentação de dados externos ao texto apresentação de dados externos ao texto para reforçá-la.
A coerência e a não contradição 
 Para finalizar, é importante considerar a situacionalidade (adequação à situação comunicativa); informatividade (grau de informação); focalização (concentração dos usuários \u2013 produtor/receptor); intencionalidade e aceitabilidade (fatores intencionalidade e aceitabilidade (fatores de contextualização); conhecimento do mundo e conhecimento compartilhado. 
 Dois requisitos são básicos para que um texto seja coerente: consistência (confirma a não contradição) e relevância (confirma a não contradição) e relevância (garante o foco).
Interatividade 
Indique qual alternativa define o conceito de coerência narrativa: 
a) Quando se respeitam as implicações lógicas do texto. 
b) Qua do ecess ta os de atos e te os ndo necessitamos de fatos externos ao texto para justificar uma \u201cverdade textual\u201d. 
c) Quando apresentamos dados que justificam um argumento sem contradizê-lo. 
d) Implica só a construção do tempo e do espaço. 
e) NDA.
Coesão 
 É o processo de encadeamento de ideias no texto por meio de elementos gramaticais, como as preposições, locuções prepositivas (relacionam logicamente dois termos), conjunções, locuções conjuntivas (relacionam locuções conjuntivas (relacionam logicamente duas orações), pronomes e advérbios. 
 Preposições: a, ante, até, após etc.
 Locuções prepositivas: abaixo de, acerca de, ao lado de etc. 
 Conjunções: mas, porque, logo etc. 
 Locuções conjuntivas: a menos que, por causa de, e ace de etc de, em face de etc. 
 Pronomes relativos: o qual, a qual, cujo, cuja etc.
 Advérbios: atualmente, hoje, antes etc.
Mecanismos de coesão 
 Retomada de termos dos enunciados anteriores (anafóricos). Por exemplo: \u201cAs leis deveriam ser cumpridas, mas a impunidade prevalece, apesar delas\u201d. O pronome \u201cdelas\u201d é anafórico, pois recupera \u201c recupera \u201cleis\u201d. 
 Antecipação de um fato. Por exemplo: \u201cA população precisa disto: leis que possam resguardá-la da impunidade\u201d. O pronome \u201cdisto\u201d é catafórico, pois antecipa a informação seguinte informação seguinte. 
 Os conectivos promovem as relações lógicas de causa, finalidade, conclusão, condição etc.
Tabela de conectivos
 Causa Porque/por causa de 
Consequência Tão, tal/de modo que 
Finalidade Para/para que 
Condição Caso/contanto que 
Oposição branda Mas/no entanto 
Oposição Embora/ainda que 
Comparação Como/assim como 
Tempo Quando/logo que 
Proporção À medida que 
Conformidade Conforme/de acordo com 
Alternância Ou/quer...quer 
Adição E/não apenas 
Restrição Que 
Conclusão Portanto/em suma
Processos lógicos determinados pelos conectivos 
 Gradação: quando o conectivo determina ou enfatiza um argumento. Exemplo: \u201cA população está preocupada com a violência, inclusive as crianças\u201d. 
 Conjunção argumentativa: os conectivos enfatizam conclusões. Exemplo: \u201cA população está cansada de saber de casos de corrupção em que as leis não punem culpados. Além disso, a falta do cumprimento das leis também gera violência\u201d.
 Disjunção argumentativa: os conectivos enfatizam conclusões opostas. Exemplo: \u201cAs leis devem ser cumpridas. Caso contrário, a violência tomará conta da sociedade\u201d. 
 Conclusão: os conectivos só estabelecem a conclusão. As leis são imprescindíveis, portanto, devem ser cumpridas.
Processos lógicos (II) 
 Explicação ou justificativa: os conectivos estabelecem uma justificativa para o fato apontado. Exemplo: \u201cAs leis devem ser cumpridas, porque foram feitas para garantir o convívio social\u201d. 
 Contrajunção: os conectivos apontam uma oposição entre as ideias. Exemplo: \u201cAs leis devem ser cumpridas, porém, a burocracia fortalece a contravenção\u201d.
 Argumento decisivo: os conectivos servem para acrescentar uma informação que enfatize o argumento. Exemplo: \u201cA burocracia fortalece a contravenção. Além disso, as leis não garantem punição para vários atos de corrupção\u201d para vários atos de corrupção\u201d. 
 Generalização: os conectivos ampliam a informação. Exemplo: \u201cAs leis devem ser cumpridas. Aliás, a sociedade já está saturada de tanta impunidade\u201d.
Interatividade 
Aponte a alternativa que determina a função dos conectivos no processo lógico da disjunção argumentativa. 
a) Os conectivos ligam argumentos em favor de uma mesma conclusão. 
b) Os conectivos enfatizam o argumento mais forte. 
c) Os conectivos estabelecem a conclusão. 
d) Os conectivos enfatizam conclusões opostas. 
e) NDA.
Para finalizar 
\u201cHá 2 espécies de chatos: os chatos propriamente ditos e... os amigos, que são os nossos chatos prediletos. Não tem porque interpretar um poema. O poema já é uma interpretação.\u201d Mário Quintana