Caso Clinico Herpes Genital PENVIR
4 pág.

Caso Clinico Herpes Genital PENVIR


DisciplinaSaúde da Mulher5.388 materiais14.572 seguidores
Pré-visualização3 páginas
complexo metabólico intracelular para exercer seus 
efeitos terapêuticos, a escolha do fármaco na prática clínica depen-
derá de outros fatores, como segurança, eficácia, custo e obedi-
ência do paciente ante o esquema proposto. Além disso, ao longo 
do tratamento, são justificáveis o acompanhamento laboratorial do 
paciente e sua correta orientação quanto ao surgimento de efeitos 
colaterais indesejáveis e como manuseá-los.
O fanciclovir pode ser uma boa opção ao aciclovir oral no trata-
mento de pacientes imunocompetentes por causa de suas doses mais 
convenientes (graças à maior concentração e estabilidade intracelular 
que permitem doses três vezes ao dia), aumentando a colaboração 
do paciente ao longo do tratamento. Ao mesmo tempo, foi o primei-
ro fármaco que reduziu significativamente os sintomas associados à 
multiplicação do vírus nas lesões, proporcionando redução da neural-
gia pós-herpética (principalmente em pacientes com mais de 50 anos 
de idade) e elevando o tempo de recorrência da doença.
A ocorrência de resistência ao aciclovir é uma possibilidade, 
ainda que remota. Porém, por estar associada mais comumente a 
doenças debilitantes do sistema imune, é merecedora de atenção 
visto que há um número crescente de pacientes portadores de Aids. 
Mais rara ainda seria a possibilidade de reação cruzada entre o 
aciclovir e o fanciclovir, já que contam com as mesmas cadeias mo-
leculares. O valaciclovir, pró-fármaco do aciclovir, parece estar cla-
ramente contraindicado para casos de alergia ao aciclovir, porém o 
fanciclovir (cujo metabólito ativo é o penciclovir) parece representar 
uma alternativa em alguns desses casos, priorizando-se sempre a 
possibilidade de reação cruzada entre eles. Sugere-se teste oral 
provocativo para distingui-los.
O fanciclovir administrado 250 mg, três vezes ao dia, durante 
sete dias, no primeiro episódio de herpes genital, e 125 mg, duas 
vezes ao dia, durante cinco dias, na recidiva, é bem tolerado e 
demonstra eficácia similar à do aciclovir 200 mg, cinco vezes ao 
dia, durante dez dias. A vantagem do fanciclovir sobre o aciclovir 
estaria no fato de fanciclovir / penciclovir produzirem atividade 
antiviral de maior duração que o valaciclovir / aciclovir, aspecto 
de suma importância em uma patologia cujo tratamento requer 
essa característica. 
Caso clínico \u2013 Herpes Genital é uma publicação da Phoenix Comunicação Integrada patrocinada por 
EMS. O conteúdo é de responsabilidade do autor e não expressa necessariamente a opinião do laboratório. Jornalista 
Responsável: José Antonio Mariano (MTb: 22.273-SP). Tiragem: 18.000 exemplares. Endereço: Rua Gomes Freire, 439 \u2013 cj. 
6 \u2013 CEP 05075-010 \u2013 São Paulo \u2013 SP. Tel.: (11) 3645-2171 \u2013 Fax: (11) 3831-8560 \u2013 Home page: www.editoraphoenix.com.br \u2013 E-mail: 
phoenix@editoraphoenix.com.br. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, divulgado, reescrito ou 
redistribuído sem prévia autorização da editora. Material destinado exclusivamente à classe médica. phx hm 00/03/13
O antiviral potente e cômodo para o tratamento do Herpes.1
Ajuda Visual de uso exclusivo do representante do laboratório junto aos profissionais de saúde habilitados a prescrever e/ou dispensar medicamentos, conforme determina o § 2, do Art. 32, da resolução-RDC-Nº 96/2008.
Para informações mais detalhadas, consulte a bula completa do produto. Materiais de uso exclusivo do propagandista junto à classe médica, do laboratório EMS/SA. Rod. Jornalista Francisco A. Proença, Km 08 - Hotolândia/SP - CEP 13186-901.
Da
ta 
de
 el
ab
ora
çã
o 0
3/2
01
3
A PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.
Referência Bibliográfica: 1. Perry CM, Wagstaff AJ. Famciclovir. A review of its pharmacological properties and therapeutic efficacy in herpesvirus infections. Drugs. 1995 Aug;50(2):396-415. 2. Bula do produto. 
3. Langley RG.Famciclovir for the treatment of recurrent genital and labial herpes lesions. Skin Therapy Lett. 2005 Dec-2006 Jan;10(10):5-7. 4. Boon R, Goodman JJ, Martinez J, Marks GL, Gamble M, Welch C. 
Penciclovir cream for the treatment of sunlight-induced herpes simplex labialis: a randomized, double-blind, placebo-controlled trial. Penciclovir Cream Herpes Labialis Study Group. Clin Ther. 2000 Jan;22(1):76-90.
Penvir (fanciclovir): APRESENTAÇÕES: Comprimidos revestidos de 125mg: Embalagem contendo 10 comprimidos revestidos. Comprimidos revestidos de 500mg: Embalagem contendo 14 ou 21 comprimidos revestidos. Uso 
oral. Uso adulto. INDICAÇÕES: Penvir é indicado para o tratamento de herpes zoster agudo; infecções por herpes simplex: tratamento ou supressão do herpes genital recorrente ou mucocutâneas recorrentes em pacientes 
imunocompetentes. CONTRAINDICAÇÕES: Penvir é contraindicado a pacientes que apresentem hipersensibilidade ao fanciclovir e aos componentes da formulação e nos casos de hipersensibilidade conhecida a penciclovir. 
PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS: Deve-se ter uma atenção especial a pacientes com função renal comprometida, quando for necessário ajustar a dose. Os pacientes devem evitar relações sexuais quando os sintomas 
estiverem agudos ou quando os sintomas estiverem presentes, mesmo se o tratamento com um antivirótico já tiver sido iniciado. Penvir não deve ser usado durante a gravidez ou em mulheres que estejam amamentando, a menos 
que se avalie risco/benefício. O uso em crianças não é recomendado. INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS: Nenhuma interação farmacocinética clinicamente significativa foi identificada. Probenecida e outras drogas podem afetar 
os níveis plasmáticos de penciclovir. REAÇÕES ADVERSAS: as reações mais comuns são os transtornos de cefaleia e, as reações incomuns são: diarréia, tontura, fadiga, flatulência, irritação gastrintestinal, náuseas, parestesia, 
prurido de pele e rash. POSOLOGIA: Penvir dever ser administrado por via oral com ou sem alimento. Herpes zoster: A dose recomendada é de 500mg a cada 8 horas durante 7 dias. Herpes simplex: Primeiro episódio de infecções 
por herpes genital: 250mg três vezes ao dia por cinco dias. Herpes genital recorrente: A dose recomendada é de 125mg duas vezes ao dia durante 5 dias. Supressão do herpes genital recorrente: A dose recomendada é de 250mg 
duas vezes ao dia durante 1 ano. Pacientes infectados pelo HIV: A dose recomendada é de 500mg duas vezes ao dia durante 7 dias para o tratamento de infecções orolabial recorrente ou Herpes simplex genital. Em pacientes 
com comprometimento moderado a severo da função renal, a freqüencia de administração deve ser diminuída proporcionalmente ao grau de comprometimento avaliado pelo clearance de creatinina. As seguintes alterações são 
recomendadas: Herpes Zoster: Clearance de creatinina > 60mL/min recomenda-se 500mg a cada 8 horas. Clearance de creatinina 40 a 59mL/min recomenda-se 500mg a cada 12 horas. Clearance de creatinina 20 a 39mL/
min recomenda-se 500mg a cada 24 horas. Clearance de creatinina < 20mL/min recomenda-se 250mg a cada 24 horas. Casos de hemodiálise recomenda-se 500mg após cada diálise. Herpes genital recorrente: Clearance de 
creatinina • 40mL/min recomenda-se 125mg a cada 12 horas. Clearance de creatinina 20 a 39mL/min recomenda-se 125 mg a cada 24 horas. Clearance de creatinina < 20mL/min recomenda-se 125mg a cada 24 horas. Casos 
de hemodiálise recomenda-se 125mg após cada diálise. Supressão do Herpes genital recorrente: Clearance de creatinina • 40mL/min recomenda-se 250mg a cada 12 horas. Clearance de creatinina 20 a 39mL/min recomenda-se 
125mg a cada 12 horas. Clearance de creatinina < 20mL/min recomenda-se 125mg a cada 24 horas. Casos de hemodiálise recomenda-se 125mg após cada diálise. Herpes genital ou orolabial recorrente em pacientes infectados 
pelo HIV: Clearance de creatinina • 40mL/min recomenda-se 500mg a cada 12 horas. Clearance de creatinina 20 a 39mL/min recomenda-se 500mg a cada 24 horas. Clearance de creatinina < 20mL/min recomenda-se