perguntas e respotas
7 pág.

perguntas e respotas


DisciplinaLogística Internacional2.363 materiais63.693 seguidores
Pré-visualização2 páginas
carta de crédito?
Este custo varia de acordo com o banco e o relacionamento da empresa com o banco. No mercado há uma variação entre 1% e 4% do valor da carta de crédito, podendo o banco determinar taxas fixas de acordo com a sua política. 
22. A quem devem ser entregues os documentos de exportação?
Conforme a modalidade de pagamento, os documentos de exportação têm a seguinte destinação:
Pagamento Antecipado - os documentos originais acompanham a mercadoria ou são enviados diretamente ao importador, com o exportador entregando uma cópia dos documentos ao banco que realizou o fechamento de câmbio.
Cobrança à Vista ou a Prazo - os documentos originais devem ser entregues pelo exportador ao banco que efetuou ou efetuará o fechamento do câmbio, o qual os enviará ao banco correspondente no exterior para realizar a cobrança da operação.
Carta de Crédito à Vista ou a Prazo - os documentos originais devem ser entregues exclusivamente ao banco negociador da carta de crédito no Brasil, que os remeterá ao banco no exterior que abriu a carta de crédito.
23. Qual a melhor condição de venda para exportar?
Esta definição pode ser estabelecida à partir do incoterm escolhido. Para o exportador, cabe calcular os custos envolvendo a operação como um todo e identificar o que tem menor impacto financeiro, evitando-se envolver com processos alfandegários no país de destino, no qual o importador será responsável por todos os gastos com a importação da mercadoria. Os incoterms que se encaixam nestas preferências são: EXW \u2013 FAS \u2013 FOB \u2013FCA.
24. É possível exportar produtos por meio de empresas que operam com remessas expressas, os chamados "courier?
Sim. Antes de contratar esse tipo de serviço é importante conhecer detalhadamente as condições oferecidas por essas empresas, como se dará o processo de desembaraço e internação da mercadoria no país de destino, por exemplo, pois, dependendo do caso e do país de destino, nem sempre as empresas de courier se encarregam desse serviço.
Há duas modalidades alfandegárias possíveis: 
Modalidade Courrier ou Amostra: usado para itens em pequenas quantidades que não caracterize comercialização e/ou revenda; itens enviados ao exterior por pessoa física ou jurídica, sem cobertura cambial, até o limite de US$ 5 mil; bagagem desacompanhada. Os documentos necessários são: conhecimento de embarque (WB), nota fiscal; fatura comercial (commercial invoice).Neste caso, não é necessário contratar despachante, pois a DHL Express é responsável pelo processo aduaneiro.
Modalidade Carga Aérea Expressa: usado para remessas de qualquer finalidade com valor superior a US$ 5.0001; mercadorias destinadas à comercialização ou que necessitem de cobertura cambial independente do valor declarado; itens a serem enviados como exportação temporária. Os documentos necessários são: conhecimento de embarque (WB original); fatura comercial (commercial invoice); packing list; nota fiscal.
Neste caso, o procedimento aduaneiro é diferente. A declaração simplificada de exportação (DSE) é exigida para embarques de até US$ 50 mil. A DHL Express faz a liberação alfandegária da remessa, sem a necessidade de um Radar do exportador. No registro de exportação (RE) não há limite de valor, mas é necessário que o exportador tenha RADAR e realize um credenciamento prévio com o despachante aduaneiro. No caso de contratação do despachante próprio, a DHL Express solicita o envio do extrato do Siscomex junto a coleta e após o desembaraço, para que o embarque seja realizado. A emissão do RE acontece no dia anterior ao desembaraço.
Fluxo Operacional - É necessário ter em mãos os documentos: Packing List + Fatura Comercial + Nota Fiscal ou NFe; preencher o Conhecimento de Embarque (WB) no portal MyDHL e, logo em seguida agendar uma coleta; a remessa seguirá para o processo de liberação na Receita Federal, se for DSE, a DHL Express providenciará a DSE pelo Siscomex, se for RE, a DHL Express providencia o Registro de Exportação (RE) e também a Declaração de Exportação (DDE) via Siscomex, mediante RADAR do exportador; se o processo estiver em conformidade, seu envio é liberado para o embarque pela modalidade formal, no mesmo dia da liberação alfandegária; após a liberação pelas autoridades locais, a remessa seguirá para entrega final assim que chegar ao país de destino.
25. Do que trata o despacho aduaneiro?
Trata-se de um procedimento burocrático (fiscal) de desembaraço da mercadoria, numa aduana, que acompanha  a entrada e saída de mercadoria no país. Os critérios do procedimento são previamente estabelecidos pelos dirigentes do país. No Brasil, este procedimento é realizado por meio eletrônico Siscomex.
26. Qual é o procedimento correto, ao receber pagamento em moeda estrangeira em espécie de cliente que não reside no Brasil?
Esta atividade é considerada uma exportação podendo-se usufruir dos benefícios fiscais dados a quem exporta. Para tanto, há que seguir os procedimentos usuais para operações de exportação, como a emissão da Nota fiscal de venda, do Registro de Exportação e do Comprovante de Exportação, cópia do documento do comprador (cópia do passaporte e do bilhete aéreo do comprador), além de documento bancário que comprove a realização da contratação cambial referente a essa venda.
27. Quais são as penalidades para um processo de exportação com informações incorretas?
Poderão ser aplicadas multas ao exportador, importador ou beneficiário de regime aduaneiro que omitir ou prestar informaççoes inexatas sobre: identificação incompleta do importador ou exportador; adquirente (comprador) ou fornecedor (vendedor), fabricante, agente de compra ou de venda e representante comercial; além de destinação da mercadoria importada: industrialização ou consumo,incorporação ao ativo, revenda ou quaisquer outras finalidades; descrição completa da mercadoria: classificação fiscal, espécie, marca comercial, modelo, nome comercial ou científico e outros atributos estabelecidos pela Secretaria da Receita Federal que confiram sua identidade comercial; países de origem, de procedência e de aquisição; e portos de embarque e de desembarque
28. Quais são os documentos de exportação que devem ser mantidos em arquivo?
Recomenda-se que todos os documentos pertinentes ao processo de exportação ou retorno de mercadoria enviada em consignação sejam arquivados, podendo acarretar em penalidades caso algum auditor solicite e não sejam apresentados os documentos de instrução, correspondência comercial, cotações de preços, instrumentos de contrato, câmbio, transporte, seguro e documentos fiscais. 
29. O que a empresa deve fazer antes de começar a exportar? 
Há que se estabelecer um forte fluxo de interação entre os setores da empresa: administrativo, comercial, financeiro, produtivo, contábil, entre outros, tendo em vista que a exportação trata-se de uma atividade integrada e exige trocas constantes de informações. Deve-se, também, considerar como parte da estratégia de médio e longo prazo da empresa, pois a atividade não deve ser considerada apenas em momentos de fragilidade no mercado interno. Análise de mercados em potencial por meio de pesquisas de campo, informações específicas de produtos e mercado devem fazer parte das definições e escolhas dos mercados de atuação. Estabelecer uma cultura exportadora capaz de considerar a complexidade das operações que são adquiridas de forma gradual e de sustentação em outros mercados, respeitando os riscos e as exigências de competitividade com alto grau de profissionalização.
30. Como faço para obter Certificado de Origem?
Basta acessar a página de serviços do Certificado de Origem Digital