Respostas
9 pág.

Respostas


DisciplinaBiologia Celular22.361 materiais746.568 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Descarboxilação do Piruvato: ocorre na matriz mitocondrial
 Cadeia transportadora de elétrons: ocorre das cristas mitocondriais, entre a membrana 
interna mitocondrial e o espaço intermembrana.
37- O saldo energético da glicólise é 2 ATP + 2 NADH, no Ciclo do Ácido Cítrico são 
produzidos 2 ATP no total de dois ciclos e na cadeia transportadora são produzidos 34 ATP. 
Assim, o saldo total energético da respiração celular aeróbia é38 ATP.
38- Cadeia transportadora de elétrons, nela ocorre a liberação dos elétrons do NADH ou do 
FADH que serão atraídos pelo O2, esses elétrons vão passar por uma série de proteínas, 
denominada cadeia transportadora de elétrons, três dessas proteínas vão utilizar a energia 
desses elétrons para bombear prótons H+ para o espaço intermembrana. Quando esses 
elétrons se encontram com o O2, os elétrons se unem ao O2 e aos prótons H+ formando água. 
Esses prótons H+ voltam para o interior da membrana interna passando por dentro de uma 
enzima chamada ATP sintase e esta une um ADP a um fosfato produzindo ATP. Os elétrons 
do FADH são menos carregados que os elétrons NADH, pois o FADH bombeia apenas 2 
prótons H+ para o espaço intermembrana, enquanto o NADH bombeia 3 prótons H+. 
39- FAD e NAD são moléculas (FAD e NAD) receptoras de prótons H+, sendo cada 
molécula de FADH2 e NADH responsáveis pela reconstituição de moléculas de ATP. 
Portanto, cada NADH produz 3 ATPs e cada FADH produz 2 ATPs.
40- NADH (3) e FADH2 (1); oxigênio (O2).
41- água; ATP, NADH e FADH2.
42- 2, 9, 4, 5, 8, 10, 7, 3, 6, 11, 1.
43- Grupo das Kareoferinas. As importinas atuam no reconhecimento e transporte das 
proteínas do citoplasma para o núcleo e as exportinas atuam no reconhecimento e transporte 
de proteínas do núcleo para o citoplasma.
44- 
a-Se inicia na origem de replicação e ocorre no núcleo ou no citoplasma.
b-Por que se utiliza uma fita de DNA como molde.
c-Na fase S.
d-DNA-Polimerase.
e-Romper as ligações de hidrogênio, permitindo a abertura da fita.; Impedir que as ligações 
de hidrogênio se refaçam.
f-Segmento curto de RNA que possui uma extremidade 3\u2019OH livre; servir de iniciador da 
replicação.
g-Auxiliar no enrolamento do DNA.
h-Fita retardada ou descontínua; O processo na fita que tem sentido 3\u2019-5\u2019ocorre de forma 
semelhante a fita de sentido 5\u2019-3\u2019, entretanto, na fita 3\u2019-5\u2019 é necessário fazer um primer e 
sintetizar um trecho de DNA no sentido contrário ao da helicase, fazendo com que a fita 
retardada seja sintetizada de trecho em trecho, gerando os chamados fragmentos de Okasaki. 
Ao final da síntese de um fragmento de Okasaki, a DNA-ligase une o fragmento sintetizado 
ao anterior.
45-
A- Síntese de RNA a partir de uma fita de DNA.
B- RNA mensageiro: Leva as informações do núcleo para o citoplasma. RNA transportador: 
Transporta os anticódons; serve de adaptador entre aminoácidos e RNAm. RNA ribossômico: 
Fornece parte da estrutura dos ribossomos e participa na síntese proteica.
C- Adicionar os nucleotídeos a fita nova.
D- Ocorre no citoplasma; A transcrição ocorre em três etapas: Iniciação-Reconhecimento de 
uma região promotora e ligação do fator sigma a RNA pol. A RNA pol se liga no DNA e 
desliza sobre a dupla hélice até que a subunidade sigma sinalize o local de início da 
transcrição, assim a RNA pol se liga sequência específica (-10 a -35) do promotor, então a 
RNA pol abre a dupla hélice do DNA formando uma bolha de transcrição. Elongação-A 
subunidade sigma se desliga da RNA pol e esta adiciona os ribonucleotídeos. Terminação- 
Sequência específica de bases finalizadoras.
E- Núcleo; TATABOX.
F- Íntrons são regiões não codificantes de genes, enquanto os éxons, são regiões codificantes 
de genes.
G- Proteger o RNAm da ação de exonucleases e atua no reconhecimento pelo ribossomo; 
Atua como acentuadora da tradução, protegendo o RNAm de exonucleases e proporcionando 
uma estabilidade à molécula; Retirar os íntros e conectar o éxons para que a informação no 
RNAm seja uniforme.
H-UACGGCAAUCUGGA.(OBS: No exercício pedia para transcrever a seguinte sequencia 
de DNA AUGCCGUUAGACCU, entretanto esta é uma fita de RNA, pois tem uracila, 
portanto a fita a ser transcrita fica sendo: ATGCCGTTAGACCT).
46-
a-Processo no qual haverá a leitura da mensagem contida na molécula de RNAm pelos 
ribossomos, decodificando a linguagem de ácido nucleico para a linguagem de proteína.
b-Ribossomos/citoplasma.
c-códons
d-N\u2192C. Grupo amina de um aminoácido com o grupo carboxila de outro aminoácido.
e- Início; término.
47- 
1- G1: ocorre a fase de crescimento primário; as células se preparam para a fase seguinte. 
2- G0: ponto de restrição, onde, se o corpo sinalizar que a célula não deve seguir para o 
período S, essa ficaria neste compartimento.
3- S:Duplicação do DNA e centríolos. 
4- G2: crescimento secundário. 
5- Divisão celular (mitose ou meiose).
48- Somáticas; Diploides; germinativas;4; haploides; diferentes.
49- Microtúbulos atuam na separação dos cromossomos e os microfilamentos de actina 
atuam na citocinese.
50- 1; Equacional; Reducional.
51- Na prófase I, mais especificamente no paquíteno.
52- Transporte pelos poros nucleares: As proteínas vão do citosol para o núcleo atravessando 
os poros nucleares. Transporte pelas membranas: as proteínas vão do citosol para o RE, para 
as mitocôndrias e para os cloroplastos utilizando translocadores proteicos. Transporte por 
vesículas: as proteínas saem do RE ou do Complexo de Golgi, dentro de vesículas de 
transporte envoltas por membrana e na entrega ocorre fusão de membranas.
53- Consiste no processo de adição de açúcares à proteína, afim de proteger a proteína da 
degradação enquanto for transportada, reter a proteína até que seja apropriadamente dobrada 
e de ajudar no reconhecimento célula-célula.
54- A grande maioria delas podem ser quimicamente modificadas no RE, porque no interior 
do RE ocorre a formação de pontes dissulfeto, que dão estabilidade à proteína quando a 
mesma se encontra em mudança de pH e de enzimas. Também no RE as proteínas podem 
sofrer glicosilação (ver exercício anterior 53).
55- Clatrinas , COP I e COP II.
56- V- SNAREs: Proteínas transmembranas da vesícula; T-SNAREs: Proteínas 
transmembranas da membrana-alvo.
57- Revestir a vesícula à medida que ela se forma e atuar no direcionamento dessas vesículas.