TCC CLAUDIO
60 pág.

TCC CLAUDIO


DisciplinaSistemas para Internet105 materiais3.157 seguidores
Pré-visualização11 páginas
14 
Capítulo II - 5. CRIANDO O BANCO DE DADOS DO SUAS JUÍNA EM 
MySQLi......................................................................................................................27 
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS ..................................................................................42 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .........................................................................43 
APÊNDICES ..............................................................................................................45 
ANEXOS ....................................................................................................................56 
 
 
 
 
 
 
 
 
11 
 
1. INTRODUÇÃO 
 
Sistema Único de Assistência Social (SUAS) é o modelo de gestão utilizado no 
Brasil para operacionalizar as ações de assistência social. A assistência social é parte 
do Sistema de Seguridade Social, apresentado pela Constituição Federal de 1988. O 
SUAS é de responsabilidade do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à 
Fome, e está previsto e regulamentado na lei federal nº 8.742, de 7 de dezembro de 
1993, a Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS). 
Os dados dos usuários atendidos pelo SUAS são preenchidos em um 
instrumento, em papel, composto por 45 páginas, frente e verso, que são preenchidas 
à caneta, com anexos grampeados, que é chamado de prontuário SUAS e tem como 
objetivo principal, contribuir para a organização e qualificação das informações 
coletadas dos usuários que são acompanhados pelas equipes de referência e que 
servem como base para o diagnóstico de enfrentamento das violências que cada 
família e/ou indivíduo que esteja em determinada situação de vulnerabilidade, além 
de ter o registro das principais características da família e/ou indivíduo, bem como o 
que levou a tal vulnerabilidade. 
 Porém, como cada instrumento é utilizado para acompanhamento de usuários 
em situação de vulnerabilidade, independentemente de ser um ou vários indivíduos 
na família, que após alguns meses de acompanhamento, o instrumento fica cheio de 
anexos e podendo chegar a 200 páginas que são transportadas, em mãos, em toda 
visita domiciliar. 
Dentro deste contexto, o presente trabalho surge de forma criar um banco de 
dados que funcionará como um sistema de armazenamento de dados que será 
abastecido diariamente pelos técnicos responsáveis, em seus atendimentos em busca 
ativa e demanda espontânea, em visitas domiciliares, de modo a preenchê-lo com os 
dados, os encaminhamentos e os resultados obtidos e que fiquem armazenados 
eternamente nesse sistema para o uso dos técnicos referenciados, esse banco de 
dados ficará em rede e poderá ser acessado pelo técnico durante as visitas. 
 
 
12 
 
2. OBJETIVOS 
 
2.1 - Objetivo geral: 
Criar um banco de dados para armazenamento de informações 
socioassistenciais das famílias e dos indivíduos que necessitam do Sistema Único de 
Assistência Social de Juína \u2013 MT. 
 
2.2 - Objetivos específicos: 
1. Criar um banco de dados em MySQLi nos ambientes Atom, NotePad++, 
dentre outras gratuitas; 
2. Desenvolver um instrumento para armazenamento de dados pessoais, 
educacionais, saúde, direitos e encaminhamentos de usuários do SUAS; 
3. Organizar e exibir os dados de maneiras diferentes; 
4. Compartilhar os dados com outras pessoas através de relatórios, 
mensagens de email, em intranet ou Internet; 
5. Criar um modelo relacional a fim de gerar um relatório mensal de 
atendimentos por tipo e/ou especificidade. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
13 
 
3. JUSTIFICATIVA 
 
 
 O Sistema Único de Assistência Social é uma política que visa fornecer o 
necessário para que um indivíduo ou uma família possa ter um mínimo de dignidade 
como cidadão reconhecido pelos seus direitos. Para que esses usuários tenham 
acesso a esses direitos oferecidos, os mesmos devem estar cadastrados em um 
instrumento técnico que tem o objetivo de contribuir para a organização e qualificação 
das informações coletadas dos usuários e que servem como base para o diagnóstico 
de enfrentamento das violências que cada família e/ou indivíduo esteja em 
determinada situação, além de ter o registro das principais características da família 
e/ou indivíduo, bem como identificar o que levou a essa tal vulnerabilidade. 
 Como os prontuários conhecidos até o momento são pastas com inúmeras 
páginas, preenchidas à mão, estando propícias a serem rasuradas, borradas, sujas e 
ou perdidas. Assim, há a necessidade da criação de planilhas, em forma de banco de 
dados, em MySQLi, que será abastecido diariamente pelos técnicos responsáveis 
pelos atendimentos em busca ativa e demanda espontânea de modo a preenchê-lo 
com os dados, os encaminhamentos e os resultados obtidos. 
 Desse modo, somente com a criação de um banco de dados, desenvolvido com 
a finalidade de substituir o enorme arquivo de papel produzido e que virá a ser 
produzido pelos técnicos do SUAS, trará a eficiência e os resultados do trabalho 
realizado. 
 
 
 
 
 
 
 
 
14 
 
Capítulo I 
 
4. O SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE JUÍNA 
 
 
A política de assistência social é um direito do cidadão e um dever do Estado, 
além de ser uma Política de Seguridade Social que não pode ser contributiva, ela que 
provê os mínimos sociais para a sobrevivência, é realizada por meio de um conjunto 
de ações integradas sendo de iniciativa pública e em parceria com a sociedade, para 
que se possa garantir um atendimento primário às necessidades básicas. 
No Município de Juína/MT, a Política de Assistência Social possui objetivos 
específicos de proteção social, que visam dar garantia da vida, redução de danos e a 
uma prevenção de incidência de riscos, especialmente no que se refere a proteção à 
família como um todo, ao direito à maternidade, à infância digna, à adolescência, à 
idade adulta e à velhice. Além, do amparo com as crianças e os adolescentes que se 
encontram em situação de vulnerabilidade social, de modo a promover uma 
integração ao mercado de trabalho, a ter direito a uma habilitação e reabilitação para 
a vida social e comunitária. 
 O acompanhamento dessas famílias e/ou indivíduos se faz por meio de busca 
ativa, demanda espontânea, denúncias por meio de uma rede de vigilância 
socioassistencial, que visa a analisar todo o território juinense em busca de fornecer 
uma medida protetiva a essas famílias e verificar se há a ocorrência de 
vulnerabilidades, de ameaças, de dolos, de crimes contra a pessoa e aos seus bens, 
de vitimizações e danos gerais; 
Para que haja a defesa desses direitos constitucionais elencados e que o pleno 
acesso aos demais direitos necessários para uma vida ao menos digna, existe um 
conjunto de provisões socioassistenciais que são garantidas por Lei e que necessitam 
de dados coletados de cada indivíduo e/ou suas famílias para que se faça o 
cruzamento de dados com os demais sistemas em funcionamento na rede a fim de 
garantir a idoneidade e a lisura das informações prestadas; 
15 
 
Sendo assim, para o enfrentamento das condições de pobreza, a Secretaria de 
Assistência Social trabalha com seus atores, de forma integrada às políticas setoriais 
visando universalizar e garantir a proteção social e atender às contingências sociais, 
o respeito à dignidade e à livre autonomia do cidadão, sem discriminação de qualquer 
natureza ou comprovação vexatória da sua condição. 
A assistência social, como política pública, deve ser prestada de forma gratuita, 
sem exigência de contribuição ou contrapartida, observado a oferta das provisões em 
sua completude,