Nocoes de Igualdade Racial e de Genero
123 pág.

Nocoes de Igualdade Racial e de Genero


DisciplinaDireitos Humanos14.009 materiais48.234 seguidores
Pré-visualização50 páginas
do grupo; 
b) causar lesão grave à integridade física ou mental de membros do grupo; 
c) submeter intencionalmente o grupo a condições de existência capazes de ocasionar-lhe a destruição 
física total ou parcial; 
d) adotar medidas destinadas a impedir os nascimentos no seio do grupo; 
e) efetuar a transferência forçada de crianças do grupo para outro grupo; 
Será punido: 
Com as penas do art. 121, § 2º, do Código Penal, no caso da letra a; 
Com as penas do art. 129, § 2º, no caso da letra b; 
Com as penas do art. 270, no caso da letra c; 
Com as penas do art. 125, no caso da letra d; 
Com as penas do art. 148, no caso da letra e; 
 
Art. 2º Associarem-se mais de 3 (três) pessoas para prática dos crimes mencionados no artigo anterior: 
Pena: Metade da cominada aos crimes ali previstos. 
 
Art. 3º Incitar, direta e publicamente alguém a cometer qualquer dos crimes de que trata o art. 1º: 
Pena: Metade das penas ali cominadas. 
§ 1º A pena pelo crime de incitação será a mesma de crime incitado, se este se consumar. 
§ 2º A pena será aumentada de 1/3 (um terço), quando a incitação for cometida pela imprensa. 
 
Art. 4º A pena será agravada de 1/3 (um terço), no caso dos arts. 1º, 2º e 3º, quando cometido o crime 
por governante ou funcionário público. 
 
Art. 5º Será punida com 2/3 (dois terços) das respectivas penas a tentativa dos crimes definidos nesta 
lei. 
 
1379363 E-book gerado especialmente para JUBERLANIO SANTANA LEAL
 
. 96 
Art. 6º Os crimes de que trata esta lei não serão considerados crimes políticos para efeitos de 
extradição. 
 
Art. 7º Revogam-se as disposições em contrário. 
 
Questões 
 
01. (TJ/MS \u2013 Juiz \u2013 TJ/PR/2012) Considere os artigos abaixo. Em seguida, marque a alternativa 
CORRETA: 
Artigo 1º da Lei 2.889/1956: 
\u201cQuem, com a intenção de destruir, no todo ou em parte, grupo nacional, étnico, racial ou religioso, 
como tal\u201d: 
a) matar membros do grupo; 
Será punido: 
Com as penas do art. 121, § 2º, do Código Penal, no caso da letra \u201ca\u201d; 
Artigo 309 do Código Eleitoral: 
\u201cVotar ou tentar votar mais de uma vez, ou em lugar de outrem\u201d: 
Pena \u2013 reclusão de até três anos. 
 
(A) Norma penal em branco heterogênea homovitelina é aquela em que o complemento do preceito 
primário da norma advém da mesma fonte formal de produção. 
(B) Norma penal em branco heterogênea heterovitelina é aquela em que o complemento do preceito 
primário da norma advém de diversa fonte formal de produção 
(C) Assim dispunha o artigo 214 do Código Penal Brasileiro: \u201cConstranger alguém, mediante violência 
ou grave ameaça a praticar ou a permitir que com ele se pratique ato libidinoso diverso da conjunção 
carnal\u201d. Considerando que tal dispositivo foi inteiramente revogado pela Lei 12.015/2009 é correto afirmar 
que, nesse caso, específico operou-se Abolitio Criminis. 
(D) O art. 1º da Lei 2.889/1956 é exemplo de norma penal em branco ao avesso ou invertida. O artigo 
309 do Código Eleitoral é, por sua vez, exemplo de crime de atentado ou de empreendimento. 
(E) Compete ao Supremo Tribunal Federal a concessão de exequatur às cartas rogatórias. 
 
02. Acerca do crime de genocídio, assinale a alternativa incorreta. 
(A) No Brasil, HUNGRIA sustentou que o genocídio derivaria de duas expressões latinas: genus (raça, 
povo, nação) e excidium (destruição, ruína, aniquilamento). No entanto, não explica por qual razão teria 
reduzido a denominação, que deveria, nesse caso, ser genoxcídio ou genixídio. 
(B) No Brasil, o genocídio está definido duas vezes: na legislação penal extravagante e no Código 
Penal Militar, além de ser considerado crime hediondo. 
(C) O genocídio é considerado crime hediondo desde que na sua forma consumada. 
(D) A transferência forçada caracterizadora de genocídio abrange apenas as pessoas menores de 12 
anos, todavia parte da doutrina entende que poderia haver disposição expressa a respeito do velho. 
 
Respostas 
 
01. Resposta: D. 
Trata-se de uma norma penal ao revés ou invertida, que necessita do complemento secundário, ou 
seja, da pena. Assim, como cita o Art. 1º do Código Penal: - "Não há crime sem lei anterior que o defina. 
Não há pena sem prévia cominação legal". Portanto, a segunda parte é clara em definir que "não há pena 
sem prévia cominação legal", isso quer dizer que somente haverá pena por meio de medida legislativa; 
isto é, exclusivamente o Poder Legislativo poderá definir penas. Então, a norma penal ao revés sempre 
decorrerá de outra lei, por exemplo a Lei do Genocídio, a qual foi citada no texto. 
 
02. Resposta: C. 
Lei 8.072/90, Art. 1º, Parágrafo único. Considera-se também hediondo o crime de genocídio previsto 
nos arts. 1º, 2º e 3º da Lei nº 2.889, de 1º de outubro de 1956, tentado ou consumado. 
 
 
 
 
 
1379363 E-book gerado especialmente para JUBERLANIO SANTANA LEAL
 
. 97 
 
 
LEI Nº 7.437, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1985. 
 
Inclui, entre as contravenções penais a prática de atos resultantes de preconceito de raça, de cor, de 
sexo ou de estado civil, dando nova redação à Lei nº 1.390, de 3 de julho de 1951 - Lei Afonso Arinos 
 
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a 
seguinte Lei: 
 
Art. 1º. Constitui contravenção, punida nos termos desta lei, a prática de atos resultantes de 
preconceito de raça, de cor, de sexo ou de estado civil. 
 
Art. 2º. Será considerado agente de contravenção o diretor, gerente ou empregado do estabelecimento 
que incidir na prática referida no artigo 1º. desta lei. 
 
Das Contravenções 
 
Art. 3º. Recusar hospedagem em hotel, pensão, estalagem ou estabelecimento de mesma finalidade, 
por preconceito de raça, de cor, de sexo ou de estado civil. 
Pena - prisão simples, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa de 3 (três) a 10 (dez) vezes o maior 
valor de referência (MVR). 
 
Art. 4º. Recusar a venda de mercadoria em lojas de qualquer gênero ou o atendimento de clientes em 
restaurantes, bares, confeitarias ou locais semelhantes, abertos ao público, por preconceito de raça, de 
cor, de sexo ou de estado civil. 
Pena - Prisão simples, de 15 (quinze) dias a 3 (três) meses, e multa de 1 (uma) a 3 (três) vezes o 
maior valor de referência (MVR). 
 
Art. 5º. Recusar a entrada de alguém em estabelecimento público, de diversões ou de esporte, por 
preconceito de raça, de cor, de sexo ou de estado civil. 
Pena - Prisão simples, de 15 (quinze dias a 3 (três) meses, e multa de 1 (uma) a 3 (três) vezes o maior 
valor de referência (MVR). 
 
Art. 6º. Recusar a entrada de alguém em qualquer tipo de estabelecimento comercial ou de prestação 
de serviço, por preconceito de raça, de cor, de sexo ou de estado civil. 
Pena - prisão simples, de 15 (quinze) dias e 3 (três) meses, e multa de 1 (uma) a 3 (três) vezes o maior 
valor de referência (MVR). 
 
Art. 7º. Recusar a inscrição de aluno em estabelecimento de ensino de qualquer curso ou grau, por 
preconceito de raça, de cor, de sexo ou de estado civil. 
Pena - prisão simples, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa de 1(uma) a três) vezes o maior valor 
de referência (MVR). 
Parágrafo único. Se se tratar de estabelecimento oficial de ensino, a pena será a perda do cargo para 
o agente, desde que apurada em inquérito regular. 
 
Art. 8º. Obstar o acesso de alguém a qualquer cargo público civil ou militar, por preconceito de raça, 
de cor, de sexo ou de estado civil. 
Pena - perda do cargo, depois de apurada a responsabilidade em inquérito regular, para o funcionário 
dirigente da repartição de que dependa a inscrição no concurso de habilitação dos candidatos. 
 
Art. 9º. Negar emprego ou trabalho a alguém em autarquia, sociedade de economia mista, empresa 
concessionária de serviço público ou empresa privada, por preconceito de raça, de cor, de sexo ou de 
estado civil. 
Lei federal nº 7.437, de